Existe relação da via de parto com a amamentação na primeira hora de vida?

Guilherme Tavares de Arruda, Sabrina Cabreira Barreto, Vanessa Lago Morin, Gustavo do Nascimento Petter, Melissa Medeiros Braz, Hedioneia Maria Foletto Pivetta

Resumo


Objetivo: Investigar a relação da via de parto com fatores sociodemográficos e amamentação. Métodos: Pesquisa quantitativa, transversal e descritiva, realizada com mães de crianças de 0 a 2 anos que acessaram unidades de saúde em uma campanha de vacinação em uma cidade no Sul do Brasil, em junho de 2013. Participaram 905 mulheres, divididas em dois grupos, conforme via de parto: grupo parto vaginal (n=334) e grupo cirurgia cesariana (n=571). Responderam a um questionário contendo informações sociodemográficas (idade, cor, escolaridade, situação conjugal, classe social e área de residência) e relacionadas à amamentação, como tempo de aleitamento materno exclusivo, amamentação na primeira hora de vida e sucesso da amamentação. Utilizou-se Teste Z para amostras independentes de variáveis paramétricas e Teste Z de Kolmogorov-Smirnov quando não-paramétricas, com nível de significância p=0,05. Resultados: O grupo parto vaginal era de cor branca (n=210; 62,87%), com união estável (n=124; 37,13%), ensino fundamental (n=177; 52,99%), da classe social C1 (n=114; 34,13%) e residente na área urbana (n=321; 96,11%). O grupo cirurgia cesariana constituiu-se de mulheres brancas (n=439; 76,88%), casadas (n=316; 55,34%), com ensino médio (n=223; 39,05%), da classe social B2 (n=184; 32,22%) e residentes na área urbana (n=544; 95,27%). O aleitamento materno na primeira hora de vida predominou no grupo parto vaginal (n=265; 79,34%), com diferença significativa (p≤0,001). Conclusão: A via de parto possuiu relação com amamentação na primeira hora de vida no grupo estudado, bem como com a idade, a cor da pele, a escolaridade e a classe social maternas.

Palavras-chave


Parto; Aleitamento materno; Dados Demográficos.

Texto completo:

PDF

Referências


Lagomarsino BS, Van der Sand ICP, Girardon-Perlini NMO, Linck C, Resse LB. A cultura mediando preferências pelo tipo de parto: entrelaçamento de fios pessoais, familiares e sociais. REME. 2013;17(3):680-7.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria Executiva. DATASUS: Sistema de Informação de Nascidos Vivos (SINASC) 2018 [acesso em 2018 Abr 5]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sinasc/cnv/pnvuf.def

Barros FC, Matijasevich A, Maranhão AGK, Escalante JJ, Rabello DL Neto, Fernandes RM, et al. Cesarean sections in Brazil: will they ever stop increasing? Rev Panam Salud Publica. 2015;38(3):217-25.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 306, de 28 de março de 2016. Aprova as Diretrizes de Atenção à Gestante a operação cesariana [acesso em 2017 Set 18]. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2016/marco/31/MINUTA-de-Portaria-SAS-Cesariana-03-03-2016.pdf

Ministério da Saúde (BR), Comissão Internacional de Incorporação de Tecnologias no SUS. Diretrizes de atenção à gestante: a operação cesariana. Brasília: Ministério da Saúde; 2015 [acesso em 2017 Set 18]. Disponível em: http://conitec.gov.br/images/Consultas/Relatorios/2015/Relatorio_PCDTCesariana_CP.pdf

Sá NNB, Gubert MB, Santos W, Santos LMP. Fatores ligados aos serviços de saúde determinam o aleitamento materno na primeira hora de vida no Distrito Federal, Brasil, 2011. Rev Bras Epidemiol. 2016;19(03):509-24.

Esteves TMB, Daumas RP, Oliveira MIC, Andrade CAF, Leite IC. Fatores associados ao início tardio da amamentação em hospitais do Sistema Único de Saúde no Município do Rio de Janeiro, Brasil, 2009. Cad Saúde Pública. 2015;31(11):2390-400.

Reynolds RD, Pilcher J, Ring A, Johnson R, McKinley P. The Golden Hour: care of the LBW infant during the first hour of life one unit’s experience. Neonatal Netw. 2009;28(4):211-19.

White-Traut R, Pham T, Yoder J. Exploring factors related to oral feeding progression in premature infants. Adv Neonatal Care. 2013;13(4):288-94.

Silva CM, Pereira SCL, Passos IR, Santos LC. Fatores associados ao contato pele a pele entre mãe/filho e amamentação na sala de parto. Rev Nutr. 2016;29(4):457-71.

Primo CC, Nunes BO, Lima EFA, Leite FMC, Pontes MB, Brandão MAG. Which factors influence women in the decision to breastfeed? Invest Educ Enferm. 2016;34(1):198-217.

Margotti E, Epifanio M. Exclusive maternal breastfeeding and the Breastfeeding Self-efficacy Scale. REME. 2014;15(5):771-9.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde. II Pesquisa de prevalência de aleitamento materno nas capitais brasileiras e Distrito Federal. Brasília: Ministério da Saúde; 2009 [acesso em 2017 Set 19]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pesquisa_prevalencia_aleitamento_materno.pdf

Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério Brasil 2015 e atualização da distribuição de classes para 2016. São Paulo: ABEP; 2014 [acesso em 2017 Set 19]. Disponível em: http://www.abep.org/Servicos/Download.aspx?id=09

World Health Organization. Infant and young child feeding: model chapter for textbooks for medical students and allied health professionals. Geneva: WHO Press; 2009 [acesso em 2017 Set 9]. Disponível em: http://goo.gl/DcQWtZ

Freitas PF, Fernandes TMB. Associação entre fatores institucionais, perfil da assistência ao parto e as taxas de cesariana em Santa Catarina. Rev Bras Epidemiol. 2016;19(3):525-38.

Betrán AP, Ye J, Moller A-B, Zhang J, Gülmezoglu AM, Torloni MR. The increasing trend in caesarean section rates: global, regional and national estimates: 1990-2014. PLoS One. 2016;11(2):e0148343.

Rattner D, Moura EC. Nascimentos no Brasil: associação do tipo de parto com variáveis temporais e sociodemográficas. Rev Bras Saúde Mater Infant. 2016;16(1):39-47.

Xie RH, Gaudet L, Krewski D, Graham ID, Walker MC, Wen SW. Higher cesarean delivery rates are associated with higher infant mortality rates in industrialized countries. Birth. 2015;42(1):62-9.

Gama SGN, Viellas EF, Schilithz AOC, Theme MM Filha, Carvalho ML, Gomes KRO, et al. Fatores associados à cesariana entre primíparas adolescentes no Brasil, 2011-2012. Cad Saúde Pública. 2014;30(Supl 1):117-27.

Edmonds JK, Yehezkel R, Liao X, Simas TA. Racial and ethnic differences in primary, unscheduled cesarean deliveries among low-risk primiparous women at an academic medical center: a retrospective cohort study. BMC Pregnancy Childbirth. 2013;13:168.

Pereira CRVR, Fonseca VM, Oliveira MIC, Souza IEO, Mello RR. Avaliação de fatores que interferem na amamentação na primeira hora de vida. Rev Bras Epidemiol. 2013;16(2):525-34.

Moore ER, Bergman N, Anderson GC, Medley N. Early skin-to-skin contact for mothers and their healthy newborn infants. Cochrane Database Syst Rev. 2016;11:CD003519.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2018.7321

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia