Fatores associados à insegurança alimentar em pessoas que vivem com HIV/AIDS

Lorena Nogueira Frota da Costa, Mayra Madeira Braga, Marlene da Rocha, Mauricélia da Silveira Lima, Wilma Félix Campêlo, Cláudia Machado Coelho Souza de Vasconcelos

Resumo


Objetivo: Analisar fatores associados à insegurança alimentar em pessoas que vivem com HIV/AIDS. Métodos: Estudo transversal, realizado com 205 pacientes atendidos, de dezembro de 2016 a abril de 2017, em um hospital de referência em doenças infecciosas do estado do Ceará. Foram coletados dados socioeconômicos (renda, ocupação, condições de residência, escolaridade), demográficos (sexo, idade, estado civil), antropométricos (peso e altura), sobre hábitos (uso de álcool, drogas e práticas de atividade física) e de segurança alimentar. Avaliou-se a insegurança alimentar por meio da Escala Brasileira de Insegurança Alimentar, e as suas associações, através do teste qui-quadrado de Pearson e razão de prevalência. Resultados: Do total de 205 pacientes, 68,3% (n=140) eram homens; 56,1% (n=115) tinham de 39 a 58 anos; 61%, (n=125) estavam solteiros; 60% (n=124) não estavam empregados; 49,8% (n=102) possuíam renda inferior a 1 e ½ salário-mínimo; 38,5 % (n=79) possuíam apenas nível fundamental; 47,3% (n=97) estavam sobrepesados; 70,7% (n=145) moravam com 04 ou menos pessoas; 79,5% (n=163) não consumiam álcool; 87,3% (n=179) não usavam drogas e 64,4% (n=132) não praticavam atividade física. A insegurança alimentar foi de 47,3% (n=97). Desses, 10,7% (n=22) estavam em nível grave. Encontrou-se associações estatísticas entre insegurança alimentar e faixa etária (p = 0,009), escolaridade (p = 0,013), número de pessoas por domicílio (p < 0,001) e renda mensal domiciliar (p < 0,001). Conclusão: Observou-se alta prevalência de insegurança alimentar na amostra, que esteve associada às características demográficas (idade) e socioeconômicas (renda, escolaridade e condições de moradia).

Palavras-chave


Segurança Alimentar e Nutricional; Vulnerabilidade Social; Síndrome de Imunodeficiência Adquirida.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Brasil. Lei n.º 11.346, de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências [acesso em 21 Maio 2017]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11346.htm

Brasil.Constituição (1988). Emenda Constitucional n. º 64, de 4 de fevereiro de 2010. Altera o art. 6º da Constituição Federal, para introduzir a alimentação como direito social . Diário Oficial da União; Brasília 04 fev 2010; Secção 1 [acesso em 21 Maio 2017]. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc64.htm

Santos JV. Prevalência de insegurança alimentar em famílias de Pelotas, RS e estado nutricional das pessoas que vivem em insegurança alimentar [dissertação]. Pelotas: Universidade Federal de Pelotas; 2007.

Silva CCS, Oliveira KBB, Alves AS, Neves JA, Modesto CAC, Vianna RPT. Association between consumption and food (in)security in food and nutrition of São José dos Ramos - PB. Braz J Food Technol. 2012; 15(Nesp):23-30.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD 2013. Rio de Janeiro: IBGE; 2014.

Weiser SD, Young SL, Cohen CR, Kushel MB, Tsai AC, Tien PC, et al. Conceptual framework for understanding the bidirectional links between food insecurity and HIV/AIDS1234. Am J Clin Nutr. 2011;94(6):1729S-39S.

Joint United Nations Program on HIV/AIDS (UNAIDS). Get on the Fast-Track: the life-cycle approach to HIV. Geneva: UNAIDS; 2017.

Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (SESA-CE). Boletim Epidemiológico HIV/AIDS 2016. Fortaleza: SESA/CE; 2016.

Santos GEO. Cálculo amostral: calculadora on-line [acessado 2017 Maio 16]. Disponível em: http://www.calculoamostral.vai.la

Segall-Corrêa AM, Marin-Leon L. A segurança alimentar no brasil: proposição e usos da Escala Brasileira de Medida da Insegurança Alimentar (EBIA) de 2003 a 2009. Segur Aliment Nutr. 2009;16(2):1-19.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: Norma Técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional - SISVAN. Brasília: Ministério da Saúde; 2011 [acesso em 2017 Maio 21]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/orientacoes_coleta_analise_dados_antropometricos.pdf

World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Geneva: WHO; 1998.

Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico HIV/AIDS 2016. Brasília: Ministério da Saúde; 2016.

Brito AM, Castilho EA, Szwarcwald CL. AIDS e infecção pelo HIV no Brasil: uma epidemia multifacetada. Rev Soc Bras Med Trop. 2001;34(2):207-17.

Rasteiro JM, Oliveira JM. (In)segurança alimentar e nutricional em pessoas que vivem com HIV/AIDS atendidas no serviço especializado em moléstias infecto-contagiosas de Limeira, SP. Segur Aliment Nutr. 2014;21(1):337-46.

Charão APS, Batista MHRS, Ferreira LB. Food insecurity of HIV/AIDS patients at a unit of outpatient healthcare system in Brasilia, Federal District, Brazil. Rev Soc Bras Med Trop. 2012;45(6):751-3.

Tiyou A, Belachew T, Alemseged F, Biadgilign S. Food insecurity and associated factors among HIV-infected individuals receiving highly active antiretroviral therapy in Jimma zone Southwest Ethiopia. Nutr J. 2012;11(51):1-8.

Weiser SD, Yuan C, Guzman D, Frongillo EA, Riley ED, Bangsberg DR, et al. Food insecurity and HIV clinical outcomes in a longitudinal study of urban homeless and marginally housed HIV-infected individuals. AIDS. 2013;27(18):2953-8.

Anema A, Chan K, Chen Y, Weiser S, Montaner JSG, Hogg RS. Relationship between food insecurity and mortality among HIV-positive injection drug users receiving antiretroviral therapy in British Columbia, Canada. PLoS ONE. 2013;8(5):e61277.

Musumari PM, Wouters E, Kayembe PK, Nzita MK, Mbikayi SM, Suguimoto SP, et al. Food insecurity is associated with increased risk of non-adherence to antiretroviral therapy among HIV-infected adults in the Democratic Republic of Congo: a cross-sectional study. PLoS ONE. 2014;9(1):e85327.

Poblacion AP, Marín-León L, Segall-Corrêa AM, Silveira JA, Taddei JAAC. Insegurança alimentar em domicílios brasileiros com crianças menores de cinco anos. Cad Saude Publica. 2014;30(5):1067-78.

Galesi LF, Quesada KR, Oliveira MRM. Indicadores de segurança alimentar e nutricional. Rev Simbio-Logias. 2009;2(1):1-10.

Vasconcelos SML, Oliveira ACM, Torres NCP, Silva PMC, Santos TMP, Silva JVL, et al. Insegurança alimentar em domicílios de indivíduos portadores de hipertensão e/ou diabetes. Int J Cardiovasc Sci. 2015; 28(2)114-21.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2018.6884

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia