Nível de atividade física de escolares da rede pública de ensino de um município do Rio Grande do Sul

Franciele Dresch, Josefina Bertoli, José Raphael Leandro Costa Silva, Anderson Simas Frutuoso, Cíntia de la Rocha Freitas

Resumo


Objetivo: Diagnosticar o nível de atividade física de escolares entre 15 e 18 anos da rede pública de ensino de um município do Rio Grande do Sul, Brasil. Métodos: Estudo quantitativo, do tipo transversal. Aplicou-se o Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ), versão curta. Comparou-se o nível de atividade física entre os sujeitos do sexo feminino e masculino através do Teste de Mann-Whitney. Para comparação dos sujeitos do mesmo sexo nas diferentes idades, foi utilizado o Teste de Kruskal-Wallis. Adotou-se, para todas as análises, o nível de significância de 0,05. Resultados: Observou-se que 57,5% (n=309) dos sujeitos eram ativos; 26,3% (n=141), moderadamente ativos; e 16,2% (n=87), inativos, sendo o nível de atividade física estatisticamente superior em adolescentes do sexo masculino. Verificou-se que 59,6% (n=136) destes e 56% (n=176) das adolescentes se classificaram como muito ativos. Atividades como caminhada são realizadas com maior frequência semanal (5,36 dias/semana) em comparação com as atividades de intensidade moderada (3,74 dias/semana) e vigorosa (2,06 dias/semana). Conclusão: Houve maior ocorrência de sujeitos classificados como muito ativos, seguidos dos suficientemente ativos e, por último, os insuficientemente ativos. Os sujeitos do sexo masculino demonstraram ser fisicamente mais ativos do que os do sexo feminino.


doi:10.5020/18061230.2013.p365

Palavras-chave


Atividade Física; Adolescente; Avaliação em Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Azevedo MR, Araújo CL, Silva MC, Hallal PC. Tracking of physical activity from adolescence to adulthood: a population-based study. Rev Saúde Pública. 2007;41:69-75.

Baretta E, Baretta M, Peres KG. Nível de atividade física e fatores associados em adultos no município de Joaçaba, SC, Brasil. Cad Saúde Pub [periódico naInternet]. 2007 [acesso em 2007 Jun 4];23(7).Disponívelem: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311x2007000700010&script=sci_arttext.

World Health Organization. Global recommendations on physical activity for health. Geneva, Switzerland; 2010.

Luguetti CN, Nicolai AH, Bohme MTS. Indicadores de aptidão física de escolares da região centro-oeste da cidade de São Paulo. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2010,12(5):331-7.

Copetti J, Neutzling MB, Silva MC. Barreiras à prática de atividades físicas em adolescentes de uma cidade do sul do Brasil. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2010;15(2):88-94.

Seabra AF, Mendonça DM, Thomis MA, Anjos LA, Maia JA. Determinantes biológicos e sócio-culturais associados à prática de atividade física de adolescentes. Cad Saúde Pública. 2008;24(4):721-36.

Sallis JF, Conway TL, Prochaska JJ, McKenzie TL, Marshall SJ, Brown M. The association of school environments with youth physical activity. American Journal of Public Health. 2001;91(4):618-20.

Pelegrini A, Silva RCR, Petroski EL. Relação entre o tempo em frente à tv e o gasto calórico em adolescentes com diferentes percentuais de gordura corporal. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2008;10(1):81-4.

Gibbons S, Naylor PJ. Whole school obesity prevention models: considerations for secondary schools.CAPHERD Journal. 2007;72:8-1

Silva RCD, López RFA, Pereira FS, Silva MFR, Macedo AV. Perfil lipídico e nível de atividade física de adolescentes escolares. Rev Bras Promoç Saúde.2011;24(4):384-9.

Rosa CSC, Messias KP, Araujo FR, Buonani SC,Monteiro HL, Forte FJI. Atividade física habitual de crianças e adolescentes mensurada por pedômetro e sua relação com índices nutricionais. Rev. Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2011,13(1):22-8.

Silva SG, Minatto G, Fares D. Caracterização da pesquisa. In: Santos SG, organizador. Métodos e técnicas de Pesquisa Quantitativa Aplicada à Educação Física. Florianópolis: Ed. Tribo da Ilha; 2011. p. 67-73,

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sistema de Consulta a Matrícula do Censo Escolar 1997-2013 [acesso em 2007 Mai 22]. Brasília; 2013. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-matricula

Guedes DP, Lopes CC, Guedes JERP. Reprodutibilidade e validade do Questionário Internacional de Atividade Física em adolescentes. Rev Bras Med Esporte.2005;11(2):151-8.

Hallal PC, Victora CG, Wells JCK, Lima RC. Physical Inactivity: Prevalence And Associated Variables In Brazilian Adults. Med Sci Sports Exerc. 2003; 35:1894-900.

Guedes DP, Guedes JERP, Barbosa DS, Oliveira JA. Níveis de prática de atividade física habitual em adolescentes. Rev Bras Med Esporte. 2001;7(6):187-99.

Arruda ELM, Lopes AS, Gordura corporal, nível de atividade física e hábitos alimentares de adolescentes da região serrana de santa catarina, Brasil. Rev Bras Cineantropom. Desempenho Hum. 2007;9(1):5-11.

Silva R, Matias T, Viana M, Andrade A. Relação da prática de exercícios físicos e fatores associados às regulações motivacionais de adolescentes brasileiros. Motricidade. 2012;8(2):8-21

Seghersa J, Martelaerb K, Cardonca G. Young people’s health as a challenge for physical education in schools in the twenty-first century: the case of Flanders (Belgium)Phys Edu and Sport Pedagogy. 2009;14(4):47-420.

Santos MS, Fermino RC, Reis RS, Cassou AC, Añez CRR. Barreiras para a prática de atividade física em adolescentes. Um estudo por grupos focais. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2010;12(3):137-43.

Farias Júnior JC, Lopes AS, Mota J, Hallal PC.Prática de atividade física e fatores associados em Rev Bras Promoc Saude, Fortaleza, 26(3): 365-371, jul./set., 2013 371 Nível de atividade física de escolares adolescentes no nordeste do Brasil. Rev Saúde Pública. 2012;46(3):505.

Pelegrini A. Prevalência de sedentarismo, excesso de peso e insatisfação com a imagem corporal em adolescentes de Florianópolis, SC. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2009;11(2):254.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2941

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia