Escolas promotoras da saúde na América latina: uma revisão do período 1996-2009 - doi:10.5020/18061230.2013.p117

Carmelinda Monteiro Costa Afonso, Maria de Fátima Lobato Tavares, Vera Lúcia Luiza

Resumo


Objetivo: Identificar e discutir a produção científica publicada em bases indexadas sobre Escolas Promotoras de Saúde na América Latina, através da compreensão do escopo das iniciativas relatadas de educação para a saúde nos programas ou intervenções. Métodos: Trata-se de um estudo de revisão que utilizou como bases indexadas de busca a LILACS, o MEDLINE e o SCOPUS; e, como termo principal de busca, Health Promoting School, seguido de Latin America. Foi contemplado o período de 1996 a 2009, pois, em 1996, completava-se dez anos da publicação da Carta de Ottawa e um ano do lançamento oficial da Iniciativa Regional de Escolas Promotoras de Saúde (IREPS) pela Organização Pan- Americana de Saúde (OPAS). Foram definidos critérios de inclusão e recuperados artigos em inglês, português e espanhol, além dos dados tratados em três matrizes de análise. Resultados: A aplicação das chaves de busca resultou em 2.429 documentos, reduzidos para 28 após a aplicação de filtro para Latin America, sobre os quais se aplicaram os demais critérios de inclusão, resultando em oito artigos. A maioria ressaltou a importância dos estudos de efetividade e metade focou na redução de alguma morbidade específica, sem a priorização dos eixos conceituais contidos na Carta de Ottawa. Conclusão: As publicações tratavam de verificar a efetividade das ações, analisar a coerência conceitual das práticas com os eixos da promoção da saúde ou verificar o processo de capacitação dos atores envolvidos. Houve predominância do uso de métodos qualitativos, envolvendo análise documental, entrevistas semi-estruturadas, grupo focal e observação participante. A intersetorialidade foi apontada como estratégia central na sustentabilidade das experiências.

Palavras-chave


Promoção da Saúde; Literatura de Revisão como Assunto; Educação em Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Ippolito-Shepherd J. Las escuelas Promotoras de la salud en America Latina: Resultados de la primeira encuesta regional. Washington: OPS; 2005. (Serie Promoción da la salud).

Paini LD, Greco EA, Azevedo AL, Valino ML. Retrato do analfabetismo: algumas considerações sobre a educação no Brasil. Acta Sci Human Soc Sci. Maringá.2005;27(2):223-30.

Astorga A, Blanco P, Guadalupe C, Hevie R, Nieto M,Robelino M, et al. Educación de calidad para todos:um assunto de derechos humanos. Documento de discusión sobre politica educativas em el marco de la V Reunião intergubernamental del Proyecto Regionalde Educación para la América Latina y Caribe (EPT/PRELAC). Santiago de Chile: Unesco Santiago; 2007.

Cassasus J. A escola e a desigualdade. 2ª ed. Brasília:Unesco; 2007.

Jones JT, Furner M.WHO’s Global School HealthInitiative.Geneve:WHO;1998.

Silva CS, Mattos PCA, Mendes SR, Cotrim SNC.Rede de Escolas Promotoras da Saúde no Município do Rio de Janeiro: um desafio à formulação de políticas saudáveis à cidade. In: Ministério da Saúde (BR).Escolas Promotoras de Saúde: experiências no Brasil.Brasília: Ministério da Saúde; 2007. (Série Promoção da Saúde, n. 6). p. 55-67

Organizaciónes Panamericanas de la Salud - OPS.Escuelas promotoras de la salud: Fortalecimiento de la iniciativa regional – estrategias y líneas de acción 2003– 2012. Washington, DC: OPS; 2003. (Serie Promocion de la salud, n.4).

Silva CS, Pantoja A. Contribuições da avaliação na identificação de efetividade da promoção da saúde na escola no município do Rio de Janeiro. Boletim Técnico Senac. 2009;35(2):37-49.

Moreira FG, Silveira DX, Andreoli SB. Redução de danos do uso indevido de drogas no contexto da escola promotora de saúde. Ciênc Saúde Coletiva.2006;3(11):807-16.

Villasante LP, Mares JR, Estrada AC, Alza SM, Parodi AF, Castro SF, et al. Efectividad de um programa educativo em estilos de vida saludables sobre la reducción de sobrepeso y obesidade em el Colegio Robert M Smith, Huaraz, Ancash, Perú. Acta Med Per.2008;4(25): 204-9.

Cardoso V, Reis AP, Iervolino AS. Escolas Promotoras de saúde. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum.2008;2(18):107-15.

Schweigmann N, Rizzoti A, Castiglia G, Gribaudo F, Marcos E, Burroni N. Información, conocimiento y percepción sobre el riesgo de contra el dengue em Argentina:dos experiências de intervención paragenerar estratégias locaes de control. Cad Saúde Pública. 2009;1(25):S137-S148.

Borges BCD, Trindade FCS, Silva RSG, Fernandes MJM, Costa ICC, Pinheiro IVA. A escola como espaço promotor de saúde bucal: cuidando de escolares por meio de ações coletivas. Rev Baiana Saúde Pública.2009;(33):7-25.

Salazar L. Evaluación de efectividad em promoción dela salud: Guía de evaluación rápida. Cali: CEDETES;2003.

Salazar L, Vélez JÁ, Ortiz Y. Em busca de evidencias de efectividad em promoción de la salud em America Latina. Estado del arte de experiências regionales. Proyecto regional de evidencias de efectividad de la peomoción de la salud em la America Latina. Santiago de Cali: IUPHE; 2003.

Hernandez J. Estrategia escuelas promotoras de la salud em instituiciones de básica primaria de Bucaramanga.Revist Univ Santander Salud. 2007;3(39):143-51.

Rodriguez CAC. Estartegia metodológica para desarrillar la promocion de la salud em las escuelas cubanas. Rev Cuba Salud Publica. 2007; 2(33):1-7.

Villasante LP, Mares JR, Estrada AC, Alza SM, Parodi AF, Castro SF, et al. Efectividad de um programa educativo em estilos de vida saludables sobre la reducción de sobrepeso y obesidade em el Colegio Robert M Smith, Huaraz, Ancash, Perú. Acta Med Per.2008;4(25): 204-9.

Gutierrez AM, Gomez OL. Evaluacion de processo de la estratégia escuelas saludables em la zona urbana del municipio de Cali. Colômbia Médica. 2007;4(38):386-94.

Salazar L. Evaluación de efectividad em promoción de la salud: Guía de evaluación rápida. Cali: CEDETES;2003.

Salazar L, Vélez JÁ, Ortiz Y. Em busca de evidencias de efectividad em promoción de la salud em America Latina. Estado del arte de experiências regionales.Proyecto regional de evidencias de efectividad de la peomoción de la salud em la America Latina. Santiago de Cali: IUPHE; 2003.

Salazar L, Diaz C. La evaluacion-sistematizacion:uma propuesta metodológica para la evaluación em promocion de la salud. Um estúdio de caso em Cali,Colombia. Ciênc Saúde Coletiva. 2004;9(3):545-55.

Potvin L, Mc Queen DV. Practical dilemmas for health promotion evaluation. In: Potvin L, Mc Queen DV,editors. Health Promotion Evaluation Practices in theAmericas: values and research. New York: Springer;2008.

Ministério da Saúde (BR). Projeto Promoção da Saúde:as cartas da promoção da saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2002. (Série B. Textos Básicos em Saúde)

Ramos GS. El debate en torno de la Promoción de salud y la educación para la salud. Rev Cub Salud Publica.2007;33(2):1-15.

Tavares MFL, Barros CMS, Marcondes WB, Bodstein R, Cohen SC, Kligerman DC, et al. Theory and practice in the context of health promotion program evaluation.Global Health Promotion. 2007;1(14):27-30.

Algebaile E. Escola Pública e pobreza no Brasil: a ampliação para menos. Rio de Janeiro: Lamparina,Faperj; 2009.

Alarcão I. A Escola Reflexiva. In: Isabel Alarcão (Organizadora). Escola reflexiva e nova racionalidade.Porto Alegre: Artmed; 2001. cap. 1. p.15-30.

Freire P. Pedagogia do oprimido. 50a edição. São Paulo:Paz e Terra; 2011




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2642

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia