Práticas integrativas e complementares na Atenção Primária à Saúde: relato de experiência

Ivana Santos Ferraz, Sérgio Donha Yarid, Alba Benemérita Alves Vilela, Eduardo Nagib Boery, Ismar Eduardo Martins Filho

Resumo


Objetivo: Relatar a vivência de mestrandos acerca do emprego das práticas integrativas e complementares como instrumento de construção de uma atenção integral à saúde em uma Unidade Básica de Saúde por profissionais de saúde do serviço. Síntese dos dados: Trata-se de um relato de experiência de cunho descritivo, o qual foi efetivado mediante a prática de campo de um grupo de mestrandos de um programa de pós-graduação. A experiência ocorreu em uma Unidade de Saúde do interior da Bahia, Brasil, em 2018. Na oportunidade, ofertaram-se vivências com as práticas integrativas e complementares para os mestrandos, tais como thetahealing, hipnose, quiropraxia e termalismo. O uso dessas práticas permitiu expandir o olhar acerca do cuidado em saúde pessoal e comunitário. As vivências serviram para comprovar os benefícios e aperfeiçoar o conhecimento para as atividades no ensino das práticas integrativas e complementares, sendo, de fato, uma experiência lisonjeira e importante, na medida em que forneceu conhecimento na prática, antes só vista na teoria. Conclusão: Observou-se como elemento fundamental para a execução das diferentes profissões da saúde a experiência de prática de campo com as terapias integrativas, sobretudo para os mestrandos e futuros docentes. Desse modo, se faz necessário que o conhecimento adquirido com essa experiência seja replicado em outros ambientes de saúde.

Palavras-chave


Terapias Complementares; Saúde Pública; Atenção Primária à Saúde

Referências


Asher GN, Gerkin, J, Gaynes BN. Complementary therapies for mental health disorders. Med Clin North Am [Internet]. 2017 [acesso em 2020 Abr 29];101(5):847-64. doi: 10.1016/j.mcna.2017.04.004

Tesser CD, Sousa IMC, Nascimento MC. Práticas integrativas e complementares na atenção primária à saúde brasileira. Saúde Debate [Internet]. 2018 [acesso em 2020 Abr 29]:42(spe1):174-88. doi: 10.1590/0103-11042018S112

Fischborn AF, Machado J, Fagundes NC, Pereira NM. A política das práticas integrativas e complementares do SUS: o relato da implementação em uma unidade de ensino e serviço de saúde. Cinergis [Internet]. 2016 [acesso em 2020 Abr 29];17. Disponível: https://online.unisc.br/seer/index.php/cinergis/article/view/8149

Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Portaria nº 971. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União, Brasília, 2006.

Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Portaria n. 1600. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União, Brasília, 2017.

Ministério da Saúde (BR), Departamento de Atenção Básica. Ampliação da PNPIC [Internet]. 2017 [acesso em 2017 Dez 3]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/documentos/informe_pics_maio2017.pdf

Ministério da Saúde (BR). Portaria n. 971, de 3 de maio de 2006. Aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Portaria nº 702. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União, Brasília, 2018.

Azevedo E, Pelicioni MCF. Práticas integrativas e complementares de desafios para a educação. Trab Educ Saúde. 2012; 9(3):361-78.

Telesi JE. Práticas integrativas e complementares em saúde, uma nova eficácia para o SUS. Estud Av [Internet]. 2016 [acesso em 2020 Abr 29];30(86):99-112. doi: 10.1590/S0103-40142016.00100007

Sousa IMC, Tesser CD. Medicina tradicional e complementar no Brasil: inserção no Sistema Único de Saúde e integração com a atenção primária. Cad Saúde Pública. 2017;33(1):00150215.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS: atitude de ampliação do acesso [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2015 [acesso em 2020 Jun 25]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_praticas_integrativas_compleme ntares_2ed.pdf

Paul P. Saúde e transdisciplinaridade. São Paulo: Edusp; 2013.

Ministério da Saúde (BR). Portaria n° 687, de 30 de março de 2006. Aprova a Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS). Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Hinterberger T, de Von Haugwitz A, Schmidt S. Does a healing procedure referring to theta rhythms also generate theta rhythms in the brain? J Altern Complement Med [Internet]. 2016 [acesso em 2019 Fev 14];22(1):66-74. doi: 10.1089/acm.2014.0394

Neubern MS. Hipnose clínica e dores crônicas: rumo a uma perspectiva complexa. Psicol Estud [Internet]. 2016 [acesso em 2020 Jun 26];21(2):303-12. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/PsicolEstud/article/view/30820

Schveitzer MC, Esper MV, Silva MJP. Práticas integrativas e complementares na atenção primária em saúde: em busca da humanização do cuidado. Mundo Saúde [Internet]. 2012 [acesso em 2019 Fev 14];36(3). Disponível: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mundo_saude/praticas_integrativas_complementares_atencao_primaria.pdf

Lima KMSV, Silva KL, Tesser CD. Práticas integrativas e complementares e relação com promoção da saúde: experiência de um serviço municipal de saúde. Interface Com Saúde Educ [Internet]. 2014 [acesso em 2019 Mar 7];18(49):261-72. Disponível: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s1414-32832014000200261&script=sci_abstract&tlng=pt

Leandro ME, Leandro ASS. Da saúde e bem-estar/mal-estar ao termalismo. Sociologia [Internet]. 2015 [acesso em 2019 Mar 07];30:75-96. Disponível: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0872-34192015000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=es

Galvanese ATC, Barros NF, Oliveira AFPL. Contribuições e desafios das práticas corporais e meditativas à promoção da saúde na rede pública de atenção primária do Município de São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública [Internet]. 2017 [acesso em 2019 Mar 07];33(12):e00122016. Disponível: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X2017001205001&script=sci_abstract&tlng=pt

Matos PC, Laverde CR, Martins PG, Souza JM, Oliveira NF, Pilger C. Práticas integrativas complementares na atenção primária à saúde. Cogitare Enferm [Internet]. 2018 [acesso em 2019 Mar 07];2(23):e54781. Disponível: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0103-11042018000500174&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

Nascimento MC, Romano VF, Chazan ACS. Quaresma CH. Formação em práticas integrativas e complementares em saúde: desafios para as universidades públicas. Trab Educ Saúde [Internet]. 2018 [acesso em 2019 Mar 07];16(2):751-72. Disponível: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1981-77462018000200751&lng=pt&nrm=iso

Climaco LCC, Ferraz IS, Almeida JS, Aragão SA, Reis LA, Martins IE Filho. A formação do discente de pós-graduação para a docência em práticas integrativas e complementares. Inter J Development Res [Internet]. 2019 [acesso em 2020 Mar 07];9(4):27276-80. Disponível: https://www.journalijdr.com/aformação-do-discente-de-pós-graduação-para-docência-em-práticas-integrativas-e-complementares

Campos F, Sola M, Santisteban-Espejo A, Ruyffelaert A, Campos-Sánchez A, Garzón I, et al. Concepções de fatores de aprendizagem em alunos de mestrado em ciências da saúde: um estudo comparativo com estudantes de ciências não-saudáveis e entre gêneros. BMC Med Educ [Internet]. 2018 [acesso em 2020 Maio 11];18(1). Disponível: https://www.researchgate.net/publication/325640304_Conceptions_of_learning_factors_in_postgraduate_health_sciences_master_students_A_comparative_study_with_non-health_science_students_and_between_genders




DOI: https://doi.org/10.5020/18061230.2020.10866

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia