Qualidade de vida em pacientes com endometriose: um estudo de revisão

Maria Paula Custódio Silva, Alessandra Bernadete Trovó de Marqui

Resumo


Objetivo: Avaliar a qualidade de vida (QV) em pacientes com endometriose. Métodos: Realizou-se uma revisão bibliográfica na base de dados PubMed buscando artigos publicados nos últimos 10 anos utilizando os descritores quality of life and endometriosis e os seguintes filtros: artigos com abstract disponível, em humanos do sexo feminino, idioma inglês/português e cujos termos constavam no título/abstract. A busca resultou em 147 artigos, dos quais, de acordo com os critérios de inclusão, restaram 12 para leitura. Resultados: Todos os artigos evidenciaram que as mulheres com endometriose apresentaram uma redução na QV, e cinco estudos associaram nível socioeconômico, intensidade da dor e hábitos saudáveis como fatores que influenciam a QV. No entanto, nenhum estudo propôs estratégias para a melhora da QV. A presente revisão evidencia os benefícios da abordagem fisioterapêutica, psicológica e da prática de atividade física em elevar a QV, como uma maneira de minimizar os sintomas da endometriose, em especial, a dor e os sintomas psicológicos. A avaliação da QV em endometriose poderia ser utilizada como um indicador prognóstico da melhora clínica. Conclusão: Mulheres com endometriose apresentam significativa redução em sua qualidade de vida, influenciada pelos aspectos físicos e psicológicos, entre outros.


doi: 10.5020/18061230.2014.p413

Palavras-chave


Endometriose; Qualidade de Vida; Promoção da Saúde; Doença Crônica

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Giudice LC, Kao LC. Endometriosis. Lancet. 2004;364(9447):1789-99. Review.

Study protocol for the World Health Organization project to develop a Quality of Life assessment instrument (WHOQOL). Qual Life Res. 1993;2(2):153-9.

Colwell HH, Mathias SD, Pasta DJ, Henning JM, Steege JF. A health-related quality-of-life instrument for symptomatic patients with endometriosis: a validation study. Am J Obstet Gynecol. 1998;179(1):47-55.

Spigolon DN, Amaral VF, Barra CMC. Endometriose: impacto econômico e suas perpectivas. Femina. 2012;40(3):129-34.

Martins LM, França AP, Kimura M. Quality of life of persons with chronic illness. Rev Latinoam Enferm. 1996;4(3):5-18.

Moradi M, Parker M, Sneddon A, Lopez V, Ellwood D. Impact of endometriosis on women's lives: a qualitative study. BMC Womens Health. 2014;14:123.

Sepulcri RP, Amaral VF. Depressive symptoms, anxiety, and quality of life in women with pelvic endometriosis. Eur J Obstet Gynecol Reprod Biol. 2009;142(1):53-6.

Souza CA, Oliveira LM, Scheffel C, Genro VK, Rosa V, Chaves MF, et al. Quality of life associated to chronic pelvic pain is independent of endometriosis diagnosis--a cross-sectional survey. Health Qual Life Outcomes. 2011;9:41.

Tripoli TM, Sato H, Sartori MG, Araujo FF, Girão MJ, Schor E. Evaluation of quality of life and sexual satisfaction in women suffering from chronic pelvic pain with or without endometriosis. J Sex Med. 2011;8(2):497-503.

Marques A, Bahamondes L, Aldrighi JM, Petta CA. Quality of life in Brazilian women with endometriosis assessed through a medical outcome questionnaire. J Reprod Med. 2004;49(2):115-20.

Laursen BS, Bajaj P, Olesen AS, Delmar C, Arendt-Nielsen L. Health related quality of life and quantitative pain measurement in females with chronic non-malignant pain. Eur J Pain. 2005;9(3):267-75.

Petrelluzzi KF, Garcia MC, Petta CA, Grassi-Kassisse DM, Spadari-Bratfisch RC. Salivary cortisol concentrations, stress and quality of life in women with endometriosis and chronic pelvic pain. Stress. 2008;11(5):390-7.

Siedentopf F, Tariverdian N, Rücke M, Kentenich H, Arck PC. Immune status, psychosocial distress and reduced quality of life in infertile patients with endometriosis. Am J Reprod Immunol. 2008;60(5):449-61.

Nnoaham KE, Hummelshoj L, Webster P, d'Hooghe T, Nardone FC, Nardone CC, et al. Impact of endometriosis on quality of life and work productivity: a multicenter study across ten countries. Fertil Steril. 2011;96(2):366-373.e8.

Minson FP, Abrão MS, Sardá Júnior J, Kraychete DC, Podgaec S, Assis FD. Importance of quality of life assessment in patients with endometriosis. Rev Bras Ginecol Obstet. 2012;34(1):11-5.

Montanari G, Di Donato N, Benfenati A, Giovanardi G, Zannoni L, Vicenzi C, et al. Women with deep infiltrating endometriosis: sexual satisfaction, desire, orgasm, and pelvic problem interference with sex. J Sex Med. 2013;10(6):1559-66.

Fourquet J, Báez L, Figueroa M, Iriarte RI, Flores I. Quantification of the impact of endometriosis symptoms on health-related quality of life and work productivity. Fertil Steril. 2011;96(1):107-12.

Simoens S, Dunselman G, Dirksen C, Hummelshoj L, Bokor A, Brandes I, et al. The burden of endometriosis: costs and quality of life of women with endometriosis and treated in referral centres. Hum Reprod. 2012;27(5):1292-9.

Lorençatto C, Vieira MJN, Pinto CLB, Petta CA. Avaliação da frequência de depressão em pacientes com endometriose e dor pélvica. Rev Assoc Med Bras 2002;48(3):217-21.

Monga M, Alexandrescu B, Katz SE, Stein M, Ganiats T. Impact of infertility on quality of life, marital adjustment, and sexual function. Urology. 2004;63(1):126-30.

Arruda MS, Petta CA, Abrão MS, Benetti-Pinto CL. Time elapsed from onset of symptoms to diagnosis of endometriosis in a cohort study of Brazilian women. Hum Reprod. 2003;18(4):756-9.

Petta CA, Matos AM, Bahamondes L, Faúndes D. Current practice in the management of symptoms of endometriosis: a survey of Brazilian gynecologists. Rev Assoc Med Bras. 2007;53(6):525-9.

Fleck MPA, Leal OF, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, et al. Desenvolvimento da versão em português do instrumento de avaliação de Qualidade de Vida da OMS (WHOQOL-100). Rev Bras Psiquiatr. 1999;21(1):19-28.

Rubi-Klein K, Kucera-Sliutz E, Nissel H, Bijak M, Stockenhuber D, Fink M, et al. Is acupuncture in addition to conventional medicine effective as pain treatment for endometriosis? A randomised controlled cross-over trial. Eur J Obstet Gynecol Reprod Biol. 2010;153(1):90-3.

Mendes N, Figueiredo B. Psychological approach to endometriosis: women’s pain experience and quality of life improvement. Psic Saúde & Doenças. 2012;13(1):36-48.

Zakka TRM, Yeng LT, Teixeira MJ, Rosi Júnior J. Dor pélvica crônica não visceral: tratamento multidisciplinar. Relato de caso. Rev Dor. São Paulo, 2013;14(3):231-3.

Moura GC, Pucci F, Rech CR, Fermino RC, Reis RS. Associação entre atividade física e qualidade de vida em adultos. Rev Saúde Pública. 2012;46(1):166-79.

Bonocher CM, Montenegro ML, Rosa E Silva JC, Ferriani RA, Meola J. Endometriosis and physical exercises: a systematic review. Reprod Biol Endocrinol. 2014;12:4.

Mello MT, Boscolo RA, Esteves AM, Tufik S. O exercício físico e os aspectos psicobiológicos. Rev Bras Med Esporte. 2005;11(3):203-7.

Valim V. Benefícios dos exercícios físicos na fibromialgia. Rev Bras Reumatol. 2006; 46(1):49-55.

Araújo DSMS, Araújo CGS. Aptidão física, saúde e qualidade de vida relacionada à saúde em adultos. Rev Bras Med Esporte 2000; 6(5):194-203.

Costa da Silva EAP, Costa da Silva PP, Santos ARM, Cartaxo HGO, Rechia S, Freitas CMSM. Espaços Públicos de Lazer na Promoção da Qualidade de Vida: uma Revisão Integrativa. Licere, Belo Horizonte 2013; 16(2):1-18.

Gualano B, Tinucci T. Sedentarismo, exercício físico e doenças crônicas. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2011;25(Num esp):37-43.

Bielemann RM, Knuth AG, Hallal PC. Atividade física e redução de custos por doenças crônicas ao Sistema Único de Saúde. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2010;15(1):9-14.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Políticas de Saúde. Projeto Promoção da Saúde: as cartas da Promoção da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

Ministério da Saúde (BR). Portaria SCTIE/MS n. 69, de 01 de novembro de 2006. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

Ministério da Saúde (BR). Portaria SAS/MS n. 144, de 31 março de 2010. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

Ministério da Saúde (BR). Assistência integral à saúde da mulher: bases da ação programática. Brasília: Ministério da Saúde, 1984.

Ministério da Saúde (BR). Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

Freitas GL, Vasconcelos CTM, Moura ERF, Pinheiro AKB. Discutindo a política de atenção à saúde da mulher no contexto da promoção da saúde. Rev Eletrônica Enferm. 2009;11(2):424-8.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2932

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia