Contato Interpessoal com Homossexuais e Crenças sobre a Adoção Homoparental

Elder Cerqueira-Santos, Bruno de Brito Silva, Hênio dos Santos Rodrigues, Lizandra Dos Santos, Ludgleydson Fernandes Araújo

Resumo


O presente estudo objetivou investigar a relação entre o contato interpessoal com homossexuais e as crenças sobre a adoção por casais do mesmo sexo. A hipótese principal do estudo foi de que os sujeitos com maior nível de contato interpessoal apresentam características mais favoráveis à homoparentalidade. Utilizou-se instrumento de caráter quantitativo, exploratório e analítico (survey com desenho quase-experimental) através de coleta on-line, da qual participaram 732 indivíduos, os quais foram direcionados aleatoriamente para um de três cenários com histórias acerca de casais adotantes (heterossexuais, gays e lésbicas). Os participantes responderam questionário sociodemográfico, sucedido de instrumentos sobre religiosidade e espiritualidade, posicionamento político e crenças sobre homossexualidade. A análise dos dados encontrou relação estatisticamente significativa entre as variáveis intensidade do contato e adoção homoparental. Verificou-se que os participantes foram mais favoráveis à adoção quando o casal adotante era formado por heterossexuais, seguido de lésbicas, com maior rejeição para os gays. Discute-se o impacto se medidas de apoio à diversidade e incentivo à adoção por casais homoafetivos fossem garantidas.

Palavras-chave


adoção, homossexualidade, preconceito

Texto completo:

PDF/A

Referências


Allport, G. W. (1954). The nature of prejudice. Cambridge: Perseus Books. 1979.

Ariés. P. (1981). História Social da Criança. Rio de Janeiro: LTC, 2ª ed.

Badinter, E. (1985). Um amor conquistado: O mito do amor materno. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Brasil, Projeto de Lei nº. 1152/1995 (1995). Disciplina a união civil entre pessoas do mesmo sexo e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Câmara dos Deputados. Disponível em: . Acesso em 03 de outubro de 2016.

Brasil, Ação Direta de Inconstitucionalidade (Med. Liminar) 4277-7. (2011). Diário Oficial da União. Brasília, DF: Supremo Tribunal Federal. Disponível em http://www.stf.jus.br/portal/peticaoInicial/verPeticaoInicial.asp?base=ADIN&s1=4277&processo=4277. Acesso em: 03 de setembro 2016.

Cecílio, M. S., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2013). Produção científi ca sobre adoção por casais homossexuais no contexto brasileiro. Estudos de Psicologia (Natal), 18 (3), 507-516. doi:10.1590/S1413-294X2013000300011

Cerqueira-Santos, E., &, Santana, G. (2015). Adoção Homoparental e Preconceito: Crenças de Estudantes de Direito e Serviço Social. Temas em Psicologia, 23 (4), 873-885. doi: 10.9788/TP2015.4-06

Cerqueira-Santos, E., Koller, S., Wilcox., B. (2008). Condom use, contraceptive methods and religiosity among youths of low socioeconomic level. Spanish Journal of Psychology, 11(1), ISSN: 1138-7416

Cerqueira-Santos, E., Winter, F. S., Salles, L. A., Longo, J. L., & Teodoro, M. L. M. (2007). Contato interpessoal e crenças sobre homossexualidade: Desenvolvimento de uma escala. Interação em Psicologia, 11 (2), 221-229. doi: 10.5380/psi.v11i2.6639.

Costa, P. A., Caldeira, S., Fernandes, I., Rita, C., Pereira, H., & Leal, I. (2013). Atitudes da população portuguesa em relação à homoparentalidade. Psicologia: Reflexão e Crítica, 26 (4), 790-798. doi:10.1590/S0102-79722013000400020

Costa, P. A., Pereira, H., & Leal, I. (2015). "The Contact Hypothesis" and Attitudes Toward Same-Sex Parenting”. Sexuality Research and Social Policy, 12 (2), 125-136. doi: 10.1007/s13178-014-0171-8

Estatuto da Criança e do Adolescente. (1990, 27 set.). Lei N° 8.069, de 13 de julho de 1990. Diário Oficial da União. Recuperado em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm

Féres-Carneiro, T. (1997). A escolha amorosa e interação conjugal na heterossexualidade e na homossexualidade. Psicologia: Reflexão e Critica, 10 (2), 351-368. doi: 10.1590/S0102-79721997000200012

Lau, H., Lau, C.Q., & Loper, K. (2015). Public Opinion in Hong Kong about Gays and Lesbians: The Impact of Interpersonal and Imagined Contact. International Journal of Public Opinion Research, 26 (3), 301-322. doi: 10.1093/ijpor/edu016

Linville, P. W. & Jones, E. E. (1980) Polarized appraisals of out-group members. Journal of Personality and Social Psychology, 38(5), 689. doi. 10.1037/0022-3514.38.5.689

Loehr, A., Doan, L & Miller, L. (2015). The Role of Selection Effects in the Contact Hypothesis: Results from a US National Survey on Sexual Prejudice. Archives of Sexual Behavior, 44(8), 2111-2123. doi: 10.1007/s10508-015-0483-7

Meyer, I. H. (2003). Prejudice, social stress, and mental health in lesbian, gay, and bisexual populations: Conceptual issues and research evidence. Psychological Bulletin, 129, 674-697. doi: 10.1037/0033-2909.129.5.674

Patterson, C.J. (2000). Family relationships of lesbians and gay men. Journal of Marriage and Family, 62, 1052- 1069. doi: 10.1111/j.1741-3737.2000.01052.x

Patterson, C.J. (2004a). Lesbian and gay parents and their children: Summary of research findings. In: Lesbian and gay parenting: A resource for psychologists. Washington, DC: American Psychological Association.

Patterson, C. J. (2004b). Gay fathers. In M. E. Lamb (Ed.), The role of the father in child development (4th Ed.). New York: John Wiley.

Patterson, C. J. (2006). Children of lesbian and gay parents. Current Directions in Psychological Science, 15, 241-244. doi:10.1111/j.1467-8721.2006.00444.x

Patterson, C. J., Fulcher, M., & Wainright, J. (2002). Children of lesbian and gay parents: Research, law, and policy. In B. L. Bottoms, M. B. Kovera, and B. D. McAuliff (Eds.), Children, Social Science and the Law, 176 - 199. New York: Cambridge University Press.

Perrin, E. C., Committee on Psychosocial Aspects of Child and Family Health (2002). Technical Report: Coparent or second-parent adoption by same-sex parents. Pediatrics, 109, 341 - 344. doi: 10.1542/peds.109.2.341

Pettigrew, T. F., & Tropp, L. R. (2006). A meta-analytic test of intergroup contact theory. Journal of Personality and Social Psychology, 90, 751–783. doi: 10.1037/0022-3514.90.5.751

Pollock, L., & Eyre, S. L. (2012). Growth into manhood: identity development among female-to-male transgender youth. Culture, Health & Sexuality, 14 (2), 209–222. doi: 10.1080/13691058.2011.636072

Rosa, J. M., Melo, A. K., Boris, G. D. J. B., & Santos, M. A. D. (2016). A Construção dos Papéis Parentais em Casais Homoafetivos Adotantes. Psicologia: Ciência e Profissão, 36(1), 210-223. doi:10.1590/1982-3703001132014

Resolução nº 466 do Conselho Nacional de Saúde de 12 de Dezembro de 2012 (Br) [Internet] Aprovada as diretrizes envolvendo pesquisas com seres humanos. Diário Oficial Da União. 13 de Junho de 2013. Acesso em: 03 de setembro de 2016.

Silva, B. B., & Cerqueira-Santos, E. (2014). Apoio e Suporte social na Identidade social de travestis, transexuais e transgêneros. SPAGESP, Revista da- Sociedade de Psicoterapias Analíticas Grupais do Estado de São Paulo- SPAGESP, 15 (2), São Paulo, SP, 27-44. Recuperado de: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-29702014000200004. Acesso em: 03 de outubro de 2016.

Stacey, J., & Biblarz, T.J. (2001). (How) Does sexual orientation of parents matter? American Sociological Review, 65, 159-183.

Smith, S.J., Axelton, A. M., & Saucier, D. A. (2009). The Effects of Contact on Sexual Prejudice: A Meta-Analysis. Sex Roles, 61 (3-4), 178–191. doi: 10.1007/s11199-009-9627-3

Tasker, F. (1999). Children in lesbian-led families - A review. Clinical Child Psychology and Psychiatry, 4, 153 - 166. doi: 10.1177/1359104599004002003

Tasker, F., & Golombok, S. (1997). Growing up in a lesbian family. New York: Guilford Press.

Uziel, A. P., Mello, L., & Grossi, M. (2006). Conjugalidades e parentalidades de gays, lésbicas e transgêneros no Brasil. Revista Estudos Feministas, 14(2), 481-487. doi:10.1590/S0104-026X2006000200008

Weiner, B.A., & Zinner, L. (2015). Attitudes Toward Straight, Gay Male, and Transsexual Parenting. Journal of Homosexuality, 62 (3), 327-339. doi: 10.1080/00918369.2014.972800

West, K., Husnu, S., & Lipps, G. (2015). Imagined Contact Works in High-Prejudice Contexts: Investigating Imagined Contact's Effects on Anti-Gay Prejudice in Cyprus and Jamaica. Sexuality Research and Social Policy, 12(1), 60-69. doi: 10.1007/s13178-014-0172-7

Zambrano, E. (2006). Parentalidades “impensáveis”: Pais/mães homossexuais, travestis e transexuais. Horizonte Antropológico, 12(26), 123-147. doi: 10.1590/S0104-71832006000200006




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v17i2.5991

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia