O ensino do autocuidado aos pacientes estomizados e seus familiares: uma revisão integrativa - doi:10.5020/18061230.2013.p139

Nariman de Felício Bortucan Lenza, Helena Megumi Sonobe, Luciana Scatralhe Buetto, Marco Gimenes dos Santos, Mariza Silva de Lima

Resumo


Objetivos: Caracterizar a literatura nacional e internacional sobre o ensino do autocuidado a pacientes estomizados intestinais e seus familiares. Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa nas bases de dados eletrônicas LILACS e MEDLINE, no período de 1996 a 2006, com as palavras-chave “ensino”, “ostomizados” e “enfermagem”. Resultados: A amostra foi composta por oito artigos, os quais relataram a importância de estratégias de ensino aos pacientes e familiares sobre o autocuidado com o estoma e equipamentos coletores, porém, nenhum estudo trouxe estratégias de ensino específicas e sistematizadas. Conclusão: A literatura analisada demonstrou a importância das estratégias de ensino sobre o autocuidado do paciente estomizado, entretanto, expressou a escassez de pesquisas e publicações sobre a implementação de ações contextualizadas e com linguagem adequada aos pacientes e seus familiares.

Palavras-chave


Ensino; Ostomizados; Enfermagem.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Ministério da Saúde (BR), Instituto Nacional de Câncer(INCA). Estimativas 2010: Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro; INCA; 2012.

BUETTO LS. Os significados de ser enfermeiro especialista em oncologia [dissertação]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo; 2009.

Menezes APS, Quintana JF. A percepção do indivíduo estomizado quanto à sua situação. Rev Bras Promoç Saúde [periódico na internet]. 2008 [acesso em 2012Abr 9];21(1):13-8. Disponível em: http://www.unifor.br/images/pdfs/pdfs_notitia/2145.pdf

Ministério da Saúde (BR), Instituto Nacional de Câncer- INCA. Estimativas 2010: Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro; INCA; 2009.

Santos VLCG. Fundamentação teórico-metodológica da assistência aos ostomizados na área da saúde doadulto. Rev Esc Enferm USP. 2000;5(1):59-63.

Sonobe HM. Conflitos da família no processo de reabilitação do laringectomizado [tese]. Ribeirão Preto:Universidade de São Paulo; 2001.

Sonobe HM, Barichello E, Zago MF. A visão do colostomizado sobre o uso da bolsa de colostomia. Rev Bras Cancerol. 2002;48(3):341-8.

Bechara RN, Bechara MS, Bechara CS, Queiroz HC, Oliveira RB, Mota RS, et al. Abordagem Multidisciplinar do ostomizado. Rev Bras Coloproct. 2005;25(2):146-9.

Reveles AG, Takahashi RT. Educação em saúde ao ostomizado: um estudo bibliométrico. Rev Esc Enferm USP. 2007;41(2):245-50.

Carvalho AFS, Dias, EC. Promoção da saúde no local de trabalho: revisão sistemática da literatura. Rev Bras Promoç Saúde. 2012;25(1):116-26.

Munguba MCS. Educação na saúde: sobreposição de saberes ou interface? Rev Bras Promoç Saúde [revista na internet]. 2010 [acesso em 2012 Abr 9]; 23(4):295-6. Disponível em: http://www.unifor.br/images/pdfs/rbps/editorial_2010.4.pdf.

Santos GS, LEAL SMC, VARGAS MA. Conhecendo as vivências de mulheres ostomizadas: contribuições para o planejamento do cuidado de enfermagem. Online Braz J Nurs [periódico na internet]. 2006 [acesso em 2012 Abr 12];5(1). Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/82/27

Anastasiou LGC, Alves LP. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 6ª ed. Joinville: Univille; 2006.

Galvão CM, Mendes KDS, Silveira RCCP. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008; 17(4):758-648.

Cesaretti IUR, Vianna LAC. Sistema oclusor ouoclusor intermitente da colostomia: alternativa para a reabilitação da pessoa colostomizada. Acta Paul Enferm. 2003;16(3):98-108.

O’Connor G. Teaching stoma-management skills: the importance of self-care. Br J Nurs. 2005;14(6):320-4.

O’Shea HS. Teaching the adult ostomy patient. J.Wound Ostomy Continence Nurs. 2001; 28(1):47-54.

Coey L. Readability of printed educational materials used to inform potential and actual ostomates. J Clin Nurs. 1996;5(6):359-66.

Living with an ostomy. Home Care Provid.1998;3(4):204-5.

Bray L, Sanders C. Preparing children and young people for stoma surgery. Paediatr. Nurs. 2006;18(4):33-7

Metcalf C. Stoma care: empowering patients through teaching practical skills. Br J Nurs. 1999;8(9):593-600.

Lenza NFB. Programa de Ostomizados: os significados para estomizados intestinais e familiares. [dissertação].Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo; 2011.

Leopardi MT. Teorias em enfermagem: instrumentospara a prática. Florianópolis: Papa-livros; 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2644

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia