O discurso político-ideológico do “desenvolvimento sustentável”: uma crítica à luz da epistemologia da linguagem e da teoria discursiva de Michel Foucault

Elda Coelho de Azevedo Bussinguer, Isabela de Deus Cordeiro, Shayene Machado Salles

Resumo


Propõe-se analisar a expressão “desenvolvimento sustentável”, a partir da teoria discursiva de Michel Foucault, na obra “A ordem do discurso”, tendo em vista uma crítica à mensagem por ela traduzida e, consequentemente, ao seu conteúdo político ideológico. Nesse contexto, a transição epistêmica, vivenciada pela filosofia linguagem, da Semiologia à Ordem do discurso, é apresentada como caminho para o avanço das reflexões suscitadas pelo estudo, especialmente, em função da articulação de conceitos como o de “significado contextual”, proveniente da epistemologia, com fundamentos da teoria discursiva de Foucault. A elucidação dos procedimentos de exclusão da “interdição da palavra” e da “vontade de verdade”, exemplificadamente, permitem constatar relações de poder intrínsecas à linguagem que contribuem para a compreensão de que a expressão “desenvolvimento sustentável” serve à manutenção dos ideais de sobrevivência da ordem capitalista globalizada, estabelecendo um contínuo e permanente diálogo com a realidade por meio do qual sinaliza e alimenta, social e institucionalmente, a subordinação da proteção ambiental ao desenvolvimento econômico.

Palavras-chave


Filosofia da linguagem; Discurso; Michel Foucault; Desenvolvimento Sustentável.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2317-2150.2017.5550

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Pensar: Rev. Pen., Fortaleza, CE, Brasil. e-ISSN: 2317-2150 Licença Creative Commons
Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia