Ação educativa para agentes comunitários de saúde na prevenção e controle da sífilis

Keila Maria Martins, Anna Jéssica Carvalho Sousa, Raimunda Lívia Farias Lima, Ana Samyha Xavier, Maria Adelane Monteiro Silva

Resumo


Objetivo: Descrever a experiência de ações educativas junto aos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) para a prevenção e controle dos casos de sífilis no município de Sobral-Ceará. Síntese dos dados: Trata-se de um relato de experiência de caráter intervencionista, realizado no período de junho a julho de 2012, em um Centro de Saúde da Família de Sobral-Ceará, identificado como o de maior incidência de sífilis no município no ano de 2011. Participaram em média 20 ACS. A abordagem educativa seguiu as fases de planejamento, implementação e avaliação. O planejamento consistiu na identificação do território de atuação, dos dados epidemiológicos e dos participantes da ação. O processo de implementação aconteceu em dois encontros, organizados em três momentos: acolhimento; desenvolvimento, em que se investigou o conhecimento prévio das participantes e se facilitou uma roda de conversa para a discussão sobre a temática; e encerramento. A avaliação se deu tanto do ponto de vista dos ACS como dos facilitadores. Percebeu-se uma fragilidade no conhecimento acerca da transmissão, sintomas e outros aspectos da doença. A roda de conversa proporcionou levantamento de dúvidas pelos ACS, discussões sobre os sentimentos gerados pelo diagnóstico e sensibilização quanto à importância da solicitação do exame para detecção da sífilis. Conclusão: A ação educativa com os ACS contribuiu para o fortalecimento do trabalho desses profissionais com a prevenção e o controle da sífilis. Considera-se que as discussões, problematizações e propostas de intervenção geradas favoreceram o aprendizado sobre a temática.


doi: 10.5020/18061230.2014.p422

Palavras-chave


Promoção da Saúde; Sífilis; Educação em Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Ministério da Saúde (BR). Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso. 8ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2010.

Campos ALA, Araújo MAL, Melo SP, Gonçalves MLC. Epidemiologia da sífilis gestacional em Fortaleza, Ceará, Brasil: um agravo sem controle. Cad Saúde Pública. 2010;26(9):1747-55.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico Sífilis. 2012;1(1):1-100.

Santos VC. Sífilis: uma realidade prevenível - sua erradicação, um desafio atual. Rev Saúde Pesquisa. 2009;2(2):257-63.

Secretaria de Saúde do Estado do Ceará. Situação da Saúde do Estado do Ceará. Fortaleza:

Secretaria do Estado do Ceará; 2011.

Buss PM. Promoção da saúde e qualidade de vida. Ciênc Saúde Coletiva. 2000;5(1):163-77.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Política nacional de promoção da saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Política nacional de atenção básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Martins KMC. “Depois da Obrigação, a Diversão”: Promovendo a saúde de agentes comunitários de saúde do Bairro Pe. Palhano-Sobral/CE. In: Falcão Sobrinho J, Vidal DL, Braga AL, Alves MJL, organizadores. Educação e Ações Extensionistas no Semiárido. 1ª ed. Mossoro: Universitárias; 2012. v. 215. p. 123-41.

Teixeira E, Medeiros HP, Garcez J, Imbiriba MMBG, Silva BAC. Conhecimentos-procedimentos de agentes comunitários de saúde sobre DST: pistas para educação permanente na Amazônia. Enferm Foco (Brasília). 2012;3(2):71-4

Uchôa AC. Experiências inovadoras de cuidado no Programa Saúde da Família (PSF): potencialidades e limites. Interface Comun Saúde Educ. 2009;13(29):299-311.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria-Executiva, Subsecretaria de Assuntos Administrativos. Educação Permanente em Saúde: um movimento instituinte de novas práticas no Ministério da Saúde: Agenda 2014. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Cavalcante AES, Silva MAM, Rodrigues ARM, Mourão Netto JJ, Moreira ACA, Goyanna NF. Diagnóstico e tratamento da sífilis: uma investigação com mulheres assistidas na atenção básica em Sobral, Ceará. DST - J Bras Doenças Sex Transm 2012;24(4):239-245.

Silva CGM. O significado de fidelidade e as estratégias para prevenção da Aids entre homens casados. Rev Saúde Pública. 2002;36(4 Supl):40-9.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância epidemiológica. 6ª. ed. Brasília : Ministério da Saúde; 2005.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde, Programa Nacional de DST e Aids. Protocolo para a prevenção de transmissão vertical de HIV e sífilis: manual de bolso. Brasília : Ministério da Saúde; 2007.

Silva DMAS. Conhecimento dos profissionais da Estratégia Saúde da Família acerca da prevenção da transmissão vertical da sífilis em Fortaleza-CE [dissertação]. Fortaleza: Universidade de Fortaleza; 2010




DOI: https://doi.org/10.5020/2692

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia