Influência do tempo de prática de exercício físico na composição corporal: experiência do programa de educação pelo trabalho para a saúde

Carminda Goersch Lamboglia, Monica Helena Neves Pereira Pinheiro, Kristiane Mesquita Barros Franchi, Luciana Leite Pequeno

Resumo


Objetivo: Analisar a influência do tempo de prática de exercício físico na composição corporal de mulheres. Métodos: Estudo quase experimental e com delineamento ex post facto. A amostra foi composta por 61 mulheres, com idades acima de 40 anos, que participavam de um programa de exercícios promovido pelo Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde), da Universidade de Fortaleza, sendo divididas em dois grupos: Grupo 1 - Caso (praticavam exercício físico há, no mínimo, 6 meses) e Grupo 2 - Controle (praticavam exercício há menos de 6 meses). Foram avaliadas medidas de peso, estatura, índice de massa corporal, circunferências da cintura e do quadril e de composição corporal (bioimpedância modelo 310). Para os parâmetros de saúde, utilizou-se o Canadian Standardized Test of Fitness. Realizou-se o tratamento estatístico através da análise descritiva (média e desvio padrão) e inferencial (Independente-Sample T e One-Sample T Test). O nível de significância adotado foi de p<0,05. Resultados: Não se observou diferença significativa (p=0,48) na variável IMC entre Grupo Caso (28±4 kg/m2) e Grupo Controle (27,5±4,2 kg/ m2). Ambos apresentaram padrões adequados de saúde. Os resultados para a relação de cintura/quadril não constataram diferença significativa (p=1,10) entre os grupos, porém, houve diferença significativa quando comparados aos padrões de saúde. O percentual de gordura não foi diferente (p=0,56) entre os grupos, mas, quando relacionados aos padrões de saúde, observou-se diferença significativa em ambos os grupos. Conclusão: Em relação às variáveis antropométricas, não se observou influência do tempo na composição corporal e nos padrões referenciados à saúde. A ausência de diferença significativa entre os grupos provavelmente se encontra vinculada à manutenção da massa corporal e da massa magra, sugerindo-se mudanças na frequência e no volume do programa de exercício físico, a fim de proporcionar mudanças significativas na composição corporal.

Palavras-chave


Composição Corporal; Exercício; Saúde da Mulher.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Lalonde M. A new perspective on the health of

Canadians. Ottawa: Health and Welfare; 1974.

Escorel S, Giovanell L, Mendonça MHM, Senna MCM. O Programa de Saúde da Família e a construção de um novo modelo para atenção básica no Brasil. Pan Am J Public Health. 2007;21(2):164-76.

Gil CRR. Atenção primária, atenção básica e saúde da família: sinergias e singularidades do contexto brasileiro. Cad Saúde Pública. 2006;22(6):1171-81.

Vieira ET, Borges MJLB, Pinheiro SRM, Nuto SAS.

O Programa Saúde da Família sob o enfoque dos profissionais de saúde. Rev Bras Promoção em Saúde.

; 17(3):119-26.

Shepard RJ. Envelhecimento, atividade física e saúde.

São Paulo: Phorte; 2003.

American College of Sports Medicine. Manual do ACMS para avaliação da aptidão física relacionada à saúde. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2006.

Delaney MF. Strategies for the prevention and treatment of osteoporosis during early postmenopause. Am J Obst Gynecol. 2006;194:S12-23.

Reis CMRF, Melo NR, Vezzozo DP, Meirelles ES, Halpern A. Composição corpórea, distribuição de gordura e metabolismo de repouso em mulheres histerectomizadas no climatério: há diferenças de acordo com a forma da administração do estrogênio?. Arq Bras Endocrinol Metab. 2000; 44(1): 178-185.

Bailor DL, Keesey RE. A meta-analysis of the factors affectinh exercise-induced changes in body mass, fat mass and fat-free mass in males and females. Int JObes.

;15(11): 717-726.

Thomas JR, Nelson JK, Silverman SJ. Métodos de pesquisa em atividade física. Artmed: Porto Alegre;

Ministério da Saúde (BR). Portaria Interministerial n° 421, de 3 de março de 2010. Institui o PET-Saúde, para a formação de grupos de aprendizagem tutorial em áreas estratégicas para o SUS. Diário Oficial da União, Brasília, 2010 Mar 5.

Fitness Canada. Canadian Standardized Test of Fitness (CSTF) Operations Manual. Ottawa: Fitness and Amateur Sport, 1986.

Spirduso WW. Dimensões físicas do envelhecimento.

São Paulo; Manole; 2005.

Costa PRF, Assis AMO, Silva MCM, Santana MLP, Dias JC, Pinheiro SMC, Santos NS. Mudança nos parâmetros antropométricos: a influência de um programa de intervenção nutricional e exercício físico em mulheres adultas. Cad Saúde Pública.

;25(8):1763-73.

Costa KP, Flores CEC, Pires Neto CS. Alterações nas variáveis de saúde em mulheres participantes de um programa público de exercícios físicos. Motriz. 2010;

(1):162-9

Fett CA, Fett WCR, Padovan GJ, Marchini, JS.

Mudança no estilo de vida e fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis e sistema imune de mulheres sedentárias. Rev Nutr. 2009; 22(2):245-

Matsudo SM, Marin RV, Ferreira MT, Araujo TL, Matsudo V. Estudo longitudinal- tracking de 4 anos - da aptidão física de mulheres da maioridade fisicamente ativas. Rev Bras Ciênc Mov. 2004;12(3):47-52.

Matsudo SM, Matsudo VKR, Baroros Neto TL.

Atividade física e envelhecimento: aspectos epidemiológicos. Rev Bras Med Esporte. 2001;7(1):2-

Granza I, Santos BV, Mattos WTA, Fernandes NL, Bender ET. Efeitos do treinamento em circuito

personalizado em dois grupos de mulheres sedentárias com idade entre 23 a 49 anos sobre a antropometria e composição corporal durante doze semanas. RBPFEX.

;3(13):4-15.

Gonçalves JMP, Lopes JGC, Pires Neto CS, Santos MG. A influência do exercício físico no perfil lipídico e na aptidão física em mulheres idosas. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2009; 12(2):215-26.

Machado PAN, Sichieri R. Relação cintura-quadril e fatores de dieta em adultos. Rev Saúde Pública.

;36(2):198-204.

Silva RM, Araújo MAL. Promoção da saúde no contexto interdisciplinar. Rev Bras Promoção em Saúde. 2007; 20 (3) : 141-142.




DOI: https://doi.org/10.5020/18061230.2013.p166

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia