Atuação fisioterapêutica na sobrecarga física e dor de cuidadores de crianças com paralisia cerebral

Soraya Sayuri Braga Nohara, Sandra Regina Bonifácio, Karen Tokuhashi Ribeiro, Fernanda Varkala Lanuez, Lucia Castro Lemos

Resumo


Objetivo: Avaliar a atuação fisioterapêutica na sobrecarga física e na dor autorreferida de cuidadores de crianças com paralisia cerebral. Métodos: Estudo transversal e longitudinal, realizado em 2017 com 14 cuidadores de crianças com paralisia cerebral que participaram de atuação fisioterapêutica durante cinco semanas consecutivas simultaneamente ao atendimento das crianças, realizado no setor de Fisioterapia em Neuropediatria de um ambulatório de referência do município de São Paulo, Brasil. Para a coleta dos dados, utilizou-se questionário contendo as variáveis escolaridade, sexo, ocupação atual, renda familiar, quantidade de filhos, divisão dos cuidados com outrem, sobrecarga de cuidado, intensidade e localização da dor. Também se utilizou a Avaliação da Sobrecarga do Cuidador e a Escala Visual Analógica (EVA). Resultados: Dos participantes, 12 (85,7%) eram do sexo feminino e 10 (71,4%) não tinham vínculo empregatício. A sobrecarga moderada e baixa manteve a mesma proporção em metade da amostra (n=7; 50%) após a atividade fisioterapêutica. A relação entre a presença de dor e sobrecarga moderada continuou presente em 62,5% (n=5), porém a dor pela escala visual analógica diminuiu, pontuando inicialmente entre 1, como a menor nota, e 10, a maior nota. Após a fisioterapia, a pontuação oscilou entre 0 e 4. Conclusão: A continuidade da prestação do cuidado não cessa e, desse modo, não foi encontrada diferença entre a sobrecarga. Entretanto, após a atuação fisioterapêutica e as orientações recebidas quanto ao posicionamento do cuidador ao manejar a criança, observou-se diminuição das queixas de dores musculoesqueléticas autorreferidas em membros superiores dos cuidadores investigados.

Palavras-chave


Cuidadores; Paralisia Cerebral; Qualidade de Vida; Fisioterapia; Promoção da Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Oliveira FL, Dounis AB. As alterações na dinâmica familiar diante do diagnóstico da criança com Paralisia Cerebral: Estado da Arte. Rev Psicol (Fortaleza). 2012;3(1):18-27.

Barbosa DC, Souza FGM, Silva ACO, Silva IR, Silva TP, Paiva MCM. Sobrecarga do cuidado materno à criança com condição crônica. Cogitare Enferm. 2012;17(3):492-7.

Pereira RA, Santos EB, Fhon JRS, Marques S, Rodrigues RAP. Sobrecarga dos cuidadores de idosos com acidente vascular cerebral. Rev Esc Enferm USP. 2013;47(1):185-92.

Dantas MSA, Pontes JF, Assis WD, Collet N. Facilidades e dificuldades da família no cuidado à criança com paralisia cerebral. Rev Gaúch Enferm. 2012; 33(3):73-80.

Oliveira APP, Caldana RHL. As repercussões do cuidado na vida do cuidador familiar do idoso com demência de Alzheimer. Saúde Soc. 2012;21(3):675-85.

Souza LR, Hanus JS, Libera LBD, Silva VM, Mangilli EM, Simões PW, et al. Sobrecarga no cuidado, estresse e impacto na qualidade de vida de cuidadores domiciliares assistidos na atenção básica. Cad Saúde Colet (Rio J). 2015;23(2):140-9.

Moretti GS, Moreira KA, Pereira SR. Qualidade de vida dos cuidadores de crianças com paralisia cerebral da Amazônia sul ocidental. Rev Bras Promoção Saúde. 2012;25(1):30-6

Borges CL, Cunha JP, Silva AA, Rocha VA, Freitas MC. Cuidando do cuidador: intervenções para o autocuidado. Rev Enferm UFPE, 2015;9(4):7474-81.

Geere JL, Gona J, Omondi FO, Kifalu MK, Newton CR, Hartley S. Caring for children with physical disability in Kenya: potential links between caregiving and carers' physical health. Child Care Health Dev. 2013;39(3):381-92.

Krön CA, Simões MLG. Avaliação de sobrecarga em cuidadores: um estudo de revisão sobre a escala Zarit Burden Interview. In: Anais do II Encontro de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, 2013 Set 24 e 25 [acesso em 2017 Abr 15]. Disponível em: https://www.puc-campinas.edu.br/websist/Rep/Sic08/Resumo/201388_223938_364825947_resC%20K.pdf

Fortunato JG, Furtado MS, Hirabae LFA, Oliveira JA. Escalas de dor no paciente crítico: uma revisão integrativa. Rev Hospital Universitário Pedro Ernesto. 2013;12(3):110-7

Gratão ACM, Talmelli LFS, Figueiredo LC, Rosset I, Freitas CP, Rodrigues RAP. Dependência funcional de idosos e a sobrecarga do cuidador. Rev Esc Enferm USP. 2013;47(1):137-44.

Ribeiro M, Ferreira M, Porto CC, Vandenberghe L. Estresse parental em famílias de crianças com paralisia cerebral: revisão integrativa. Ciênc Saúde Coletiva. 2013;18(6):1705-15.

Gondim KDM, Carvalho ZMDF. Sentimentos das mães de crianças com paralisia cerebral à luz da teoria de Mishel. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2012;16(1):11-6.

Mello R, Ichisato SMT, Marcon SS. Percepção da família quanto à doença e ao cuidado fisioterapêutico de pessoas com paralisia cerebral. Rev Bras Enferm. 2012;65(1):104-9.

Fuhrmann AC, Bierhals CCBK, Santos NO, Paskulin LMG. Association between the functional capacity of dependent elderly people and the burden of family caregivers. Rev Gaúch Enferm. 2015;36(1):14-20

Baptista BO, Beuter M, Girardon-Perlini NMO, Brondani CM, Budó MLD, Santos NO. A sobrecarga do familiar cuidador no âmbito domiciliar: uma revisão integrativa da literatura. Rev Gaúch Enferm. 2012;33(1):147-56.

Santos WJ, Albuquerque PC, Fittipaldi EOS. Análise do perfil e sobrecarga de cuidadores de três Unidades de Saúde da Família do Recife/PE. Fisioter Bras. 201617(5):464-71.

Ferreira MC, Naccio BLD, Otsuka MYC, Barbosa AM, Corrêa PFL, Gardenghi G. Avaliação do índice de sobrecarga de cuidadores primários de crianças com paralisia cerebral e sua relação com a qualidade de vida e aspectos socioeconômicos. Acta Fisiátrica. 2015;22(1):9-13

Almeida LMS, Vasconcelos RS, Sales RP, Matos WLR, Viana SMNR, Andrade EA, et al. Prevalência de algias da coluna vertebral em mães de crianças com paralisia cerebral não deambulantes. Rev Saúde Pública Santa Catarina. 2012;5(1):28-37.

Almeida MS, Conceição TMA. Prevalência de sintomas álgicos, sobrecarga e qualidade de vida de cuidadores de crianças com paralisia cerebral. Rev Pesquisa Fisioterapia. 2013;3(1):36-49.

Yeung SS. Factors contributing to work related low back pain among personal care workers in old age. Work. 2012;41(Suppl 1):1873-83.

Almeida KM, Fonseca BM, Gomes AA, Oliveira MX. Fatores que influenciam a qualidade de vida de cuidadores de paralisados cerebrais. Fisioter Mov. 2013;26(2):307-14

Rett MT, Mesquita PDJ, Mendonça ARC, Moura DP, Santana JM. A cinesioterapia reduz a dor no membro superior de mulheres submetidas à mastectomia ou quadrantectomia. Rev Dor. 2012;13(3):201-7.

Fernandes BCW, Ferreira KCP, Marodin MF, Val MON, Fréz AR. Influência das orientações fisioterapêuticas na qualidade de vida e na sobrecarga de cuidadores. Fisioter Mov. 2013;26(1):151-8.

Almeida TCS, Ruedell AM, Nobre JR, Tavares KO. Paralisia Cerebral: Impacto no Cotidiano Familiar. Reva Bras Ciênc Saúde. 2015;19(3):171-8.

Baltor MRR, Dupas G. Experiências de famílias de crianças com paralisia cerebral em contexto de vulnerabilidade social. Rev Latinoam Enferm [Internet]. 2013 [acesso em 2017 Mar 18];21(4):[8 telas]. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rlae/article/view/76009/79614

Simões CC, Silva L, Santos MR, Misko MD, Bousso RS. A experiência dos pais no cuidado dos filhos com paralisia cerebral. Rev Eletrônica Enferm. 2013;15(1):138-45.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2017.6461

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia