Tradição e modernidade: a experiência subjetiva na reflexividade

Luciano da Silva Façanha, Joselle Maria Couto e Lima, Rodrigo França Silva

Resumo


Este ensaio tem como propósito fazer uma reflexão sobre a modernidade como experiência subjetiva e suas implicações para o “estilo de vida” na contemporaneidade. A análise versa sobre algumas rupturas com a tradição e algumas experiências novas que o mundo moderno propicia como forma de experiência subjetiva. Ao estabelecer diálogos pontuais entre Anthony Giddens, Bruno Latour, Mike Featherstone, Stuart Hall e Marshall Berman, conceitos como reflexividade, globalização, modernização, agenciamento e identidade serão articulados com o sentido de discutir como se dá o remodelamento da tradição na modernidade, e quais as implicações dessa nova dinâmica para a vida social e psíquica do sujeito.

Palavras-chave


Tradição. Modernidade. Experiência subjetiva.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23180714.2018.8861

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista de Humanidades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0714

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia