Lian Gong em 18 terapias como estratégia de promoção da saúde

Raquel Randow, Nayara Carolina Mendes, Luzia Toyoko Hanashiro Silva, Mery Natali Silva Abreu, Kátia Ferreira Costa Campos, Vanessa de Almeida Guerra

Resumo


Objetivo: Identificar os principais benefícios alcançados pelos praticantes de Lian Gong em 18 terapias, que está vinculado à atenção primária como uma estratégia de promoção da Saúde. Métodos: Trata-se de um estudo transversal realizado no município de Belo Horizonte, com aplicação de 1.091 questionários com os praticantes de lian gong no ano de 2014. Estudaram-se variáveis socioeconômicas relacionadas à dor, uso de medicação e necessidade de serviços de saúde. Os dados foram analisados por meio de análise descritiva e testes de homogeneidade marginal e qui-quadrado de Pearson, considerando-se nível de significância de 5%. Resultados: O perfil predominante dos praticantes são mulheres (89,5%; n= 977), com mais de 60 anos (61,90%; n = 678), indicadas para o lian gong por profissionais da saúde (66,50%; n = 935) e que realizam a prática com uma frequência de 2 vezes por semana (68,31%; n=735) e há mais de 7 meses (75,87%; n=792). Os principais benefícios relacionados a essa pratica foram a redução no quadro de dor, no uso de medicamento (49,6%; n=297) e a diminuição da demanda por serviços da Atenção Primária à Saúde (78,5%; n=715). Conclusão: A prática do Lian Gong como estratégia de promoção da saúde, inserida no ambiente da Atenção Primária à Saúde, promove benefícios para os praticantes, como a redução das dores no corpo, a desmedicalização e a redução da demanda por serviços de saúde.

Palavras-chave


Promoção da Saúde; Medicina Tradicional Chinesa; Terapias Complementares; Atenção Primária à Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Tesser CD. Práticas complementares, racionalidades médicas e promoção da saúde: contribuições pouco exploradas. Cad Saúde Pública. 2009;25(8):1732-42.

Rocha DG, Alexandre VP, Marcelo VC, Rezende R, Nogueira JD, Sá RF. Processo de revisão da Política Nacional de Promoção da Saúde: múltiplos movimentos simultâneos. Ciênc Saúde coletiva. 2014;19(11):4313-22.

Lima KMSV, Silva KL, Tesser CD. Práticas integrativas e complementares e relação com promoção da saúde: experiência de um serviço municipal de saúde. Interface Comun Saúde Educ. 2014;18(49):261-72.

Rodrigues SC, Philomeno BLS, Bahia RR, Abreu MNS, Campos KFC, Roquete FF, et al. Benefícios da prática de Lian Gong em 18 terapias no município de Belo Horizonte - Minas Gerais. In: Anais do Convibra Gestão, Educação e Promoção da Saúde; 2015 [acesso em 2017 Fev 25]. Disponível em: http://www.convibra.com.br/artigo.asp?ev=90&id=11376

Moretti AC, Almeida V, Westphal MF, Bógus CM. Práticas corporais/atividade física e políticas públicas de promoção da saúde. Rev Saúde Soc. 2009;18(2):346-54.

Lee ML. Lian Gong Shi Ba Fa: Lian gong em 18 terapias. São Paulo: Pensamento; 2000.

Silva KL, Sena RR, Almeida V, Matos JAV, Coura KRA. Prática Milenar Lian Gong: acesso dos usuários e a promoção da saúde. In: Anais Convibra Gestão, Educação e Promoção da Saúde; 2014 [acesso em 2017 Mar 28]. Disponível em: http://www.convibra.com.br/upload/paper/2013/71/2013_71_6559.pdf

Silva LTH, Duarte VES, Abreu MNS, Bahia RR, Guerra VA. Promoção da saúde na Atenção Primária, as práticas corporais como ações estratégicas em Belo Horizonte: o caso do Lian Gong. In: Melo EM, Silva JM, Akerman M, Belisário SA, organizadores. Promoção da saúde: autonomia e mudança. Belo Horizonte: Folium; 2016. p. 211-8.

Akerman M, Mendes R, Bógus CM, Westphal MF, Bichir A, Pedroso ML. Health promotion evaluation: focus on “healthy cities”. Rev Saúde Pública. 2002;36(5):638-46.

Carvalho EC. Taxonomias de enfermagem e estudos de eficácia, eficiência e efetividade: um desafio [editorial]. Rev Latinoam Enferm. 2010;18(4):1-2.

Teixeira MG, Rates SMM, Ferreira JM. O coletivo de uma construção: o sistema único de saúde de Belo Horizonte. Belo Horizonte: Rona; 2012.

Hanashiro LT, Botelho M. Lian Gong em 18 Terapias: ação relevante na promoção de saúde no SUS/BH. Rev Pensar BH/Política Social. 2011;29:47-52.

Malta DC, Silva MMA, Albuquerque GM, Lima CM, Cavalcante T, Jaime PC, et al. A implementação das prioridades da Política Nacional de Promoção da Saúde, um balanço, 2006 a 2014. Ciênc Saúde coletiva. 2014;19(11):4301-11.

Brasil. Portaria nº. 2.446, de 11 de novembro de 2014. Redefine a Política Nacional de Promoção da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Minas Gerais. Resolução nº 5.250, de 19 de abril de 2016. Institui a Política Estadual de Promoção da Saúde no âmbito do Estado de Minas Gerais e as estratégias para sua implementação. Belo Horizonte: Secretaria Estadual de Saúde; 2016.

Randow R, Campos KC, Roquete FF, Silva LTH, Duarte VES, Guerra VA. Periferização das práticas integrativas e complementares na atenção primária à saúde: desafios da implantação do Lian Gong como prática de promoção à saúde. Rev Bras Promoç Saúde. 2016;29(Supl):111-7.

Andrade SC, Leão DAO, Silva KV, Melo BC, Guimarães MAS, Paulo GP. Experiência da inserção do Lian Gong na Estratégia Saúde da Família de Samambaia – Distrito Federal. Com Ciências Saúde. 2013;22(4):9-18.

Sá KN, Modesto JB, França RR, Costa GA Junior, Mota OE, Freitas MM. Efeito do Lian Gong Shi Ba Fa na condição dolorosa de trabalhadores de um serviço administrativo. ScireSalutis. 2014;4(1):26-36.

Carvalho YM, Manoel EJ. A survey of body practices and primary health care in a district of São Paulo, Brazil. Motriz Rev Educ. Fís. 2015;21(1):75-83.

Dellaroza MSG, Pimental CAM, Lebrâol ML, Duarte YA. Associação de dor crônica com uso de serviços de saúde em idosos residentes em São Paulo. Rev Saúde Pública. 2013;47(5):914-22.

Malta DC, Moura L, Prado RR, Escalante JC, Schmidt MI, Duncan BB. Mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil e suas regiões, 2000 a 2011. Epidemiol Serv Saúde. 2014;23(4):599-608.

Livramento G, Franco T, Livramento A. A ginástica terapêutica e preventiva chinesa Lian Gong/Qi Gong como um dos instrumentos na prevenção e reabilitação da LER/DORT. Rev Bras Saúde Ocup. 2010;35(121):74 -86.

Souza STK, Picanço AP. A percepção de trabalhadores da saúde em relação a sua qualidade de vida, no grupo da prática corporal chinesa: Lian gong. Desafios: Rev Interd UFT. 2015;2(1):190-9.

Santos ACC, Andrade GN, Faria AA, Nunes MG, Madeira AMF. Percepção dos usuários de um Centro de Saúde acerca de sua participação no grupo de ginástica chinesa – Lian Gong: uma análise compreensiva. REME Rev Min Enferm. 2014;18(1):94-9.

Giraldo AED, Gomes GAO, Serafim THS, Zorzeto LP, Aquino DC, Kokubun E. Influência de um programa de exercícios físicos no uso de serviços de saúde na Atenção Básica de Saúde no município de Rio Claro, SP. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2013;18(2):186-96.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2017.6365

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia