Validação de uma cartilha sobre a detecção precoce do transtorno do espectro autista

Samila Sousa Vasconcelos, Ilvana Lima Verde Gomes, Erika de Vasconcelos Barbalho, Samara Sousa Vasconcelos Gouveia, Guilherme Pertinni de Morais Gouveia

Resumo


Objetivo: Validar uma cartilha educativa destinada aos profissionais e trabalhadores da Atenção Básica que favoreça a detecção precoce da criança com autismo. Métodos: Pesquisa de desenvolvimento metodológico, com abordagem qualitativa, de validação de tecnologia. Realizou-se em Sobral, cidade do interior do Ceará, e na capital, Fortaleza, dividindo-se em três momentos: construção da cartilha educativa, validação por 13 juízes especialistas e elaboração da versão final da cartilha. A coleta de dados, que ocorreu entre julho e agosto de 2015, deu-se através de uma ficha de avaliação, em que os juízes avaliaram e fizeram correções e sugestões referentes à cartilha. Esses dados foram analisados pelo método de análise de conteúdo de Bardin. Resultados: Os juízes avaliaram os itens “conteúdo”, “ilustrações”, “aparência”, “organização” e “motivação” da cartilha como adequados. As correções e sugestões feitas foram incluídas na versão final da cartilha. Conclusão: A cartilha educativa “Detecção precoce da criança com transtorno do espectro autista – TEA” mostrou-se um material educativo válido e confiável para ser utilizado a fim de favorecer o diagnóstico precoce do paciente com TEA.

Palavras-chave


Transtorno Autístico; Diagnóstico Precoce; Tecnologia Educacional.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Kanner L. Autistic disturbances of affective contact. Nerv Child. 1943;2:217-50.

American Psychiatric Association. DSM-V-TR. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders. American Psychiatric Publising. 5ª ed. Washington: APA; 2013.

Zanon RB, Backes B, Bosa CA. Identificação dos Primeiros sintomas do autismo pelos pais. Psicol Teor Pesqui. 2014;30(1):25-33.

Backes B, Zanon RB, Bosa CA. Características sintomatológicas de crianças com autismo e regressão da linguagem oral. Psicol Teor Pesqui. 2017; 33:1-10.

Zanon RB, Backes B, Bosa CA. Diagnóstico do autismo: relação entre fatores contextuais, familiares e da criança. Psicol Teor Prat. 2017;19(1):152-63.

Seize MM, Borsa JC. Instrumentos para rastreamento de sinais precoces do autismo: revisão sistemática. Psico USF. 2017;22(1):161-76.

Semensato MR, Bosa CA. Relatos de pais de crianças com autismo sobre a rede de apoio formal: aspectos da elaboração parental do diagnóstico. Rev Educ Espec. 2013;26(47):651-64.

Mallmann DG, Galindo NM Neto, Sousa JC, Vasconcelos EMR. Educação em saúde como principal alternativa para promover a saúde do idoso. Ciênc Saúde Colet. 2015;20(6):1763-72.

Massara CL, Murta FLG, Enk MJ, Araujo AD, Modena CM, Carvalho OS. Caracterização de materiais educativos impressos sobre esquistossomose, utilizados para educação em saúde em áreas endêmicas no Brasil. Epidemiol Serv Saúde. 2016; 25(3):575-84.

Munari DB, Melo TS, Oliveira MB, Barbosa CC, Queiroz ACCM, Araújo BFM. Capacitação de agentes comunitários de saúde para o cuidado em saúde mental na atenção básica: potencializando pessoas para cuidar de pessoas. Tempus. 2010;4(1):135-45.

Reberte LM, Hoga LAK, Gomes ALZ. O processo de construção de material educativo para a promoção da saúde da gestante. Rev. Latinoam. Enferm. 2012;20(1):101-8.

Reberte LM. Celebrando a vida: construção de uma cartilha para promoção da saúde da gestante [dissertação] [Internet]. São Paulo: Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo; 2008 [acesso em 2014 Out 15]. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7132/tde-05052009-112542/pt-br.php

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2015.

Conselho Nacional de Saúde (BR). Resolução 466, de 12 de Dezembro de 2012. Dispõe sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial União; 13 jun. 2013. Seção 1.

Albuquerque AFLL, Pinheiro AKB, Linhares FMP, Guedes TG. Tecnologia para o autocuidado da saúde sexual e reprodutiva de mulheres estomizadas. Rev Bras. Enferm. 2016;69(6):1164-71.

Echer IC. Elaboração de manuais de orientação para o cuidado em saúde. Rev Latinoam Enferm. 2005;13(5):754-7.

Medeiros RKS, Ferreira MA Jr, Pinto DPSR, Vitor AF, Santos VEP, Barichello E. Modelo de validação de conteúdo de Pasquali nas pesquisas em enfermagem. Referência. 2015;IV(4):127-35.

Lopes MVO, Silva VM, Araujo TL. Validation of nursing diagnosis: challenges and alternatives. Rev Bras Enferm. 2013;66(5):649-55.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2018.8767

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia