O empoderamento da mulher queimada por autoimolação e sua sustentação na religião e espiritualidade

Rafaele Teixeira Borges, Cristiane Silva Lira, Raimunda Magalhães da Silva, Jonas Loiola Gonçalves, Paulo Félix de Almeida Pena

Resumo


Objetivo: Identificar a relação da espiritualidade e da religiosidade no empoderamento da mulher queimada por autoimolação. Métodos: Estudo qualitativo, realizado com cinco mulheres com sequelas de queimaduras por autoextermínio. A coleta de dados se deu nos meses de agosto e setembro de 2013 usando-se um roteiro de entrevista semiestruturada. A análise baseou-se no método de “narrativa da doença” com suporte nos discursos das mulheres. Resultados: As mulheres com cicatriz hipertrófica apresentaram reações diversas e, com os discursos destas, emergiram as categorias: a) “Deus tirou tudo aquilo da minha cabeça”, que relatava a religião como ponto alto da salvação; b) “Estigma em relação ao corpo queimado”, na qual reconhece a estigmatização e a resposta da vítima diante da rejeição da sociedade. c) “O corpo e o autopreconceito”, representativas da não aceitação da nova imagem corporal, auto-rejeição, autopreconceito e a espiritualidade no processo de empoderamento da mulher queimada. Conclusão: A mulher vítima de queimadura demonstra múltiplas nuances em relação a autoimagem e autoestima. A fé na religião e na espiritualidade ajuda na superação dos conflitos pessoais e sociais.

Palavras-chave


Queimaduras; Empoderamento; Estigma Social; Espiritualidade



DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2018.8765

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia