Estado nutricional e prevalência de anemia em crianças menores de 36 meses

MÁRCIA MARA CORREA, LUANA DA SILVA BAPTISTA ARPINI, DENISE MACIEL FERREIRA

Resumo


Objetivos: Estimar a prevalência de anemia correlacionando com o estado nutricional de crianças menores de 36 meses. Métodos: Estudo observacional, transversal, retrospectivo e analítico, realizado com 374 crianças com idade inferior a 36 meses, de creches municipais de Vitória, ES. Foi realizada antropometria e coletadas amostras de sangue para dosagem de hemoglobina (Hb), ferro sérico (FeS) e ferritina sérica (FS). Para análise estatística utilizou-se o teste qui-quadrado e o teste exato de Fisher. Resultados: A prevalência de anemia nos préescolares foi de 10,9% (n=19). Níveis inadequados de ferritina estiveram presentes em 7,5% (n=13) das crianças e de ferro sérico em 27,6% (n=48). O estado nutricional da criança não mostrou associação estatisticamente significante com a anemia. Conclusão: A prevalência de anemia na população estudada caracteriza um problema leve de saúde pública, não sendo observada associação do estado nutricional a essa deficiência.


doi:10.5020/18061230.2014.p109

Palavras-chave


Anemia Ferropriva; Estado Nutricional; Saúde da Criança.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Benoist Bd, McLean E, Egll I, Cogswell M. Worldwide prevalence of anaemia 1993-2005: WHO globaldatabase on anaemia. Geneva: WHO; 2008.

Ministério da Saúde (BR), Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Oficina de Trabalho “Carências Nutricionais: Desafio para a Saúde Pública”. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Abbaspour N, Hurrell R, Kelishadi R. Review on iron and its importance for human health J Res Med Sci. 2014;19(2):164-74.

Miller JL. Iron deficiency anemia: a common and curable disease. Cold Spring Harbor Perspectives Medicine. 2013;3(7):1-135.

Thompson J, Biggs BA, Pasricha SR. Effects of daily iron supplementation in 2-to 5-year-old children:systematic review and meta-analysis. Pediatrics. 2013;131(4):739-53.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Manual operacional do Programa Nacional de Suplementação de Ferro. Brasília: Ministério da Saúde; 2005. (Série A.Normas e Manuais Técnicos).

Rea LM, Parker RA. Metodologia de pesquisa: do planejamento a execução. São Paulo: Cengage Learning; 2002.

Alves CRL, Alvim CG, Junqueira HS, Goulart L, Dias LS, Magalhães MEN, et al. Atenção à saúde da criança. Belo Horizionte: Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais; 2005.

Kuczmarski RJ, Ogden CL, Guo SS, Grummer-Strawn LM, Flegal KM, Mei Z, et al. 2000 CDC Growth Charts for the United States: methods and development. Vital Health Stat 11. 2002;(246):1-190.

World Health Organization - WHO. Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Geneva:WHO; 1995. (WHO technical report series, 854).

World Health Organization - WHO. Assessing the iron status of populations: report of a Joint World Health Organization. Geneva: WHO; 2005.

World Health Organization - WHO. Iron deficiency anaemia: assessment, prevention and control: a guide for programme managers. Geneva: WHO; 2001.

Almeida APC, Zandonade E, Abrantes MM, Alves J. Deficiência de ferro e anemia em crianças de Vitória,ES. Pediatria (São Paulo). 2004;26(3):140-50.

Miglioli TC, Brito AM, Lira PIC, Figueroa JN. Anemia no binômio mãe-filho no Estado de Pernambuco, Brasil Mother-child anemia in the State of Pernambuco,Brazil. Cad Saúde Pública. 2010;26(9):1807-20.

Castro TG, Silva-Nunes M, Conde WL, Muniz PT, Cardoso MA. Anemia e deficiência de ferro em pré-escolares da Amazônia Ocidental brasileira:prevalência e fatores associados. Cad Saúde Pública.2011;27(1):131-42.

Leal LP, Osório MM. Fatores associados à ocorrência de anemia em crianças menores de seis anos: uma revisão sistemática dos estudos populacionais. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2010;10(4):417-39.

Szarfarc SC. Políticas públicas para o controle da anemia ferropriva: revisão. Rev Bras Hematol Hemoter.2010;32(Supl 2):2-8.

Ministério da Saúde (BR). Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher-PNDS 2006: dimensões do processo reprodutivo e da saúde da criança. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

Gondim SSR, Diniz AS, Souto RA, Bezerra RGS, Albuquerque EC, Paiva AA. Magnitude, tendência temporal e fatores associados à anemia em crianças do Estado da Paraíba. Rev Saúde Pública. 2012;46(4):649-56.

Castro SC, Ribeiro III RCL, LamounierIV JA, Pedron VFA. Efetividade superior do esquema diário de suplementação de ferro em lactentes. Rev Saúde Pública. 2010;44(2):230-9.

Vieira ACF, Diniz AS, Cabral PC, Oliveira RS, Lóla MM, Silva SM, et al. Nutritional assessment of iron status and anemia in children under 5 years old at public daycare centers. J Pediatr. 2007;83(4):370-6.

Konstantyner T, Taddei JAA, Oliveira MN, Palma D, Colugnati FA. Isolated and combined risks for anemia in children attending the nurseries of daycare centers. J Pediatr. 2009;85(3):209-16.

Osório MM. Fatores determinantes da anemia em crianças. J Pediatr. 2002;78(4):269-78.

Jordão RE, Bernardi JLD, Barros Filho AdA. Prevalência de anemia ferropriva no Brasil: uma revisão sistemática. Rev Paul Pediatr. 2009;27(1):90-8.

Oliveira MA, Osório MM. Consumo de leite de vaca e anemia ferropriva na infância. J Pediatr.2005;81(5):361-7.

Caetano MC, Ortiz T, Silva S, Souza F, Sarni ROS.Alimentação complementar: práticas inadequadas em lactentes. Arch Pediatr Urug. 2012;83(3):226-32.

Bortolini GA, Vitolo MR. Relationship between iron deficiency and anemia in children younger than 4 years. J Pediatr. 2010;86(6):488-92.

Wieringa FT, Berger J, Dijkhuizen MA, Hidayat A, Ninh NX, Utomo B, et al. Sex differences in prevalence of anaemia and iron deficiency in infancy in a large multi-country trial in South-East Asia. Br J Nutr.2007;98(05):1070-6.

Oliveira TSCd, Silva MC, Santos JN, Rocha DS, Alves CRL, Capanema FD, et al. Anemia among preschoolchildren-a public health problem in Belo Horizonte, Brazil. Ciênc Saúde Coletiva. 2014;19(1):59-66.

Rocha DS, Capanema FD, Pereira Netto M,Franceschini SdCC, Lamounier JA. Prevalence and risk factors of anemia in children attending daycarecenters in Belo Horizonte-MG. Rev Bras Epidemiol.2012;15(3):675-84.

Rodrigues VC, Mendes BD, Gozzi A, Sandrini F, Santana RG, Matioli G. Deficiência de ferro,prevalência de anemia e fatores associados em crianças

de creches públicas do oeste do Paraná, Brasil. Rev Nutr. 2011;24(3):407-20.

Scherer F, Beneduzi VL. Perfil nutricional e prevalência de anemia ferropriva em crianças. Conscientiae Saúde.2011;10(3):433-40

Oliveira MN, Martorell R, Nguyen P. Risk factors associated with hemoglobin levels and nutritional status among Brazilian children attending daycare

centers in Sao Paulo City, Brazil. Arch Latinoam Nutr.2010;60(1):23-9.

Pedraza DF, Rocha ACD, Sousa CPC. Crescimento e deficiências de micronutrientes: perfil das crianças assistidas no núcleo de creches do governo da Paraíba, Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2013;18(11):3379-90.

Goulart RMM, Banduk MLS, Taddei JAdAC. A review of nutrition actions and the role of dieticians in daycares. Rev Nutr. 2010;23(4):655-65.

Silveira SV, Albuquerque LC, Rocha EJM, Vale Martins MC. Fatores de risco associados à anemia ferropriva em crianças de 12 a 36 meses de creches públicas em Fortaleza. Rev Pediatr. 2008;9(2):70-6.

Hadler M, Juliano Y, Sigulem DM. Anemia do lactente: etiologia e prevalência. J Pediatr. 2002;78(4):321-6.

Oliveira MAA, Osório MM, Raposo MCF. Concentração de hemoglobina e anemia em crianças no Estado de Pernambuco, Brasil: fatores sócioeconômicos

e de consumo alimentar associados. Cad Saúde Pública. 2006;22(10):2169-78.

Almeida C, Ricco RG, Ciampo L, Souza AM, Pinho AP, Oliveira J. Fatores associados a anemia por deficiência de ferro em crianças pré-escolares brasileiras. J Pediatr.2004;80(3):229-34.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2377

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia