Grupo operativo com primigestas: uma estratégia de promoção à saúde

Maria Adelane Monteiro da Silva, Flávia Martins Marques, Maria da Conceição Coelho Brito, Rebeca Sales Viana, Anna Larissa Moraes Mesquita, Antonia Smara Rodrigues Silva, Lorena Carneiro Gomes

Resumo


Objetivo: Promover ações de educação em saúde por meio de grupo operativo com primigestas acompanhadas pela Estratégia Saúde da Família. Métodos: Pesquisa-ação com abordagem qualitativa, realizada no segundo trimestre de 2013. A coleta de informações ocorreu por meio de grupo operativo com dez primigestas, tendo como cenário a Unidade Básica de Saúde localizada na porção sul do município de Sobral, Ceará, Brasil. A análise temática foi adotada como técnica de análise de dados. Resultados: A ação do grupo operativo com as primigestas possibilitou a explicitação de variáveis relacionadas: ao medo do parto; à ansiedade diante da sensação de tornar-se mãe, identificada pelas necessidades de aprendizagem; à emissão de aspectos sinalizadores que permitiram a identificação de papéis assumidos no âmbito grupal e à compreensão desse espaço para a promoção da saúde. Evidenciou-se a importância da utilização de uma abordagem diferenciada no complemento às consultas de pré-natal, em que se associa a teoria com a prática. Conclusão: O grupo operativo se revelou como estratégia pedagógica e educativa a ser utilizada junto às primigestas na Estratégia Saúde da Família, no sentido da promoção à saúde. O espaço grupal possibilitou a explicitação de ansiedades/medos inerentes à primeira gestação e a oportunidade de uma construção de conhecimento coletivo.

Palavras-chave


Gestantes; Aprendizagem; Promoção da Saúde; Atenção Primária à Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Mamede FV, Stefanello J, Mamede MV. Condução da assistência pré-natal. In: Silva IA, Souza KV, Souza IEO, organizador. Programa de atualização em enfermagem PROENF: saúde materna e neonatal. Porto Alegre: Artmed/Panamericana; 2009. p. 79-114.

Vieira BD, Parizotto APAV. Alterações psicológicas decorrentes do período gravídico. Unoesc & Ciência ACBS [Internet]. 2013 [acesso em 2017 Jun 24];4(1):79-90. Disponível em:http://editora.unoesc.edu.br/index.php/acbs/article/view/2559

Simas FB, Souza LV, Scorsolini-Comin F. Significados da gravidez e da maternidade: discursos de primíparas e multíparas. Psicol Teor Prat [Internet]. 2013 [acesso em 2017 Jun 24];15(1):93-102. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-36872013000100002

Leite MG, Rodrigues DP, Sousa AAS, Melo LPT, Fialho AVM. Sentimentos advindos da maternidade: revelações de um grupo de gestantes. Psicol Estud [Internet]. 2014 [acesso em 2015 Ago 16]19(1):115-24. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pe/v19n1/12.pdf

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. II Caderno de educação popular em saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Políticas de Saúde. Projeto Promoção da Saúde. As Cartas da Promoção da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.

Gurgel MGI, Alves MDS, Moura ERF, Pinheiro PNC, Rêgo RMV, Passos MLL. Promoção da saúde no contexto da estratégia saúde da família: concepções e práticas da enfermeira. Esc Anna Nery Rev Enferm [Internet]. 2011 [acesso em 2015 Set 05];15(3):610-15. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v15n3/a24v15n3.pdf

Cavalcante VOM. Tecnologia grupal para promoção da saúde de gestantes na estratégia saúde da família [dissertação]. Sobral: Universidade Estadual Vale do Acaraú; 2016.

Menezes KKP, Avelino PR. Grupos Operativos na Atenção Primária à Saúde como prática de discussão e educação: uma revisão. Cad Saúde Colet (Rio de J.). 2016;24(1):124-30.

Vieira MMF, Zouain DM. Pesquisa qualitativa em administração: teoria e prática. Rio de Janeiro: FGV; 2005.

Thiollent M. Metodologia da pesquisa-ação. 13ª ed. São Paulo: Cortez; 2004.

Pichon-Rivière E. O processo grupal. 7ª ed. São Paulo: Martins Fontes; 2005.

Ceará. Prefeitura Municipal de Sobral. A Cidade de Sobral [acesso em 2017 Jun 20]. Disponível em:http://www.sobral.ce.gov.br/cidade/sobral.htm

Minayo MCS. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29ª ed. Petrópolis: Vozes; 2010.

Ministério da Saúde (BR), Conselho Nacional de Saúde. Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP). Resolução nº 466/2012: sobre pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília; 2012.

Marin AH, Falceto OG, Collares M, Lorenzzoni PL, Ferrando JO, Fernandes CLC, et al. A não aceitação da gravidez e o desenvolvimento de crianças com quatro anos de idade no bairro Vila Jardim, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.Rev Bras Med Fam Comunidade. 2012; 7(25):240-6.

Almeida NAM, Medeiros M, Souza MR. Perspectivas de dor do parto normal de primigestas no período pré-natal. Texto & Contexto Enferm [Internet]. 2012 [acesso em 2017 Jun 27];21(4):819-27. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072012000400012

Aissa TF, Oba MV, Pinto MCRLR, Scandiuzzi RJ, Soares DW, Gomes DF. A representação social da primigesta em relação ao parto.Cadernos ESP [Internet]. 2014 [acesso em 2017 Jun 23];8(1):11-19. Disponível em: http://www.esp.ce.gov.br/cadernosesp/index.php/cadernosesp/article/view/166/86

Fleming V, Meyer Y, Frank F, Van Gogh S, Schirinzi L, Michoud B, et al. Giving birth: Expectations of first time mothers in Switzerland at the mid point of pregnancy. Women Birth. 2017;(16):30278-5.

Rios CTF, Vieira NFC. Ações educativas no pré-natal: reflexão sobre a consulta de enfermagem como um espaço para educação em saúde. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2007 [acesso em 2015 Set 01];12(2):477-86. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v12n2/a24v12n2.pdf

Cardoso ASF, Dall'Agnol CM. Processo grupal: reflexões de uma equipe de enfermagem. Rev. esc. enferm. USP [Internet]. 2011 [acesso em 2015 Mai 26]; 45(6): 1412-1418. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n6/v45n6a19.pdf.

Bastos ABBI. A técnica de grupos-operativos à luz de Pichon-Rivière e Henri Wallon. Psicól inf. [Internet]. 2010 [acesso em 2015 Set 01]; 14(14): 160-169. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psicoinfo/v14n14/v14n14a10.pdf.

Loomis ME. Groupsprocess for nurses. Saint Louis: MosbyCompany; 1979.

Ghasemi S, Nazari M, Vafaei H, Fararouei M. The Impact of Educational Intervention Based on the Theory of Planned Behavior in Choosing Delivery Mode in Primigravida Pregnant Women. International Journal of Women’s Health and Reproduction Sciences [Internet]. 2017 [acesso em 2017 Jun 18]; 5(1):47-54. Disponível em: http://www.ijwhr.net/pdf/pdf_IJWHR_198.pdf.

Kizilirmak A, Baser M. The effect of education given to primigravida women on fear of childbirth. Appl Nurs Res. 2016;29:19-24.

Nejad FSSA, Golmakani N, Pour NA, Shakeri MT. Effect of Progressive Muscle Relaxation on depression, anxiety, and stress of primigravid women. Evidence Based Care J. 2015;5(1):67-76.

Pichon-Rivière E. O processo grupal. 12ª ed. São Paulo: Martins Fontes; 2000.

Nogueira ALG, Bouttelet MD, Magali FC, Ferreira SL. Pistas para potencializar grupos na Atenção Primária à Saúde. Rev Bras Enferm [Internet]. 2016 [acesso em 2017 Jun 21]; 69(5):964-71. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-672016000500964&script=sci_abstract&tlng=pt.

Almeida SP, Soares SM. Aprendizagem em grupo operativo de diabetes: uma abordagem etnográfica. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2010 [acesso em 2014 Nov 17];15(Supl 1): 1123-32. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v15s1/020.pdf

Pereira TTSO. Pichon-Rivière, a dialética e os grupos operativos: implicações para pesquisa e intervenção. Rev SPAGESP [Internet]. 2013 [acesso em 2015 Set 09];14(1):21-9. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rspagesp/v14n1/v14n1a04.pdf

Zampieri MFM, Gregório VRP, Custódio ZAO, Regis M, Brasil C. Processo educativo com gestantes e casais grávidos: possibilidade para transformação e reflexão da realidade. Texto & Contexto Enferm [Internet]. 2010 [acesso em 2015 Fev 12];19(4):719-27. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v19n4/15.pdf

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Gazzinelli MF, Souza V, Fonseca RMGS, Fernandes MM, Carneiro ACLL, Godinho LK. Práticas educativas grupais na atenção básica: padrões de interação entre profissionais, usuários e conhecimento. Rev Esc Enferm USP [periódico na Internet]. 2015 [acesso em 2017 Jun 20];49(2):284-91. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v49n2/pt_0080-6234-reeusp-49-02-0284.pdf

Silva RMMD, Viera CV. Acceso al cuidado de la salud del niño en servicios de atención primaria. Rev Bras Enferm [Internet]. 2014 [acesso em 2017 Jun 27];67(5):794-802. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672014000500794&lng=en

Fernandes MTO, Silva LB, Soares SM. Utilização de tecnologias no trabalho com grupos de diabéticos e hipertensos na Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2011 [acesso em 2015 Ago 20];16(Supl 1):1331-40. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v16s1/a67v16s1.pdf.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2018.6406

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia