Educação em saúde sobre infecções sexualmente transmissíveis para universitários de Enfermagem

Bianca Alessandra Gomes do Carmo, Nayla Rayssa Pereira Quadros, Marcus Matheus Quadros Santos, Jennifer Karen Ferreira Macena, Marília de Fátima Vieira de Oliveira, Sandra Helena Isse Polaro, Eliã Pinheiro Botelho

Resumo


Objetivo: Descrever a experiência vivenciada por acadêmicos de Enfermagem em prática de educação em saúde acerca de infecções sexualmente transmissíveis (IST). Síntese dos dados: As atividades educativas de um projeto de extensão foram desenvolvidas para estudantes do primeiro ano da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Pará (UFPA), localizada no município de Belém, Pará, Brasil, no período de março a dezembro de 2019. A prática de educação em saúde foi dividida em três etapas: “IST: epidemiologia, agente etiológico, sintomas e prevenção”; “Boas práticas para o uso correto dos preservativos masculino e feminino” e “Modo de transmissão sexual das IST/HIV e importância de serem multiplicadores de saúde”, que se constituiu de uma dinâmica e roda de conversa sobre a temática. Conclusão: A atividade extensionista possibilitou a discussão da promoção da saúde sexual dos estudantes visando à prevenção e ao controle da transmissão das IST. Para os extensionistas, a vivência favoreceu a autonomia das atividades de educação em saúde e a compreensão da necessidade de abordar a temática com jovens ingressantes na universidade e, também, a de estabelecer a socialização com os estudantes com a pretensão de sensibilizá-los a serem multiplicadores de saúde.

Palavras-chave


Educação em Saúde; Educação Sexual; Enfermagem; Doenças Sexualmente Transmissíveis

Texto completo:

PDF/A PDF/A (English)

Referências


Mon Kyaw Soe N, Bird Y, Schwandt M, Moraros J. Sti health disparities: a systematic review and meta-analysis of the effectiveness of preventive interventions in educational settings. Int J Environ Res Public Health. 2018;15(12):2819.

Pinto VM, Basso CR, Barros CRS, Gutierrez EB. Factors associated with sexually transmitted infections: a population based survey in the city of São Paulo, Brazil. Ciênc Saúde Colet. 2018;23(7):2423-32.

Bhatti AB, Usman M, Kandi V. Current Scenario of HIV E AIDS, treatment options, and major challenges with compliance to antiretroviral therapy. Cureus. 2016;8(3):e515.

Newman L, Rowley J, Hoorn SV, Wijesooriya NS, Unemo M, Low N, et al. Global estimates of the prevalence and incidence of four curable sexually transmitted infections in 2012 based on systematic review and global reporting. Plos One. 2015;10(12):e0143304.

Teixeira LO, Figueiredo VLM, Sassi RAM. Cross-cultural adaptation of Sexually Transmitted Disease Knowledge Questionnaire to Portuguese of Brazil. J Bras Psiquiatr. 2015;64(3):247-56.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV E AIDS e das Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico: HIV E AIDS. Brasília: Ministério da Saúde; 2018.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV E AIDS e das Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico HIV E AIDS, 2017. Brasília: Ministério da Saúde; 2018.

Marschalkó M, Pónyai K, Kárpáti S. Szexuálisan terjedo koinfekciók. HIV koinfekciók. Orv Hetil. 2015;156(1):4-9.

Li C, Cheng Z, Wu T, Liang X, Gaoshan J, Li L, et al. The relationships of school-based sexuality education, sexual knowledge and sexual behaviors-a study of 18,000 Chinese college students. Reprod Health. 2017;14:103.

Valim EMA, Dias FA, Simon CP, Almeida DV, Rodrigues MLP. Condom use among adolescents in public schools of the city of Uberaba, State of Minas Gerais, Brazil: knowledge and attitudes. Cad Saúde Coletiva. 2015;23(1):44–9.

Baldoino LS, Silva SMN, Ribeiro AMN, Ribeiro EKC. Educação em Saúde para Adolescentes no Contexto Escolar: um relato de experiência. Rev Enferm UFPE. 2018;2(4):1161-7.

Pereira FGF, Caetano JÁ, Moreira JF, Ataíde MBC. Health Education Practices In The Training Of Nursing Undergraduates. Cogitare Enferm. 2015;20(2):332-7.

Martins CBG, Ferreira LO, Santos PRM, Sobrinho MWL, Weiss MCV, Souza SPS. Oficina sobre sexualidade na adolescência: uma experiência da equipe saúde da família com adolescentes do ensino médio. Rev Min Enferm. 2011;15(4):573-8.

Freire P. Autonomia da Pedagogia: saberes necessários a prática educativa. 57ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 2018.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: Anexo I da Portaria de Consolidação nº 2, de 28 de setembro de 2017, que consolida as normas sobre as políticas nacionais de saúde do SUS. Brasília: Ministério da Saúde; 2018.

Dias ESM, Rodrigues ILA, Miranda HR, Correa JA. Roda de conversa como estratégia de educação em saúde para a enfermagem. Rev Fund Care. 2018;10(2):379-384.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. II Caderno de educação popular em saúde. Brasília: Ministério da saúde; 2014.

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Diretrizes para implementação da rede de cuidados em IST/HIV/AIDS: manual de prevenção CRT – DST/AIDS. São Paulo: Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo; 2017.

Widman L, Noar SM, Choukas-Bradley S, Francis DB. Adolescent sexual health communication and condom use: a meta-analysis. Health Psychology. 2014;33(10):1113-24.

Manual do Mundo. A mágica da água que mudar de cor: experiência de química [vídeo] [Internet]. 2010 [acesso em 2019 Mar 11]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ezPSwEug40A&t=98s

Schall VT, Moden CM. As novas tecnologias de informação e comunicação em educação em saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2005. Críticas e Atuantes: ciências sociais e humanas em saúde na América Latina; p. 245-55.

Menezes WN, Araújo MA, Faria N. Projeto de extensão em sexualidade humana na educação [Internet]. In: Anais do 3º Simpósio Internacional de Educação Sexual Corpos, Identidade de Gênero e Heteronormatividade no Espaço Escolar; 2013 Abr 24-26; Maringá. Maringá: SIES; 2013 [acesso em 2019 Mar 11]. Disponível em: http://www.sies.uem.br/anais/pdf/educacao_sexual_escolar/4-18.pdf

Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO; 2002.

World Health Organization. Ottawa Charter for Health Promotion: First International Conference on Health Promotion Ottawa [Internet]. 1986 [acesso em 2019 Mar 11]. Disponível em: https://www.healthpromotion.org.au/images/ottawa_charter_hp.pdf

Chow EPF, Tomnay J, Fehler G, Whiley D, Read TRH, Denham I, et al. Substantial Increases in Chlamydia and Gonorrhea Positivity Unexplained by Changes in Individual-Level Sexual Behaviors Among Men Who Have Sex With Men in an Australian Sexual Health Service From 2007 to 2013. Sex Transm Dis. 2015;42(2):81-7.

Ministério da Saúde (BR). Pesquisa de conhecimentos atitudes e práticas da população brasileira. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.




DOI: https://doi.org/10.5020/18061230.2020.10285

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia