Identificação de comportamentos alimentares, tempo em frente à televisão e atividades físicas de adolescentes

Francielle Klouck, Joni Márcio de Farias, Eduarda Valim Pereira, Vanise dos Santos Ferreira Viero

Resumo


Objetivo: Identificar os comportamentos relacionados aos hábitos alimentares, às atividades físicas, ao tempo em frente à tela de televisão (TV) e ao deslocamento ativo de adolescentes. Métodos: Estudo transversal, realizado em escola estadual do município de Praia Grande, Santa Catarina, Brasil. A amostra foi composta por 86 adolescentes, de ambos os sexos, com idade entre 14 a 19 anos, matriculados no ensino médio. O instrumento de pesquisa utilizado foi elaborado a partir da composição de indicadores validados, composto por 30 perguntas objetivas sobre dados sociodemográficos, hábitos alimentares e de atividades físicas, deslocamento ativo e tempo em frente à tela. Os dados foram tabulados no SPSS, versão 21.0, avaliando frequência absoluta, relativa, média, desvio padrão, teste t de Student e correlação “r” de Pearson, adotando-se o nível de significância de 95% (p≤0,05). Resultados: Dos 86 adolescentes, 40,7% relataram que raramente consomem uma dieta balanceada, 53,5% têm como lazer preferido as atividades físicas, 33,7% deslocam-se a pé para a escola e 31,4% utilizam a bicicleta. Referente ao tempo em frente à tela, meninos têm maior exposição (8h e 10h) do que as meninas (5h e 6h) em dias de semana e finais de semana, respectivamente. Conclusão: As características geográficas, as atividades físicas habituais e a segurança pública contribuem para um estilo de vida saudável no contra turno, exceto nos hábitos alimentares, indicando a necessidade do estabelecimento de estratégias que estimulem nesses jovens a adoção de hábitos saudáveis de vida.

Palavras-chave


Adolescente; Estilo de Vida; Saúde Coletiva.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Sousa ZAA, Silva JG, Ferreira MA. Saberes e práticas de adolescentes sobre saúde: implicações para o estilo de vida e cuidado de si. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2014;18(3):400-6.

Silva LVM, Packe C, Tkac C, Braga RK, Urbinati KS. Associação entre variáveis de composição corporal e aptidão física em adolescentes. Rev Aten Saúde. 2014;12(41):51-6.

Vitorino PVO, Barbosa MA, Sousa ALL, Jardim PCBV, Ferreira SS. Prevalência de estilo de vida sedentário entre adolescentes. Acta Paul Enferm. 2014;27(1):166-71.

Farias JC Jr, Reis RS, Hallal PC. Physical activity, psychosocial and perceived environmental factors in adolescents from Northeast Brazil. Cad Saúde Pública. 2014;30(5):941-51.

Cureau FV, Silva TLN, Bloch KV, Fujimori E, Belfort DR, Carvalho KMB, et al. ERICA: inatividade física no lazer em adolescentes brasileiros. Rev Saúde Pública. 2016;50(Supl 1):1s-11s.

Alwan A. Global status report on noncommunicable diseases 2010. Geneva: World Health Organization; 2011.

Brito ALS, Hardman CM, Barros MVG. Prevalência e fatores associados à simultaneidade de comportamentos de risco à saúde em adolescentes. Rev Paul Pediatr. 2015;33(4):423-30.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Coordenação de População e Indicadores Sociais. Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar: 2015. Rio de Janeiro: IBGE; 2016.

Louzada MLC. Nutrição e saúde: o papel do ultraprocessamento de alimentos [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2015.

Azeredo CM, Rezende LFM, Canella DS, Claro RM, Castro IRR, Luiz OC, et al. Dietary intake of Brazilian adolescents. Public Health Nutr. 2015;18(7):1215-24.

Bezerra IN, Gurgel AOC, Barbosa RGB, Silva GB Jr. Dietary behaviors among young and older adults in Brazil. J Nutr Health Aging. 2018;22(5):575-80.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE; 2011.

Pereira EV, Antunes RC, Viero VSF, Volpato AMJ, Faras JM. Prevalência de comportamentos de risco, hábitos alimentares e satisfação corporal dos adolescentes de Criciúma/SC. In: Conselho Regional de Educação Física de Santa Catarina. Boas práticas na educação física catarinense 2017. 3rd ed. Florianopolis: CREF3/SC; 2017. p. 95-111.

Assis MM, Penna LF, Neves CM, Mendes APCC, Oliveira RMS, Netto MP. Avaliação do conhecimento nutricional e comportamento alimentar após educação alimentar e nutricional em adolescentes de Juiz de Fora - MG. HU Rev. 2014;40(3-4):135-43.

Carneiro CS, Peixoto MRG, Mendonça KL, Póvoa TIR, Nascente FMN, Jardim TSV, et al. Excesso de peso e fatores associados em adolescentes de uma capital brasileira. Rev Bras Epidemiol. 2017;20(2):260-73.

Rocha NP, Milagres LC, Longo GZ, Ribeiro AQ, Novaes JF. Associação entre padrão alimentar e risco cardiometabólico em crianças e adolescentes: uma revisão sistemática. J Pediatr. 2017;93(3):214-22.

Barufaldi LA, Abreu GA, Oliveira JS, Santos DF, Fujimori E, Vasconcelos SML, et al. ERICA: prevalência de comportamentos alimentares saudáveis em adolescentes brasileiros. Rev Saúde Pública. 2016;50(supl 1):1s-9s.

Marchioni DML, Gorgulho BM, Teixeira JA, Verly E Jr, Fisberg RM. Prevalência de omissão do café da manhã e seus fatores associados em adolescentes de São Paulo: estudo ISA-Capital. Nutrire. 2015;40(1):10-20.

Elicker E, Palazzo LS, Aerts DRGC, Alves GG, Câmara S. Uso de álcool, tabaco e outras drogas por adolescentes escolares de Porto Velho-RO, Brasil. Epidemiol Serv Saude. 2015;24(3):399-410.

Zeitoune RCG, Ferreira VS, Silveira HS, Domingos AM, Maia AC. O conhecimento de adolescentes sobre drogas lícitas e ilícitas: uma contribuição para a enfermagem comunitária. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2012;16(1):57-63.

Brasil. Lei nº 9.294, de 15 de Julho de 1996. Dispõe sobre as restrições ao uso e à propaganda de produtos fumígeros, bebidas alcoólicas, medicamentos, terapias e defensivos agrícolas, nos termos do § 4° do art. 220 da Constituição Federal. Diário Oficial da União; Brasília, 15 Jul. 1996; Seção 1.

Malta DC, Machado IE, Porto DL, Silva MMA, Freitas PC, Costa AWN, et al. Consumo de álcool entre adolescentes brasileiros segundo a Pesquisa Nacional de Saúde Escolar (PeNSE 2012). Rev Bras Epidemiol. 2014;17(supl 1):203-14.

Becker LA, Fermino RC, Lima AV, Rech CR, Añez CRR, Reis RS. Perceived barriers for active commuting to school among adolescents from Curitiba, Brazil. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2017;22(1):24-34.

Del Duca GF, Barros MVG, Silva KS, Garcia LMT, Bezerra J, Nahas MV. Effectiveness on physical activity indicators of an intervention delivered to high school students. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2014;16(supl 1):13-24.

Council on Communications and Media. Children, adolescents, and the media. Pediatrics. 2013;132(5):958- 61.

Friedrich RR, Polet JP, Schuch I, Wagner MB. Efeito dos programas de intervenção no âmbito escolar para reduzir o tempo gasto em frente a telas: uma meta-análise. J Pediatr. 2014;90(3):232-41.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2018.8751

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia