Lacan: Entre Linguagem e Pulsão, por uma Psicanálise do Sujeito

Adriane de Freitas Barroso

Resumo


A história de Lacan no campo de saber da psicanálise confunde-se com a construção do conceito de sujeito nesse campo, já que não foi Freud quem estabeleceu suas bases formais. Ao longo do ensino lacaniano, contudo, percebe-se o deslocamento do autor, que parte do centramento na linguagem e passa a caminhar em direção à preponderância do real, o que tem efeitos sobre a noção de sujeito. Aos poucos, fica evidente a dificuldade de Lacan de abranger toda a questão do inconsciente pela linguagem, o que faz com que o autor reconheça inequivocamente o lugar preponderante da pulsão na construção disso que se chama de sujeito de linguagem ou sujeito barrado.

Palavras-chave


sujeito; linguagem; pulsão; simbólico; real.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.15.1.57-66

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia