Vigilância epidemiológica da tuberculose em presídios do Espírito Santo

Laylla Ribeiro Macedo, Cristina Ribeiro Macedo, Ethel Leonor Noia Maciel

Resumo


Objetivos: Identificar o perfil epidemiológico dos casos diagnosticados de tuberculose durante o período de julho de 2009 a julho de 2010, na população carcerária localizada nas unidades prisionais do estado do Espírito Santo (ES). Métodos: Estudo epidemiológico, descritivo do tipo levantamento retrospectivo referente aos casos diagnosticados de tuberculose nas 27 unidades prisionais do ES sob a administração da Secretaria de Estado da Justiça (SEJUS) durante o período estudado. Os dados foram coletados a partir da revisão das fichas padronizadas de acompanhamento de tuberculose, cuja caracterização da população englobou as variáveis: sexo, faixa etária, forma de tuberculose, desfecho do caso e localização. Utilizou-se estatística descritiva, por meio de tabelas e gráficos. Resultados: Observaram-se 167 casos de tuberculose (taxa de incidência de 1962,6 por 100 mil presos). O sexo masculino apresentou maior número de pacientes, assim como a faixa etária de 25 a
36 anos e a forma clínica pulmonar. Sobre o desfecho dos casos, destaca-se que 167 (65,3%) pacientes tiveram alta por cura, ocorrendo dois óbitos durante o período, sendo a taxa de mortalidade por tuberculose de 11,7 por 100 mil presos. A maior incidência da tuberculose foi em pacientes localizados nas unidades prisionais da Região Metropolitana e um pequeno número de casos ocorreu em outros locais externos às unidades prisionais. Conclusão: Observou-se que em sua maioria eram homens, com idade entre 26 e 35 anos, portadores de tuberculose do tipo pulmonar, provenientes da região metropolitana do Estado e possuíam o desfecho de alta/cura.


doi:10.5020/18061230.2013.p216

Palavras-chave


Epidemiologia; Tuberculose; Prisões.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de Controle da Tuberculose,2010. [acesso em 2010 Nov 20]. Disponível em URL: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_ texto.cfm?idtxt=28055.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de Controle da tuberculose: manual de recomendações para o controle da tuberculose no Brasil. Brasilia; 2011.

Abebe DS, Bjune G, Ameni G. Biffa D, Abebe F.Prevalence of pulmonary tuberculosis and associated risk factors in Eastern Ethiopian prisons. Int J Tuberc Lung Dis. 2011;15(5):668-73.

Lobacheva T, Asikainen T, Giesecke J. Risk factors for developing tuberculosis in remand prisions in St. Petersburg. Russia – a case-control study. European Jounal of Epidemiology. 2007; 222(2):121-7.

Sánchez AR, Diuana V, Gerhardt G, Camacho LAB.A tuberculose nas prisões: uma fatalidade? Cad Saúde Pública 2006; 22(12):1547-55.

Oliveira HB, Cardoso JC. Tuberculosis among city jail inmates in Campinas, São Paulo, Brazil. Rev Panam Salud Publica. 2004:15(3):185-93.

Moreira TR, Favero JL, Maciel ELN. Tuberculose no sistema prisional Capixaba. Rev Bras de Pesquisa em Saúde. 2010;12(1):26-33.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção a Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário: Portaria Interministerial Nº 1777 de 09/09/03. Brasília: Editora do Ministério da Saúde;2004.

Secretaria de Estado da Justiça (BR), Sistema Penitenciário em Números. Relatório Janeiro 2011,2011. [acesso em 2012 Nov 26]. Disponível em: http://www.sejus.es.gov.br/default.asp

Secretaria de Estado da Saúde do Espirito Santo (BR), Secretaria de Estado da Justiça. Portaria R Nº 690 de 29 de setembro de 2008 e o Protocolo de Controle de Tuberculose Pulmonar da População Prisional do Espírito Santo. Espírito Santo; 2008.

Ministério da Saúde (BR). Sala de Situação em Saúde: Indicadores epidemiologicos - Tuberculose,2012. [acesso em 2012 Nov 26]. Disponível em: http://189.28.128.178/sage/.

Abrahão RM, Nogueira PA, Malucelli MI. Tuberculosis in county jail prisoners in the western sector of the city of São Paulo, brazil. Int J Tuberc Lung Dis. 2006;10(2):203-8.

Sánchez AR, Massari V, Gerhardt G, Barreto AW, Cesconi V, Pires J, Espínola AB, Biondi E, Larouzé B, Camacho LAB. A tuberculose nas prisões do Rio de Janeiro, Brasil: uma urgência de saúde pública. Cad Saúde Pública. 2007; 23(3):545-52.

Coninx R, Maher D, Reyes H, Grzemska M.Tuberculosis in prisons in countries with high prevalence. BMJ. 2000;320(7332):440-2.

Monti JFC. Perfil epidemiológico, clínico e evolutivo da tuberculose na Região de Bauru. Rev da Sociedade Bras de Medicina Tropical 2000;33(1):99-100.

Secretaria de Estado da Saúde do Mato Grosso (BR).Portal de serviços e informações do Mato Grosso do Sul. A tuberculose no Sistema penitenciário brasileiro. [acesso em 2010 Jan 12]. Disponível em: http://www. saude.mt.gov.br/upload/documento/81/a-tuberculose- no-sistema-%5B81-080909-SES-MT%5D.pdf.

Lemos ACM, Matos ED, Bittencourt CN. Prevalência de TB ativa e TB latente em internos de um hospital penal na Bahia. J Bras Pneumol. 2009;35(1):63-8.

Banu S, Hossain A, Uddin MKM, Uddin MR, Ahmed T, Khatun R, Mahmud AM, Hyder KA, Lutfor AB, Karim S, Zaman K, Khan AI, Barua PC, Luby AP. Pulmonary Tuberculosis and Drug Resistance in Dhaka Central Jail, the Largest Prison in Bangladesh. Plos one. 2010;5(5):1-5.

Lourenço MCS, Silva MG, Fonseca LS. Multidrug- resistant tuberculosis among male inmates ind Rio de Janiero, Brazil. Braz J Microbiol. 2000;31(1):17-9

Prado TN, Caus AL, Marques M, Maciel EL, Golub JE, Miranda AE. Perfil epidemiológico de pacientes adultos com tuberculose e AIDS no estado do Espírito Santo, Brasil: relacionamento dos bancos de dados de tuberculose e AIDS. J Bras Pneumol. 2011;37(1):93-9.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2907

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia