A violência no ambiente universitário

Carla Christina Pereira da Silva Godinho, Soraya da Silva Trajano, Cleibiane Vituriano de Souza, Natasha Teixeira Medeiros, Ana Maria Fontenelle Catrib, Ana Paula Vasconcellos Abdon

Resumo


Objetivo: Avaliar a visão do estudante sobre a situação de violência no ambiente universitário e os possíveis fatores associados. Métodos: Estudo transversal e analítico em uma instituição de ensino superior privada do município de Fortaleza, Ceará, realizado entre abril a novembro de 2017. Participaram 512 estudantes dos cursos do Centro de Ciências da Saúde. Utilizou-se o Instrumento de Avaliação da Promoção da Saúde na Universidade (IAPSU) para coletar as variáveis sociodemográficas, acadêmicas e a situação de violência. As associações foram testadas pelo Teste do qui-quadrado, por meio do programa SPSS versão 20.0 Resultados: Os estudantes dos cursos da área da saúde apresentaram-se com idade ≤ 24 anos (n=393; 76,8%), sexo feminino (n=357; 69,7%), raça branca (n=261; 51,0%) e católicos (n=332; 64,8%). Uma proporção de 68,4% (n=350) participa em atividades promovidas pela universidade e 56,4% (n=289) em atividades extracurriculares. A situação de violência no ambiente universitário foi apontada por 30,9% (n=158), sendo do tipo psicológica (n=132; 84,1%) e praticada pelos próprios estudantes (n=115; 72,8%). Na análise multivariada foi verificada associação significativa da situação de violência na universidade com o último ano (OR=2,315; p=0,004) e com o tratamento entre os universitários (OR=0,476; p=0,048). Conclusão: A situação de violência do tipo psicológica está presente no ambiente universitário estudado, é perpetrada pelos próprios estudantes, estando associada ao último ano do curso de graduação na área da saúde e ao tratamento entre os estudantes.

Palavras-chave


Violência; Educação Superior; Universidade.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Rosário AC, Candeias A, Melo M. Violência entre pares na adolescência: Um estudo com estudantes no início e no final do 3.º ciclo do ensino básico. Psicologia. 2017;31(2):57-67.

Silva PLN, Almeida SG, Martins AG, Gamba MA, Alves ECS, Silva Junior RF. Práticas educativas sobre violência contra a mulher na formação de universitários. Rev Bioét. 2016;24(2):276-85.

Lima MCP, Ramos-Cerqueira ATA, Dantas CL, Lamardo JR, Reis LEC, Torres AR. O Trote e a Saúde Mental de Estudantes de Medicina. Rev Bras Educ Med. 2017;41(2):210-220.

Villaça, FM, Palácios, M. Concepções sobre assédio moral: bullying e trote em uma escola médica. Rev Bras Educ Med. 2016;34(4):506-514.

Bandeira LM. Trotes, assédios e violência sexual nos campi universitários no Brasil. Gênero. 2017;17(2):49-79.

Albuquerque PP, Williams LC. A. Homofobia na escola: relatos de universitários sobre as piores experiências. Temas Psicol. 2015;23(3):663-676.

Scherer ZAP. Manifestação de violência no ambiente universitário: o olhar de acadêmicos de enfermagem. Rev Eletrônica Enferm. 2015;17(1):69-77.

Catrib AMF, Olegario NBC, Mont’Alverne DGB, Silva GPF, Abdon APV, Silva JG et al. Desenvolvimento e reprodutibilidade do instrumento de avaliação da promoção da saúde na universidade – IAPSU. Rev Bras Promoç Saúde. 2015;28(3):305-317.

Zotareli V, Faúndes A, Osis MJD, Duarte GA, Sousa MH. Gender and sexual violence among students at a brazilian university. Rev Bras Saude Mater Infant. 2012;12(1):37-46.

Porta CM, Mathiason MA, Lust K, Eisenberg ME. Sexual Violence Among College Students: An Examination of Individual and Institutional Level Factors Associated With Perpetration. Journal of Forensic Nursing. 2017; 13(3): 109-117.

Leone JM, Carroll JM. Victimization and suicidality among female college students. J Am Col Health. 2016;64(2):421-428.

Teixeira MCB, Dias MC, Ribeiro CDM. Entre espelhos: a formação em saúde e sua produção de violência. Revista da Abeno. 2018;18(2):156-165.

Costa SM, Dias OV, Dias ACA, Souza, TR, Freitas, DM, Rosa TTAS et al. Identificação de maus-tratos entre acadêmicos de saúde. Rev Fac Ciênc Méd Sorocaba. 2017;19(3):133-8.

Mateus GAP, Pingoello I. Ocorrência de bullying no ensino superior. Uningá Review. 2015;22(3):30-36.

Nama N, MacPherson P, Sampson M, McMilan HJ. Medical students’ perception of lesbian, gay, bisexual, and transgender (LGBT) discrimination in their learning environment and their self-reported comfort level for caring for LGBT patients: a survey study. Med Educ Online. 2017; 22(1):1368850.

Peres MFT, Barreto, ADLB, Babler F, Quaresma IYV, Arakaki JNL, Eluf-Neto J. Exposição à violência, qualidade de vida, depressão, e burnout entre estudantes de medicina em uma universidade estadual paulista. Rev Med (São Paulo). 2014;93(3):115-24.

Lian Q, Su Q, Li R, Elgar FJ, Liu Z, Zheng D. The association between chronic bullying victimization with weight status and body self-image: a cross-national study in 39 countries. PeerJ. 2018;6:e4330.

Franca C, Colares V. Estudo comparativo de condutas de saúde entre universitários no início e no final do curso. Rev Saúde Pública 2008;42(3)420-7.

Rosa R, Boing AF, Schaiber LB, Coelho EBS. Violência: conceito e vivência entre acadêmicos da área da saúde. Interface - Comunic Saude Educ. 2010;14 (32)81-90.

Bardagi MP, Hutz CS. Rotina acadêmica e relação com colegas e professores Impacto na evasão universitária. Psico. 2012;43(2):174-184.

Guimarães SER, Boruchovitch E. O estilo motivacional do professor e a motivação intrínseca dos estudantes: uma perspectiva da teoria da autodeterminação. Psicol Reflex Crit. 2004;17(2):143-150.

Fadel CB, Souza JA, Bordin D, Garbin CAS, Garbin AJI, Saliba NA. Satisfaction with the academic experience among graduate students of a brazilian public university. RGO, Rev. Gaúch Odontol. 2018;66(1):50-59.

Smith LS , Wilkins N , Marshall SW , Dellapenna A , Pressley JC , Bauer M , et al. The power of academic-practitioner collaboration to enhance science and practice integration: injury and violence prevention case studies. J Public Health Manag Pract. 2018;24(Suppl):S67–S74.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2018.8768

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia