A participação em pesquisas com metodologias participativas: reflexão sobre experiências

José Renato Gatto Júnior, Leandra Andréia de Sousa, Sébastien Pesce, Cinira Magali Fortuna

Resumo


Objetivo: Refletir acerca da participação, tomando como base algumas experiências de pesquisa com metodologia participativa. Métodos: As etapas para a composição desta reflexão foram: 1-) seleção de características significativas na experiência/vivência durante pesquisas com metodologias participativas 2-) apresentação e discussão das características selecionadas; e 3-) sintetização de apontamentos relevantes. Foram consideradas as seguintes características significativas: a questão da participação enquanto processo (níveis de participação ao longo do processo investigativo); a flexibilidade no uso de técnicas de coleta de dados: ponto-chave na construção do processo participativo; os ciclos: novos participantes, novas formas de participação. Resultados: Com base nessas considerações, no processo de participação, ao longo do decorrer da pesquisa é esperado que a participação ou nível de participação varie progressivamente (número de participantes e intensidade de participação – o que provoca submissões de emendas em comitês de ética). Enquanto alguns defendem a flexibilidade como um critério de rigor nas pesquisas participantes, outros referem que a abordagem flexível ainda é considerada como de menor rigor científico. Conclusão: A participação enquanto um processo em construção, usando-se da flexibilidade e outros dispositivos provocadores de transformação, é vista como uma potente ferramenta a ser intensamente desenvolvida durante uma investigação com metodologia participativa.

Palavras-chave


Participação cidadã; Pesquisa qualitativa; Pesquisa Participativa baseada na Comunidade.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Bergold J, Thomas S. Participatory Research Methods: A Methodological Approach in Motion. Forum: Qualitative Social Research [periódico na Internet]. 2012 [acesso em 2017 Dez 5]; 13(1). Disponível em: http://www.qualitative-research.net/index.php/fqs/article/view/1801/3334.

Monceau G, Soulière M. Mener la recherche avec les sujets concernés: comment et pour quels résultats? . Éducation et socialisation Les Cahiers du CERFEE [periódico na Internet]. 2017 [acesso em 2017 Dez 5]. Disponível em: http://journals.openedition.org/edso/2525

Edwards‐Groves C, Brennan Kemmis R, Hardy I, Ponte P. Relational architectures: recovering solidarity and agency as living practices in education. Pedagogy, Culture & Society [periódico na Internet]. 2010 [acesso em 2017 Dez 5];18(1):43-54. Disponível em : https://doi.org/10.1080/14681360903556814

Bowie JE, Werhane PH. Management Ethics. Malden, MA: Wiley-Blackwell; 2004.

Roloff J. Learning from Multi-Stakeholder Networks: Issue-Focussed Stakeholder Management [periódico na Internet]. Journal of Business Ethics. 2008 [acesso em 2017 Dez 5];82(1):233-50. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s10551-007-9573-3

Coelho JS. Construindo a participação social no SUS: um constante repensar em busca de equidade e transformação. Saúde e Sociedade [periódico na Internet]. 2012 [acesso em 2017 Dez 5];21: 138-51. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902012000500012

Rocha PR, David HMSL. Determination or determinants? A debate based on the Theory on the Social Production of Health. Revista da Escola de Enfermagem da USP [periódico na Internet]. 2015 [acesso em 2017 Dez 5];49: 129-35. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420150000100017

Rolim LB, Cruz RSBLC, Sampaio KJAJ. Participação popular e o controle social como diretriz do SUS: uma revisão narrativa. Saúde em Debate [periódico na Internet]. 2013 [acesso em 2017 Dez 5];37:139-47. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-11042013000100016

Costa DFC, Paulon SM. Participação Social e protagonismo em saúde mental: a insurgência de um coletivo. Saúde em Debate [periódico na Internet]. 2012 [acesso em 2017 Dez 5];36:572-82. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-11042012000400009

Fals Borda O. Investigación Participativa. Montevideo: La Banda Oriental; 1987.

Brandão CR. Repensando a Pesquisa Participante. São Paulo, SP: Brasiliense; 1984.

Brandão CR. Pesquisa Participante. São Paulo, SP: Brasiliense; 1981.

Barbier R. La Recherche Action dans l’Institution Éducative. Paris, FR: Gauthier-Villars; 1977.

Lapassade G. Recherche-action externe et recherche-action interne. Pratiques de Formation-Analyses. 1989(18).

Lewin K, Lewin GW. Resolving social conflicts: selected papers on group dynamics. Nova York, EUA: Harper and Brothers; 1948.

Melo ASE, Maia Filho ON, Chaves HV. Lewin e a pesquisa-ação: gênese, aplicação e finalidade. Fractal: Revista de Psicologia [periódico na Internet]. 2016 [acesso em 2017 Dez 5];28:153-9. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1984-0292/1162

Banks S, Armstrong A, Carter K, Graham H, Hayward P, Henry A, et al. Everyday ethics in community-based participatory research. Contemporary Social Science [periódico na Internet]. 2013 [acesso em 2017 Dez 5];8(3):263-77. Disponível em: http://www.tandfonline.com/doi/pdf/10.1080/21582041.2013.769618

Gatto Júnior JR, Sousa LA, Pesce S, Fortuna CM. Reflexões Críticas sobre Participação em Pesquisas com Metodologias Participativas. In: 6º Congresso Íbero-Americano de Investigação Qualitativa; 2017 Jul 12-14; Salamanca; 2017.

Bondía JL. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação [periódico na Internet]. 2002 [acesso em 2017 Dez 5];(19):20-8. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782002000100003

Bondía JL. Experiência e alteridade em Educação. Revista Reflexão e Ação [periódico na Internet]. 2011 [acesso em 2017 Dez 5];19(2):04-27. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/2444/1898

Dick B. Postgraduate programs using action research. The Learning Organization [periódico na Internet]. 2002 [acesso em 2017 Dez 5];9(4):159-70. Disponível em: https://doi.org/10.1108/09696470210428886

Minayo MCS, Zito Guerriero IC. Reflexividade como éthos da pesquisa qualitativa. Ciência & Saúde Coletiva [periódico na Internet]. 2014 [acesso em 2017 Dez 5]; 19(4):1103-12. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=63030543011

Dick B. Action research and evaluation online email-based course. Australia: Southern Cross University and the Southern Cross Institute of Action Research; 2002. Disponível em: http://www.aral.com.au/areol/areolind.html

Argyris C, Putman R, Smith DM. Action science: concepts, methods and skills for research and intervention. San Francisco, CA: Jossey-Bass; 1985.

Kristiansen M, Bloch-Poulsen J. Participação na Pesquisa-ação: entre a metodologia e a visão de mundo, participação e codeterminação. Trabalho & Educação [periódico na Internet]. 2013 [acesso em 2017 Dez 5]; 22(1). Disponível em: https://seer.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/7502/5808

Kim J. Youth Involvement in Participatory Action Research (PAR): Challenges and Barriers. Critical Social Work [periódico na Internet]. 2016 [acesso em 2017 Dez 5]; 17(1). Disponível em: http://www1.uwindsor.ca/criticalsocialwork/youth_involvement

Edwards-Groves C, Olin A, Karlberg-Granlund G. Partnership and recognition in action research: understanding the practices and practice architectures for participation and change. Educational Action Research [periódico na Internet]. 2016 [acesso em 2017 Dez 5];24(3):321-33. Disponível em: https://doi.org/10.1080/09650792.2015.1129983

Dick B, Sankaran S, Shaw K, Kelly J, Soar J, Davies A, et al. Action research as metamethodology: managing the complexity of an applied research project. In: 14th European Academy of Management Conference (EURAM 2014): Waves and Winds of Strategic Leadership for Sustainable Competitiveness; 2014 Jun 4-7; Valencia, ES; 2014.

Kemmis S, McTaggart R, Nixon R. The action research planner: doing critical participatory action research. Singapore: Springer; 2014.

McAllister S. Developing home-school partnership: from concepts to practice. New York, NY: Teachers' College Press; 1993.

Monceau G. Técnicas socioclínicas para a análise institucional das práticas sociais. Psicologia em Revista [periódico na Internet]. 2015 [acesso em 2017 Dez 5];21:197-217. Disponível em: http://dx.doi.org/DOI-10.5752/P.1678-9523.2015V21N1P197




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2018.8643

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia