A Carência de Fronteiras na Adolescência da Atualidade: O Adolescente em Pane?

Veridiana Alves de Sousa Ferreira Costa, Maria de Fátima Vilar de Melo

Resumo


Este artigo busca discutir, a partir da Aufhebung freudiana e da perspectiva psicanalítica lacaniana, notadamente a de Rassial, as fronteiras na contemporaneidade, cujo cenário aponta para uma nova ordem que contribui para a carência do simbólico, trazendo transformações no laço social e, consequentemente, repercussões no sujeito. Em vez de afirmar a Lei, essa nova ordem convoca a negá-la ou apagá-la ao buscar derrubar limites e fronteiras. Pensando a adolescência como uma situação de fronteira, em que a dialética de se submeter ou ultrapassar e, até mesmo, negar a Lei constitui uma questão central, discutimos tais efeitos no adolescente que vive o processo de revalidação do Nome-do-Pai, significante do interdito que institui fronteiras. Essa condição o deixa vulnerável a se envolver em infrações. Ao encontrar um Outro que se constitui como lugar de endereçamento que sustenta o interdito e lhe possibilita se defrontar com limites e fronteiras, o adolescente reconhece a Lei, mesmo que, em algum momento, possa transgredi-la, uma vez que a transgressão é inerente à adolescência. Por outro lado, a ausência de um Outro que se coloque nesse lugar e viabilize a afirmação da Lei cria obstáculos ao processo de revalidação do Nome-do-Pai. Certas mudanças no laço social atual têm dificultado esse processo e, assim, fomentado o envolvimento do adolescente com a infração. A vulnerabilidade social provoca a vulnerabilidade psíquica e, em resposta, alguns adolescentes da atualidade parecem se ver perdidos, errantes, em pane, diante das dificuldades que encontram ao longo do processo de validação. Uma pane de referência à Lei tem efetivamente contribuído para o aumento do número de adolescentes que ultrapassam a transgressão e tornam-se infratores (delinquentes), por vezes, violentos ou, até mesmo, muito violentos.


Palavras-chave


Fronteira; Adolescência; Laço Social; Transgressão; Infração

Texto completo:

PDF/A

Referências


Aberastury, A. (1981). Adolescência normal: Um enfoque psicanalítico. Porto Alegre: Artes Médicas.

Alberti, S. (2010). O adolescente e o Outro (3a ed.). Rio de Janeiro: Zahar.

Carvalho, G. M. M., & Melo, M. F. V. (2014). Corpolinguagem e o não limite da palavra no insulto. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 17(3), 626-636.

Carvalho, G. M. M. & Melo, M. F. V. (2016). Des lois du marché aux lois du champ de la production scientifique: Impératifs pervers. In P. Martin-Mattera, Incidences (inter)subjectives de la perversion (pp. 111-121). Toulouse, France: Éditions érès.

Costa, V. A. S. (2005). Lei simbólica, desamparo e pânico na contemporaneidade: Um estudo psicanalítico (Dissertação de Mestrado), Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE.

Douville, O. (2008). De l’adolescence errante: Variations sur les non-lieux de nos modernités.Nantes: Pleins Feux.

Dufour, D. R. (2008). O divino mercado: A revolução cultural liberal. (Procópio Abreu, trad.). Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

Endo, P. (2014). Transmissão, autoridade e violência. In M. C. Poli, S. Moschen & A. C. Lo Bianco (Orgs.), Psicanálise: Política e cultura (pp. 189-198). Campinas: Mercado de Letras.

Emmanuelli, M. (2008). A clínica da Adolescência. In F. Marty & M. R. Cardoso (Orgs.), Destinos da adolescência (pp. 17-38). Rio de Janeiro: 7 Letras.

Frej, N. Z. (2003). Le don du nom et son empêchement: Au sujet des enfants de rue au Brésil (Tese de Doutorado), Universidade Paris XIII, Paris.

Frej, N. Z. (2007). [...] Com um grande X. In A. Costa & D. Rinaldi (Orgs.), Escrita e Psicanálise (pp. 147-156). Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

Freud, S. (2006). O mal-estar na civilização. In Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (J. Salomão, trad., Vol. 21, pp. 65-148). Rio de Janeiro: Imago.

Gageira, L. C. (2004). Adolescência e trauma: a questão do ‘agir’ adolescente na contemporaneidade. In Associação Psicanalítica de Porto Alegre (Org), Adolescência: Um problema de fronteiras (pp. 103-115).Porto Alegre: APPOA.

Lebrun, J. P. (2004). Um mundo sem limite: Ensaio para uma clínica psicanalítica do social (Sandra Regina Felgueiras, trad.). Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

Lebrun, J. P. (2008). A perversão comum: Viver juntos sem o outro (Procopio Abreu, trad.). Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

Lebrun, J. P. (2009). Clínica da instituição: O que a psicanálise contribui para a vida coletiva (Sandra Chapadeiro, trad.). Porto Alegre: CMC Editora.

Lebrun, J. P. (2010). O mal-estar na subjetivação (Mario Fleig, Franciscco Settineri, Cistóvão Viero, trads.). Porto Alegre: CMC Editora.

Lerude, M. (2009). Mas o que é que constitui então autoridade? In: C. Melman, M. Lerude, J-L. Chassaing, B. Giraud, J-M. Forget, M. Fleig … C. Fleig, Adolescente, sexo e morte (pp. 11-32). Porto Alegre: CMC.

Levy, A. (2014). Práticas sociais das perversões: modernidade do laço, organização social e dilemas morais. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 17(3), 674-685.

Marty, F. (2006). Adolescência, violência e sociedade. Àgora. 9 (1), 119-131.

Marty, F, & Cardoso, M. R. (2008). Adolescência: um percurso franco-brasileiro. In F. Marty & M. R. Cardoso (Orgs.), Destinos da adolescência (pp. 9-16). Rio de janeiro: 7Letras.

Melman, C. (2003). O homem sem gravidade: Gozar a qualquer preço. Entrevistas de Jean-Pierre Lebrun. (Sandra Regina Felgueiras, trad.). Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

Nazar, T. P. (Org) (2008). Psicanálise e pesquisa: a função paterna. Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

Rassial, J. J. (1997). A passagem adolescente. Da família ao laço social. (Francine A. H. Roche, trad.). Porto Alegre: Artes e Ofícios.

Rassial, J. J.(1999). O adolescente e o psicanalista (Lêda Mariza F. Bernardino, trad.). Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

Rassial, J. J. (2000). O sujeito em estado limite (Sandra Regina Felgueiras, trad.). Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

Sousa, E. (2014). A transgressão que salva. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 17(3), 787-796.

Teixeira, L. C. (2014). O sujeito adolescente e a intervenção psicanalítica: notas a partir de um caso clínico. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 17(3), 797-804.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v17i3.5571

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia