Qualidade de vida de pacientes com bronquiectasia em acompanhamento ambulatorial

Theila Oliveira Simas, Carlos Martins Neto, Olga Lorena Maluf Guará Beserra, Emerson Silva Brito, João Victor Mota, Maysa Ferraz Reis Barroso

Resumo


Objetivo: Avaliar a qualidade de vida dos pacientes com bronquiectasia em acompanhamento ambulatorial. Métodos: Estudo transversal, quantitativo e descritivo, realizado com 31 pacientes com diagnóstico de bronquiectasia, desenvolvido no setor de fisioterapia respiratória da Clínica-escola Santa Edwiges – APAE e no Ambulatório de Pneumologia do Programa de Assistência ao Paciente Asmático do Hospital Universitário (PAPA) em São Luís, Maranhão, de julho a agosto de 2015, em que se aplicaram um questionário socioeconômico e demográfico e o questionário Short-Form-36 (SF-36) para avaliação da qualidade de vida. Realizou-se análise descritiva dos dados no software Epi Info, versão 7.0, sendo apresentados na forma de tabelas, através de valores absolutos (n), relativos (%), média, mediana, valor mínimo, valor máximo e desvio padrão. Resultados: Observou-se idade média de 46,96±15,52 anos, predomínio do sexo feminino (54,8%; n= 17), cor parda (58,0%; n=18), casados (35,4%; n=11) e ensino fundamental completo (51,6%; n=16). Quanto à qualidade de vida, os domínios aspectos emocionais (16,1±30,9), aspectos físicos (19,3±30,7), estado geral de saúde (35,8±19,5) e capacidade funcional (50,3±25,0) apresentaram-se comprometidos, enquanto os domínios vitalidade (55,0±27,4), aspectos sociais (60,2±24,9), saúde mental (66,7±23,6) e dor (68,0±27,7) apresentaram bons resultados. Conclusão: A avaliação do SF-36 apontou uma redução da qualidade de vida em pacientes com bronquiectasia nos seguintes domínios: aspectos emocionais, aspectos físicos, estado geral de saúde e capacidade funcional.

Palavras-chave


Pneumopatias; Bronquiectasia; Qualidade de Vida.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Guimarães FS, Moço VJR, Menezes SLS, Dias CM, Salles REB, Lopes AJ. Efeitos da ELTGOL e do Flutter® nos volumes pulmonares dinâmicos e estáticos e na remoção de secreção de pacientes com bronquiectasia. Rev Bras Fisioter. 2012;16(2):108-13.

Dalcin PTR, Perin C, Barreto SSM. Diagnóstico e tratamento das bronquiectasias: uma atualização. Rev HCPA. 2007;27(1):51-60.

Oliveira-Campos M, Rodrigues-Neto JF, Silveira MF, Neves DMR, Vilhena JM. The impact of risk factors of non-communicable chronic diseases on quality of life. Ciênc Saúde Colet. 2013;18(3):873-82.

Silva DM. Guerreiro V, Souza SS, Francioni FF, Meirelles BHS. Qualidade de vida na perspectiva de pessoas com problemas respiratórios crônicos: a contribuição de um grupo de convivência. Rev Latinoam Enferm. 2005;13(1):7-14.

Conde MB. As doenças respiratórias e a atenção primária à saúde. Rev Educ Saúde. 2015; 3(2):58-63.

Laguardia J, Campos MR, Travassos C, Najar AL, Anjos LA, Vasconcelos MM. Dados normativos brasileiros do questionário Short Form-36 versão 2. Rev Bras Epidemiol. 2013;16(4):889-97.

Pimenta FAP, Simil FF, Tôrres HOG, Amaral CFS, Rezende CF, Coelho TO, et al. Avaliação da Qualidade de Vida de Aposentados com a utilização do Questionário SF-36. Rev Assoc Med Bras. 2008;54(1):55-60.

Lindoso VRP, Valois VM, Florenir GSP, Corrêa RGCF, Costa MRSR. Aplicação do questionário de Saint George na avaliação da qualidade de vida em pacientes com Bronquiectasia. Rev Pesq Saúde. 2013;14(1):36-9.

Gomes A Neto, Medeiros ML, Gifoni JMM. Bronquiectasia localizada e multissegmentar: perfil clínico-epidemiológico e resultado do tratamento cirúrgico em 67 casos. J Pneumol. 2001;27(1):1-6.

Cardoso AP, Polisseni N, Loivos LPP. Bronquiectasia, uma doença órfã? Pulmão. 2014;23(3):3-7.

Medeiros SF, Maitelli A, Nince APB. Efeitos da terapia hormonal na menopausa sobre o sistema imune. Rev Bras Ginecol Obstet. 2007;29(11):593-601.

Abrantes FCB, Paes FGS, Oliveira CA, Bernardes LCR, Rocha MR Júnior, Costa MVD, et al. Prevalência de bronquiectasia em pacientes do programa de assistência ao paciente asmático. Rev Pesq Saúde. 2009; 10(1):23-27.

Bogossian M, Santoro IL, Jamnik S, Romaldini H. Bronquiectasias: estudo de 314 casos tuberculose x não-tuberculose. J Pneumol. 1998;24(1):11-6.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira: 2015. Rio de Janeiro: IBGE; 2015.

Barros MBA, César CLG, Carandina L, Torre GD. Desigualdades sociais na prevalência de doenças crônicas no Brasil, PNAD-2003. Ciênc Saúde Colet. 2006;11(4):911-26.

Faria NS Júnior, Bigatão AM, Santos SR, Leitão FSS Filho, Jardim JR, Oliveira LVF. Clinical significance in non-cystic fibrosis bronchiectasis followed in a real practice. Fisioter Mov. 2013;26(4):895-904.

King P, Holdsworth S, Freezer N, Holmes P. Bronchiectasis. Intern Med J. 2006;36(11):729-37.

Kolbe J, Wells AU. Bronchiectasis: a neglected cause of respiratory morbidity and mortality. Respirology. 1996;1(4):221-5.

Feltrim MI, Borges ACS, Cardoso CAL. Qualidade de vida em pacientes portadores de Pneumopatias avançadas em lista de espera de transplante pulmonar. Rev Bras Fisioter. 2006;10(10):90-9.

Gava M, Picanço A. Fisioterapia Pneumológica. Barueri: Manole; 2007.

Esteves M, Viana RA. Avaliação da qualidade de vida relacionada com a saúde na doença pulmonar obstrutiva crônica. Rev Fac Ciênc Saúde. 2010;(7):466-75.

Faria NS Júnior, Pasqual RM, Apostólico N, Hirata RP, Aguiar IC, Vicente R, et al. Características clínicas de pacientes portadores de bronquiectasias acompanhados de um ambulatório especializado de Pneumologia. ConScientiae Saúde. 2011;10(2):299-304.

Ramos-Cerqueira ATA, Crepaldi AL. Qualidade de vida em doenças pulmonares crônicas: aspectos conceituais e metodológicos. J Pneumol. 2000;26(4):207-13.

Branco BPC, Raso TCM, Vasconcelos TC, Araújo FV. Bronquiectasia: uma abordagem de conjunto. Rev Bras Ciênc Saúde. 2010;14(3):77-82.

Leal RKR. Avaliação inicial dos pacientes com bronquiectasia e aspectos do acompanhamento clínico-investigação etiológica e avaliação de qualidade. Pulmão. 2014;23(3):8-12.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2018.7137

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia