A formulação do objeto a a partir da teorização lacaniana acerca da angústia

Daniela Teixeira Dutra Viola, Ângela Maria Resende Vorcaro

Resumo


O presente artigo examina um recorte do percurso teórico de Lacan sobre o afeto da angústia. Nas obras analisadas, Lacan examina as principais hipóteses freudianas a respeito do surgimento da angústia e sua relação com um objeto, buscando esclarecer as lacunas e os impasses deixados por essas hipóteses. Essa releitura é de grande importância, visto que é a partir dela que Lacan constrói sua própria teoria acerca da angústia, teoria que se mostra essencial para a abordagem de questões de grande importância na psicanálise, como o problema do desejo e da constituição do sujeito. No entanto, é na formulação do conceito de objeto a que essa teorização demonstra ser o ponto nodal. Em vista disso, propõe-se a evidenciar elementos dessa teorização que permitam compreender como ela abre caminho para a concepção de objeto a e para toda a revisão que se dá sobre o estatuto do objeto. Para tanto, recorre-se a dois momentos da obra de Lacan – o seminário oito, A transferência (1960-1961), e o seminário 10, A angústia (1962-1963). Do seminário oito, é apresentado um capítulo que trata da relação da angústia com o desejo. No seminário 10, por sua vez, investiga-se os caminhos que o autor percorre para extrair o conceito singular de objeto a e para formular o estatuto desse objeto, estatuto que o estabelece como um conceito de fundamental importância para a práxis psicanalítica de orientação lacaniana. Palavras-chave: psicanálise; angústia; objeto a; sujeito; desejo.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia