Devastação: Entre Mal-estar e Sintoma, o Sofrimento Relacionado ao Feminino Irrepresentável

Danuza Effegem de Souza, Paulo Eduardo Viana Vidal

Resumo


Este artigo sobre a devastação feminina estuda a relação dessa forma de apresentação do sofrimento com as especificidades da construção da imagem corporal feminina que, estruturalmente, realiza-se sem o acesso a uma identificação definitiva para o seu sexo. O estudo se detém na problemática narcísica que surge em consequência da perda do amor e busca situar essa forma de sofrimento entre as noções de mal-estar e sintoma, delimitando suas especificidades.


Palavras-chave


devastação, mal-estar, sofrimento, sintoma

Texto completo:

PDF/A

Referências


Alberti, S. (2011). Prefácio. In H. H. A. Ramirez, T. C. Assadi, & C. I. L. Dunker (Orgs.), A pele como litoral: Fenômeno psicossomático e psicanálise (pp. 9- 14). São Paulo: Annablume.

Amigo, S. (2007). Clínica dos fracassos da fantasia. Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

André, S. (1987). O que quer uma mulher? Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

Beauvoir, S. (1967). O segundo sexo (2. ed.). São Paulo: Difusão Europeia do Livro.

Brousse, M. H. (2000). El estrago a la luz de La vacilación de los semblantes. In Lazos n° 5. Rosario: EOL, 2002, 131-144.

Dunker, C. I. L. (2015). Mal-estar, sofrimento e sintoma: Uma psicopatologia do Brasil entre muros. São Paulo: Boitempo.

Flesher, A. (2012). A psicanálise de crianças e o lugar dos pais. Rio de Janeiro: Zahar.

Freud, S. (1996). O mal-estar na civilização. In Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud (Vol. 21). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1930)

Fuentes, M. J. S. (2012). As mulheres e seus nomes: Lacan e o feminino. Belo Horizonte: Scriptum Livros.

Guimarães, L. (2014). Gozos da mulher. Petrópolis: KBR.

Kehl, M. R. (2015). O tempo e o cão: a atualidade das depressões. São Paulo: Boitempo.

Kosovski, G. F. (2014). Construção da imagem de si, desestabilização e adolescência. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 66(1), 61-71. Retrieved from

Lacan, J. (1998). O estágio do espelho como formador da função do eu. In J. Lacan, Escritos (pp. 96-103). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1949)

Lacan, J. (2008). O seminário livro 7: A ética da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1959-1960)

Lacan, J. (1998). Diretrizes para um Congresso sobre a sexualidade feminina. In J. Lacan, Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1962)

Lacan, J. (2005). O seminário livro 10: A angústia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1962-1963)

Lacan, J. (2003). Homenagem a Marguerite Duras pelo deslumbramento de Lol V. Stein. In J. Lacan, Outros Escritos (pp.198- 205). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1965)

Lacan, J. (2008). O seminário livro 10: Mais ainda. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1972-1973)

Lacan, J. (2003). O Aturdito. In J. Lacan, Outros Escritos (pp. 448- 497). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1973)

Lacan, J. (2011). A Terceira. Opção Lacaniana: Revista Brasileira Internacional de Psicanálise, 62, 11-36. São Paulo: Eólia. (Originalmente publicado em 1974)

Laurent, E. (2012). A psicanálise e a escolha das mulheres. Belo Horizonte: Scriptum Livros.

Miller, J. A. (1994). De mujeres y semblantes. Buenos Aires: Cuadernos Del Pasador.

Miller, J. A.(1999) Una distribución sexual. Uno por Uno, Revista Mundial de Psicoanalisis, 47, 17-29.

Miller, J. A. (2004). Los usos del lapso:Los cursos psicoanaliticos de Jacques Alain Miller. Buenos Aires: Paidós.

Pinto, J. M. (2008). Psicanálise, feminino, singular. Belo Horizonte: Autêntica.

Porge, E. (2015). Le ravissement de Lacan: Marguerite Duras a la lettre. Toulouse: Editions Érès.

Ribeiro, M. A. C. (2011). Um certo tipo de mulher. Rio de Janeiro: 7 Letras.

Safatle, W. (2015). Prefácio. In C. I. L. Dunker, Mal-estar, sofrimento e sintoma (pp.9-12). São Paulo: Boitempo.

Soler, C. (2005). O que Lacan dizia das mulheres. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Tendlarz, S. E. (2002). Las mujeres y susgoces. Buenos Aires: Coléccion Diva.

Vieira, M. A. (2015). Arrebatamento e devastação. In M. A. Vieira, & R. R. Barros, Mães (pp.63- 72). Rio de Janeiro: Subversos.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v17i3.6511

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia