As Máscaras e a Estrutura Mítica: Verdade Ficcional e Hiância Subjetiva

Sthefan dos Santos Krinski, Manoel Luce Madeira, Simone Zanon Moschen

Resumo


O trabalho procura delinear uma reflexão sobre a noção de máscara em Lacan, tecendo-a as noções de mito e semblante, a partir do aforismo segundo o qual a verdade tem uma estrutura de ficção. Para tanto, o texto divide-se em três seções. Inicialmente, dedica-se ao estudo do mito em sua função estruturante, articulando-o à origem e à verdade do sujeito. Na segunda seção, o texto situa o mito como produção que confere sentido e suporte subjetivo às máscaras. Ademais, calcados nos seminários As Formações do Inconsciente e Os Quatro Conceitos Fundamentais, o artigo lança a hipótese de que a máscara opera a partir da inscrição de certa hiância constitutiva que se dá entre ela e o sujeito – hiância que, caso desfeita, estaria articulada à eclosão de angústia. Por fim, contrapondo noções tanto cotidianas como hermenêuticas sobre verdade, mentira e dissimulação, o escrito desdobra a noção de máscara à conceitualização de semblante, situando-a ao nível do discurso e de seus matemas.


Palavras-chave


máscara; semblante; mito; verdade; discurso.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Allouch, J. (2004). A Erótica do Luto: No tempo da morte seca. Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

Freud, S. (2007). Neurose e Psicose. In L. A. Hanns (Coord.). Escritos sobre a Psicologia do inconsciente. Vol.III: 1923-1940 (pp. 93-102). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1924).

Freud, S. (2010). La psychopathologie de la vie quotidienne. Paris : Gallimard. (Originalmente publicado em 1901).

Freud, S. (2011). Luto e Melancolia. São Paulo: Cosac Naify. (Originalmente publicado em 1917)

Freud, S. (2012). Totem e tabu. In Obras Completas (Vol. 11, pp. 13-244). São Paulo: Cia das Letras. (Originalmente publicado em 1913)

Freud S. (2015). O escritor e a fantasia. In Obras Completas (Vol. 8, pp. 325-338). São Paulo: Cia das Letras. (Originalmente publicado em 1908)

Freud, S. (2015). O romance familiar dos neuróticos. In Obras Completas (Vol. 8, pp. 419-424). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1909)

Freud, S., & Fliess, W. (1986). Correspondência completa. Rio de Janeiro, Imago. (Originalmente realizado em 1887-1904)

Freud, S., & Jung, C. (1975). Correspondance I et II. Paris, Gallimard. (Originalmente realizado em 1906-1914)

Iannini, G. (2013). Estilo e verdade em Jacques Lacan. Belo Horizonte: Autêntica.

Jorge, M. A. C. (1988) Sexo e discurso em Freud e Lacan. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (2003). Discurso de Roma. In Outros escritos (pp. 139-172). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1953)

Lacan, J. (1953-1954/1986). O Seminário, Livro I: Os Escritos Técnicos de Freud. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1967). Petit discours aux psychiatres de Sainte-Anne. Retrieved from http://aejcpp.free.fr/lacan/1967-11-10.htm

Lacan, J. (1982). O Seminário, livro 20: Mais, ainda (1972-73). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1988). O Seminário, livro 7: A ética da psicanálise (1959-60). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1992). O Seminário, livro 17: O avesso da psicanálise (1969-70). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1995). O seminário, livro 4: A relação de objeto (1956-57). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1999). O Seminário, livro 5: As formações do inconsciente (1957-58). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (2005). O Seminário, livro 10: A Angústia (1962-63). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan. J. (2008a). O mito individual do neurótico, ou, a poesia e verdade na neurose (1952). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (2008b). O Seminário, livro 11: Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise (1964). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (2009). O Seminário, livro 18: De um discurso que não fosse semblante (1971). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J (2014). Le séminaire, livre 15. L’acte Psychanalytique (1967-68). Paris: Association Lacanienne Internationale.

Lepoutre,T. (2016). Le mythe de la horde originaire à l’épreuve du roman familial. Recherches en psychanalyse, 21, 62a-69a.

Lepoutre, T. (2013). Le père de la horde était-il un père? Revue française de psychanalyse, 77, 1631-1637.

Lévi-Strauss, C. (1979). A Via das Máscaras. Lisboa: Editorial Presença.

Lévi-Strauss, C. (2004). O Cru e o Cozido. São Paulo, Cosac& Naify. (Originalmente publicado em 1964).

Lévi-Strauss, C. (2006). A Origem dos Modos à Mesa. São Paulo: Cosac & Naify. (Originalmente publicado em 1968).

Madeira, M. (2015). Tissages psychotiques en transfert. (Tese de Doutorado). Université Paris-Diderot Sorbonne Paris Cité.

Madeira, M., Robert, P., & Kupermann, D. (2015). Subjetivação do corpo entre devoração e abandono. Revista Arquivos Brasileiro de Psicologia, 67(2), 75-90. Link: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672015000200007

Madeira, M., Lepoutre, T., & Vanier, A. (2016). La (dé)négation dans la clinique des psychoses: Entre la schizophrénie et la paranoïa. Recherches en psychanalyse, 22, 167a-179a.

Madeira M., & Moschen S. (No prelo). “Tu não vais me faltar”: Tessituras entre fantasma e (de)negação nas psicoses. Psicologia USP.

Riviere, J. (2005). A feminilidade como máscara. Psyche, 9(16), 13-24. (Trabalho Original Publicado em 1929).

Triska, V., & D’Agord, M. (2007). Mito e estrutura: Um estudo sobre a verdade em psicanálise. Tempo psicanalítico, 39, 225-238.

Vanier, A. (2016). Totem et tabou, un mythe clinique. Research in Psychoanalysis, 21, 50a-61a.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v18i2.6883

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia