Estudo experimental de pilares curtos de concreto armado reforçados com PRFC

Mara Bruna Silveira Muniz, Ricardo José Silva Carvalho

Resumo


Segundo a NBR 6118 (ABNT, 2014), uma estrutura, ou parte dela, atinge um estado limite quando se torna inutilizável ou quando deixa de atender os requisitos para a qual foi projetada. As exigências fundamentais para que uma edificação seja considerada adequada para o seu uso engloba segurança, funcionalidade e durabilidade. Justamente nesse viés encontra-se o objetivo do presente trabalho, reforçar pilares de concreto armado através de polímero de fibra de carbono a fim de comparar sua eficiência em relação à peça que não foi reforçada. Foram produzidos seis pilares com dimensões de 50 cm de altura por 10 cm de largura, onde foram separados em dois grupos, o primeiro contendo três pilares com excentricidade igual a zero, dos quais dois receberam reforço e um pilar de referência, ou seja, não recebeu reforço; o segundo grupo também é composto de três pilares, porém com excentricidade igual a 2 cm, onde dois foram reforçados com polímero de fibra de carbono e um pilar de referência. Conclui-se que o reforço se mostrou eficiente em ambas as situações, tanto na aplicação de carga concêntrica quanto na aplicação de carga excêntrica. Sendo o uso das fibras a 90º do eixo vertical mais apropriada para cargas concêntricas e o uso de fibras a 45º do eixo vertical para cargas excêntricas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23180730.2018.7277

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Tecnologia, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0730

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia