A alma exterior em Machado de Assis: um olhar psicanalítico

Lívia Mesquita de Sousa, Terezinha Camargo Viana

Resumo


A noção de alma exterior perpassa toda a obra de Machado de
Assis, indicando a importância atribuída ao olhar do outro sobre o
eu. Os temas da ascensão social, hierarquia, títulos, aparência e
status social estão relacionados a essa noção e formam um conjunto
de aspectos que reiteradamente aparecem em romances e contos
machadianos. O objetivo deste artigo é relacionar a noção de
alma exterior aos seguintes conceitos freudianos: Eu, Ideal do Eu/ Supereu e Narcisismo, buscando demonstrar que há uma afinidade
entre tais conceitos e a noção trazida por Machado de Assis. Tanto
os conceitos freudianos quanto a noção de alma exterior são
discutidos em seu potencial de trazer luz à relação existente entre
subjetividade e sociedade. A constituição do Eu implica a introjeção
dos objetos, em um processo de identificação com os pais pelo
qual não apenas estes, mas os valores da sociedade passam a se
constituir como instâncias permanentes da subjetividade. A noção
de alma exterior tem a propriedade de relacionar a interioridade e a
exterioridade para o ser humano, pois ela é ao mesmo tempo alma,
que poderia ser chamada de psíquico ou subjetividade, e exterior,
por estar vinculada ao que no indivíduo pode ser visto, avaliado ou
admirado pelos outros.

Palavras-chave


psicanálise; literatura; Machado de Assis; subjetividade; sociedade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.11.3.1063-1087

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia