Sistemas de saúde, cooperação horizontal e o Programa Mais Médicos no Brasil

Juliana Braga de Paula, Marcia Faria Westphal

Resumo


Objetivo: Analisar a Cooperação Brasil Cuba no Programa Mais Médicos (PMM) e seus efeitos para o trabalho médico. Métodos: Como parte do suplemento que discute os Sistemas Universais de Saúde, apresentar a experiência brasileira de provimento de médicos, o desenho da cooperação internacional e as implicações para um sistema de saúde em construção. Para analisar o programa, adota-se a abordagem do Ciclo de Políticas (Howlett e Ramesh(1) e Bowe e Ball(2)) - entrevistas com atores chaves, análise documental e estudo de caso do PMM de duas cidades do Estado do Ceará. Resultados: Na dimensão macropolítica, as entrevistas mostram a prática e a educação médica voltada para a atenção especializada, orientada pelo mercado, com um uso exagerado de tecnologias de alta densidade, comparadas aos médicos cubanos. Os médicos cubanos trazem nova perspectiva para os profissionais de saúde na forma de construir vínculos com usuários e na maneira de lidar com a pobreza e a iniquidade. Conclusão: Na dimensão micropolítica, ambos, brasileiros e cubanos, beneficiam-se de estratégias de educação permanente e compartilhamento de estratégias no planejamento local.

Palavras-chave


Saúde Pública; Política de Saúde; Sistemas de Saúde



DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2018.8780

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia