Evidências da interrelação trabalho/ocupação e hipertensão arterial sistêmica: uma revisão integrativa

Elizana de Fátima Garcia Soares, Lidiane da Silva Pardo, Alane Andréa Souza Costa

Resumo


Objetivo: Identificar evidências na literatura da interrelação entre trabalho/ocupação e o aparecimento da hipertensão arterial sistêmica. Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa. As bases de dados utilizadas foram: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Scientific Electronic Library Online (SciELO). Foram encontrados 11 estudos que contemplavam os critérios da pesquisa. Realizou-se a análise e síntese dos dados de forma descritiva e, em seguida, descreveu-se o valor das evidências adotadas para a elaboração da revisão integrativa. Resultados: Após revisão integrativa dos artigos, o valor III foi observado em quase a totalidade dos estudos, o que demonstra evidências intermediárias da relação do trabalho com o desenvolvimento da hipertensão. Conclusão: Embora abordado por poucos estudos, identificou-se os efeitos deletérios do trabalho/ocupação no aparecimento da hipertensão arterial sistêmica.

Palavras-chave


Hipertensão; Saúde do Trabalhador; Condições de Trabalho.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Sociedade Brasileira de Hipertensão. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. Rev Hipertensão. 2010;13(1):27-46.

Williams B. The year in hypertension. J Am Coll Cardiol. 2009;55(1):65-73

Ministério da Saúde (BR), Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento. PND – Pesquisa Nacional de Saúde 2013: percepção do estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas no Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação. Rio de Janeiro: IBGE; 2014.

Ordúñez P, Silva LC, Rodríguez MP, Robles S. Prevalence estimates for hypertension in Latin America and the Caribbean: are they useful for surveillance? Rev Panam Salud Pública. 2001;10(4):226-31.

Sociedade Brasileira de Hipertensão - SBH. Notícias. Sedentarismo afeta quase a metade da população brasileira, alerta Sociedade Brasileira de Hipertensão [acesso em 2015 Ago 27]. Disponível em: http://http://www.sbh.org.br/geral/noticias.asp?id=476

Silva CRS, Vieira MA, Sena RR de. Significados e reflexões sobre o ser portador de hipertensão arterial. Rev Min Enferm. 2008;12(3):346-55.

Nwankwo T, Yoon SS, Burt V, Gu Q. Hypertension Among Adults in the United States: National Health and Nutrition Examination Survey, 2011-2012. NCHS Data Brief. 2013(133):1-8.

Broome ME. Integrative literature reviews for the development of concepts. In: Rodgers BL, Knafl KA, editors. Concept development in nursing. Philadelphia: Saunders: 1993. p. 231-50.

Whittemore R, Knafl K. The integrative review: updated methodology. Methodological issues in nursing research. J Adv Nurs. 2005;52(5):546-53.

Pereira AL, Bachion MM. Atualidades em revisão sistemática de literatura, critérios de força e grau de recomendação de evidência. Rev Gaúch Enferm. 2006;27(4):491-8.

Salaroli LB, Saliba RAD, Zandonade E, Molina MCB, Bissoli NS. Prevalence of metabolic syndrome and related factors in bank employees according to different defining criteria, Vitória/ES, Brazil. Clinics (São Paulo). 2013;68(1):69-74.

Santos MN, Marques AC. Condições de saúde, estilo de vida e características de trabalho de professores de uma cidade do sul do Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2013;18(3):837-46.

Cisneros Blas Y, Ramirez Sandoval, MLP. Prevalencia de enfermedades en trabajadores académicos de una universidad pública según seguro de gastos médicos. Salud Trab (Maracay). 2009;17(2):121-31.

Moraes SA, Freitas ICM. Doença isquêmica do coração e fatores associados em adultos de Ribeirão Preto, SP. Rev Saúde Pública. 2012;46(4):591-601.

Pimenta AM, Kac G, Souza RRC, Ferreira LMBA, Silqueira SMF. Trabalho noturno e risco cardiovascular em funcionários de universidade pública. AMB Rev Assoc Med Bras. 2012;58(2):168-77.

Custodio IL, Lima FET, Almeida MI, Silva LF, Monteiro ARM. Perfil sociodemográfico e clínico de uma equipe de enfermagem portadora de Hipertensão Arterial. Rev Bras Enferm. 2011;64(1):18-24.

Fernández-D´Pool J, Butrón J, Colina-Chourio J. Efecto del ruido sobre la presión arterial en trabajadores de una empresa petrolera venezolana. Invest Clin. 2010;51(3):301-14.

Aguiar OB, Valente JG, Fonseca MJM. Descrição sócio-demográfica, laboral e de saúde dos trabalhadores do setor de serviços de alimentação dos restaurantes populares do Estado do Rio de Janeiro. Rev Nutr. 2010;23(6):969-82.

Mallma-Acuña A, Rivera-Yngunza K, Rodas-Simbron K, Farro-Peña G. Condiciones laborales y comportamientos en salud de los conductores de una empresa de transporte público del cono norte de Lima. Rev Enferm Herediana. 2013;6(2):107-14.

Cavagioni LC, Pierin AMG, Batista KM, Bianchi ERF, Costa ALS. Agravos à saúde, hipertensão arterial e predisposição ao estresse em motoristas de caminhão. Rev Esc Enferm USP. 2009;43(2):1267-71.

Alves MGM, Chor D, Faerstein E, Werneck GL, Lopes CS. Estresse no trabalho e hipertensão arterial em mulheres no Estudo Pró-Saúde: Estudo Pró-Saúde (Pro-Health Study). Rev Saúde Pública. 2009;43(5):893-6.

Gomes APF, Prazeres TMP, Correia MA, Santana FS, Farah BQ, Ritti-Dias RM. Respostas cardiovasculares durante o exercício de força em pacientes com doença arterial periférica. J Vasc Bras. 2015;14(1):55-61.

Soares EFG. Prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em Cuiabá obtidas por inquérito telefônico – VIGITEL [dissertação]. Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso; 2014.

Leão ALM. Síndrome Metabólica em funcionários de uma universidade pública: fatores associados e concordância entre critérios de diagnóstico [dissertação]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2013.

Cezário AC. Hipertensão arterial e doenças cardiovasculares como causas de concessão de aposentadoria por invalidez no Brasil [dissertação]. Salvador: Universidade Federal da Bahia; 2008.

Cordeiro R, Fischer FM, Lima EC Filho, Moreira DC Filho. Ocupação e hipertensão. Rev Saúde Pública. 1993;27(5):380-7.

Ministério da Saúde (BR), Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2001 [acesso em 2015 Jul 07]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/doencas_relacionadas_trabalho1.pdf

Andren L, Lindstedt G, Bjorkman M, Borg KO, Hansson L. Effect of noise on blood pressure and 'stress' hormones. Clin Sci (Lond). 1982;62(2):137-41.

Souza TCF. Exposição a ruído e hipertensão arterial: investigação de uma relação silenciosa [dissertação]. Rio de Janeiro: Fundação Osvaldo Cruz; 2010.

Fujino Y, Isso H, Tamakoshi A, Inaba Y, Koizumi A, Kubo T, et al. A Prospective cohort study of shift work and risk of ischemic heart disease in japanese male workers. Am J Epidemiol. 2006;164(2):128-35.

Paes IMBS. Estilo de vida e o controle da hipertensão arterial em indivíduos assistidos pela Estratégia de Saúde da Família, em Pernambuco [dissertação]. Recife: Fundação Osvaldo Cruz; 2012.

Barel M, Louzada JCA, Monteiro HL, Amaral SL. Associação dos fatores de risco para doenças cardiovasculares e qualidade de vida entre servidores da saúde. Rev Bras Educ Fís Esp. 2010;24(2):293-303.

Salaroli LB. Síndrome metabólica, resistência à insulina e fatores associados: um estudo em funcionários de uma rede bancária da grande Vitória/ES, Brasil [tese]. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo; 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2017.p102

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia