Adolescência e o Traumático: Sobre Abuso Sexual e as Vicissitudes do Sujeito

Roberta Araujo Silva, Leônia Cavalcante Teixeira

Resumo


O atendimento de Liz, uma adolescente de 14 anos de idade, abusada sexualmente, é o início de uma discussão acerca da investigação e do atendimento psicanalítico de adolescentes que vivenciaram situação de abuso sexual. Considera-se a vivência de abuso sexual como traumática, de acordo com as concepções teórico-clínicas de Freud, Ferenczi e Winnicott. Este ensaio teve como objetivo conhecer, por meio da escuta psicanalítica, as implicações subjetivas referentes à vivência de abuso sexual na adolescência. Para tal, foram utilizadas consultas terapêuticas no atendimento com a adolescente após sua experiência traumática de abuso. O trabalho de investigação do psiquismo é operado com suporte na constituição de um setting profissional adequado, em que é possível ao terapeuta o uso da experiência de mutualidade. Na sua clínica, Donald Winnicott desenvolveu a consulta terapêutica, um método de investigação e atendimento em Psicanálise, que possibilita uma exploração integral do primeiro atendimento, bem como enseja encontrar em determinados pacientes o seu conflito psíquico e intervir de modo a proporcionar saúde psíquica. Com o amparo no atendimento de Liz, discute-se a contribuição da Psicanálise para a compreensão do impacto do abuso sexual no psiquismo, sobretudo no aprofundamento do conhecimento sobre a singularidade dos destinos psíquicos dados à experiência traumática. Contextos distintos e múltiplas repercussões associam-se a cada vivência de abuso sexual, que deve ser analisada em sua complexidade. Em conclusão, o atendimento psicanalítico por meio das consultas terapêuticas é um importante instrumento de intervenção para os profissionais que atendem casos de violência em todos os âmbitos institucionais.


Palavras-chave


Abuso sexual; adolescência; psicanálise; trauma; consulta terapêutica

Texto completo:

PDF/A

Referências


Abram, J. (2000). A linguagem de Winnicott: Dicionário das palavras e expressões utilizadas por Donald W. Winnicott (M. D. G. da Silva, Trad.). Rio de Janeiro: Revinter.

Aded, N. L. O., Dalcin, B. L. G. S., Moraes, T. M., & Cavalcanti, M. T. (2006). Abuso sexual em crianças e adolescentes: Revisão de 100 anos de literatura. Revista de Psiquiatria Clínica, 33(4), 204-213.

Amazarray, M. R., & Koller, S. H. (1998). Alguns aspectos observados no desenvolvimento de crianças vítimas de abuso sexual. Psicologia Reflexão e Crítica, 11(3), 559-578.

Boarati, M. C. B., Sei, M. B., & Arruda, S. L. S. (2009). Abuso sexual na infância: A vivência em um ambulatório de psicoterapia de crianças. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano. 19(3), 426-434.

Brasil. Ministério da Saúde. (2006). Violência faz mal à saúde (Série B. Textos Básicos de Saúde). Recuperado de http://bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br/services/e-books-MS/06_0315_M.pdf

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. (2012). Resolução no. 466 [Diretrizes e normas regulamentadoras sobre pesquisa envolvendo seres humanos]. Recuperado de http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Brauner, M. C. C., & Carlos, P. P. de. (2004). A violência intrafamiliar sob a perspectiva dos Direitos Humanos. In G. Maluschke, J. S. N. F. Bucher-Maluschke & K. Hermanns (Org.), Direitos humanos e violência: Desafios da ciência e da prática. Fortaleza: Fundação Konrad Adenauer.

Conselho Federal de Psicologia. (2000). Resolução no. 016. Recuperado em http://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2000/12/resolucao2000_16.pdf

Faleiros, E. T. S. (2000). Repensando os conceitos de violência, abuso e exploração sexual de crianças e de adolescentes. Espirito Santo: CECRIA.

Ferenczi, S. (1990). Diário Clínico. (A. Cabral, trad.). São Paulo: Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 1969[1932])

Ferenczi, S. (1992a). Confusão de línguas entre os adultos e a criança: a linguagem da ternura e da paixão. In Obras completas: Psicanálise IV. (A. Cabral, trad., pp. 97-106). São Paulo: Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 1933)

Ferenczi, S. (1992b). Reflexões sobre o trauma. In Obras completas (A. Cabral, trad., Vol. 4, pp. 109-117). São Paulo: Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 1934[1931-1932])

Freud, S. (1996a). A etiologia da histeria. In Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (J. Strachey, trad., Vol. 3, pp.187-215). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1896)

Freud, S. (1996b). Além do princípio do prazer. In Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (J. Strachey, trad., Vol. 18, pp.11-75). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1920)

Fuks, L. B. (1998). Abuso sexual de crianças na família: Reflexões psicanalíticas. Revista Percurso, 20, 120-126.

Fuks, L. B. (2006). Consequências do abuso sexual infantil. Revista Percurso, 18(36), 41-52.Gabel, M. (1997). Crianças vítimas de abuso sexual. (S. Goldfeder, Trad.). São Paulo: Summus.

Habigzang, L. F., Koller, S. H., Azevedo, G. A., & Machado, P. X. (2005). Abuso sexual infantil e dinâmica familiar: Aspectos observados em processos jurídicos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 21(3), 341-348.

Laplanche, J., & Pontalis. J-B. L. (2001). Vocabulário de Psicanálise. (4a ed., P. Tamen, trad.) São Paulo: Martins Fontes.

Minayo, M. C. de S. (2001). Violência contra crianças e adolescentes: Questão social, questão de saúde. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, 1(2), 91-102.

Pfeiffer, L., & Salvagni, E. P. (2005). Visão atual do abuso sexual na infância e adolescência. Jornal de Pediatria, 5(81), 197-204.

Santos, S. S., & Dell’Aglio, D. D. (2010). Quando o silêncio é rompido: O processo de revelação e notificação de abuso sexual infantil. Psicologia & Sociedade, 22(2), 328-335.

Uchitel, M. (2011). Neurose traumática: Uma revisão crítica do conceito de trauma. (Coleção clínica psicanalítica, 3a ed.) São Paulo: Casa do Psicólogo.

Winnicott, D. W. (1982). Desenvolvimento emocional primitivo. In D. W. Winnicott, Textos selecionados: Da Pediatria à Psicanálise. (2a ed., J. Russo, trad., pp. 269-286). Rio de Janeiro: F. Alves. (Obra originalmente publicada em 1945)

Winnicott, D. W. (1983a). Teoria do relacionamento paterno-infantil. In D. W. Winnicott, O ambiente e os processos de maturação: Estudos sobre a Teoria do Desenvolvimento Emocional. (I. C. S. Ortiz, Trad., pp. 38-54). Porto Alegre: Artmed. (Obra originalmente publicada em 1960)

Winnicott, D. W. (1983b). Dependência no cuidado do lactente, no cuidado da criança e na situação analítica. In D. W. Winnicott, O ambiente e os processos de maturação: estudos sobre a Teoria do Desenvolvimento Emocional. (I. C. S. Ortiz, Trad., pp. 225-233). Porto Alegre: Artmed. (Obra originalmente publicada em 1963)

Winnicott, D. W. (1984). Consultas terapêuticas em psiquiatria infantil. (J. M. X. Cunha, trad., Série Analytica). Rio de Janeiro: Imago Ed. (Obra original publicada em 1971)

Winnicott, D. W. (1994a). A importância do setting no encontro com a regressão na psicanálise. In C. W. Winnicott, R. Sherpherd & M. Davis (Orgs.), Explorações psicanalíticas: D. W. Winnicott. (J. O. de S. Abreu, Trad., pp. 77-81). Porto Alegre: Artes Médicas. (Obra original publicada em 1965)

Winnicott, D. W. (1994b). O conceito de trauma em relação ao desenvolvimento do indivíduo dentro da família. In C. W. Winnicott, R. Sherpherd & M. Davis (Orgs.), Explorações psicanalíticas: D. W. Winnicott. (J. O. de S. Abreu, Trad. pp. 102-115). Porto Alegre: Artes Médicas. (Obra original publicada em 1965)

Winnicott, D. W. (1994c). O valor da consulta terapêutica. In C. W. Winnicott, R. Sherpherd & M. Davis (Orgs.), Explorações psicanalíticas: D. W. Winnicott. (J. O. de S. Abreu, Trad., pp. 244-248). Porto Alegre: Artes Médicas. (Obra original publicada em 1965)

Winnicott, D. W. (1994d). O jogo do rabisco. In C. W. Winnicott, R. Sherpherd & M. Davis (Orgs.), Explorações psicanalíticas: D. W. Winnicott. (J. O. de S. Abreu, Trad., pp. 230-243). Porto Alegre: Artes Médicas. (Obra original publicada em 1968)

Winnicott, D. W. (1994e). A experiência mãe-bebê de mutualidade. In C. W. Winnicott, R. Sherpherd & M. Davis (Orgs.), Explorações psicanalíticas: D. W. Winnicott. (J. O. de S. Abreu, Trad., pp. 106-202). Porto Alegre: Artes Médicas. (Obra original publicada em 1969)

Winnicott, D. W. (1994f). O medo do colapso (breakdown). In C. W. Winnicott, R. Sherpherd & M. Davis (Orgs.), Explorações psicanalíticas: D. W. Winnicott. (J. O. de S. Abreu, Trad., pp. 70-76). Porto Alegre: Artes Médicas. (Obra original publicada em 1974[1963])

Winnicott, D. W. (1994g). Ideias e definições. In C. W. Winnicott, R. Sherpherd & M. Davis (Orgs.), Explorações psicanalíticas: D. W. Winnicott. (J. O. de S. Abreu, Trad., pp. 36-37). Porto Alegre: Artes Médicas.

Winnicott, D. W. (1975). O brincar e a realidade. (Coleção Psicologia Psicanalítica, J. O. de A. Abreu & V. Nobre, Trad.). Rio de Janeiro: Imago editora Ltda. (Obra original publicada em 1971)




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v17i3.6955

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia