Antagonismos entre o magistério católico e as conquistas de mulheres católicas a partir da teoria do discurso*

Marco Antonio Torres

Resumo


O presente artigo é um estudo teórico que pretende demonstrar a interação entre magistério católico contemporâneo e mulheres católicas, no que se refere ao entendimento sobre a não-concessão do sacerdócio às mesmas. Trabalha-se com a hipótese de que o discurso do magistério promove a discriminação das mulheres e sendo o Brasil um país com alto número de católicos, a esfera sócio-cultural é constantemente informada pelo discurso religioso. A partir dos posicionamentos feministas entre católicas, surge um certo antagonismo aos posicionamentos oficiais da Igreja1. Contudo, o modelo centralizador desta instituição lança mão de estratégias que visam manter a hegemonia do viriarcado cristão. A partir da carta de João Paulo II, ORDINATIO SACERDOTALIS, sobre a exclusividade do sacerdócio aos homens, e de posicionamentos da teologia feminista latino-americana, pretendese sinalizar algumas articulações entre o pessoal e o coletivo na identidade da mulher católica e alguns obstáculos que elas enfrentam para desfrutarem de sua cidadania dentro do catolicismo. Palavras-chave: identidade, mulheres, Igreja Católica, cidadania, discriminação

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia