Abrigo para crianças de 0 a 6 anos: um olhar sobre as diferentes concepções e suas interfaces

Lília Iêda Chaves Cavalcante, Celina Maria Colino Magalhães, Fernando Augusto Ramos Pontes

Resumo


Este artigo procura sistematizar referenciais e concepções presentes
na literatura que têm orientado a discussão sobre o que são e como
funcionam os abrigos para crianças na faixa-etária de 0 a 6 anos.
Nesse sentido, apresenta e discute concepções que definem o
abrigo enquanto 1) instrumento da política de proteção social à
infância, 2) instituição asilar infantil, 3) ambiente coletivo de cuidado e
4) contexto ecológico do desenvolvimento humano. O tom paradoxal
que marca a relação entre proteção e risco em estudos sobre a
qualidade do ambiente físico e social em instituições de abrigo é
discutido em função da natureza complexa dessa modalidade de
cuidado infantil e as implicações de suas características contextuais
para o desenvolvimento da criança institucionalizada.
Palavras-chave: infância, criança institucionalizada, abrigo para
crianças, desenvolvimento infantil, cuidado infantil.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.7.2.329%20-%20352

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia