Cooperação entre agentes de endemias e escolas na identificação e controle da dengue

Pablo Cordeiro da Silva, Alberto Mesaque Martins, Virgínia Torres Schall

Resumo


Objetivo: Analisar o processo de cooperação entre os agentes de endemia e a escola em áreas favoráveis à reprodução do vetor da dengue em domicílios. Métodos: A pesquisa, exploratória e descritiva, caracterizou-se por uma abordagem quantitativa e qualitativa. Os dados foram obtidos por meio de três visitas a 93 domicílios de estudantes do ensino fundamental de uma escola pública em Teófilo Otoni-MG. As visitas ocorreram com intervalos de 30 dias, por meio da cooperação entre agentes de endemias e pesquisadores orientados por uma lista de verificação para identificação de possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti. Após a primeira visita, realizou-se uma ação educativa na escola visando fomentar o debate acerca da prevenção da dengue e controle do vetor. Duas visitas posteriores foram realizadas para verificar possíveis mudanças no ambiente domiciliar. Após as visitas, entrevistas com os agentes de endemias buscaram identificar suas percepções quanto à participação no processo de investigação. Resultados: Na primeira visita, em 83 (89,3%) casas havia presença de algum recipiente propício à reprodução do vetor da dengue. Após o desenvolvimento de ações educativas, na segunda e terceira visitas, o número de casas com criadouros potenciais diminuiu para 65 (70,0%) e 63 (68,0%), respectivamente, indicando o potencial dessas atividades para o controle do vetor da doença. Conclusão: O estudo demonstra o potencial de ações educativas de cooperação entre agentes de endemia e escolas do ensino básico,viabilizando a intersetorialidade na prevenção da dengue.


doi:10.5020/18061230.2013.p404

Palavras-chave


Dengue; Ação Intersetorial; Educação em Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


World Health Organization - WHO. Dengue guidelines for diagnosis, treatment, prevention and control: new edition. Geneva: World Health Organization; 2009.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica.Diretrizes nacionais para prevenção e controle de epidemias de dengue. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

Madeira NG, Macharelli CA, Pedras JF, Delfino MCN.Education in primary school as a strategy to control dengue. Rev Soc Bras Med Tropical. 2002;35(3):221-6.

Sales FMS. Ações de educação em saúde para prevenção e controle da dengue: um estudo em Icaraí,Caucaia, Ceará. Cien Saude Colet. 2008;13(1):174-84.

Cazola LHO, Pontes RJCP, Tamaki EM, Andrade SMO, Reis CB. O Controle da Dengue em duas Áreas Urbanas do Brasil Central: percepção dos moradores.Saude & Soc. 2011; 2(20):786-96.

Santos SL, Cabral ACSP, Augusto LG. Conhecimento, atitude e prática sobre dengue, seu vetor e ações de controle em uma comunidade urbana do Nordeste. Cienc Saúde Coletiva. 2011;16(supl1):1319-30.

Mendonça FA, Souza AV, Dutra DA. Saúde pública,urbanização e dengue no Brasil. Soc & Natureza.2009;21(3):257-69.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa). Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

Pedro AS, Souza-Santos R, Sabroza PC, Oliveira RM. Condições particulares de produção e reprodução da dengue em nível local: estudo de Iatipu, Região Oceânica de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Cad Saúde Pública. 2009;25(9):1937-46.

Lefevre F, Lefevre AMC, Scandar SAS, Yassumaro S. Representações sociais sobre relações entre vasos de plantas e o vetor da dengue. Rev Saúde Pública. 2004;38(3):405-14.

Silva PC. Análise de uma ação educativa integrada de controle da dengue em uma escola pública no município de Teófilo Otoni [dissertação]. Minas Gerais: Universidade Estadual de Montes Claros/Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; 2012.

Piovesan A, Temporini ER. Pesquisa exploratória: procedimento metodológico para o estudo de fatores humanos no campo da saúde pública. Rev Saúde Pública. 1995;29(4):318-25.

Secretaria Municipal de Saúde de Teófilo Otoni- MG. Sistema Nacional de Notificações – SinaNET: investigação de dengue 2011. Teófilo Otoni; 2011.

Schall VT, Barros HS, Jardim JB, Secundino NFC, Pimenta PFP. Dengue prevention at the household level: preliminary evaluation of a mesh cover for flowerpot saucers. Rev Saúde Pública. 2009;43(5):895-7.

Jardim JB, Barros HS, Macedo G, Pimenta PFP, Schall VT. The control of Aedes aegypti for water access in households: Case studies towards a school-based education programme through the use of net covers.Dengue Bulletin. 2009;33:176-86.

Jardim JB, Bocewicz AC, Schall VT. Specifying skills for proficient control of Aedes aegypti oviposition in flowerpot saucers through the use of net covers. Dengue Bulletin. 2011;35:161-72.

Moreira MA. Teorias de aprendizagem. São Paulo: Editora Pedagógica Universitária; 1999.

Barros HS. Investigação de conhecimentos sobre a dengue e do índice de adoção de um recurso preventivo (Capa Evidengue®) no domicílio de estudantes, associados a uma ação educativa em ambiente domiciliar [dissertação]. Rio de Janeiro: Instituto Oswaldo Cruz; 2007.

Laboratório de Educação em Saúde e Ambiente – LAESA, Centro de Pesquisas René Rachou – CPqRR. Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ – MG.Animadengue.

United Nations. The Millennium Development Goals Report. New York; 2011.

Donalísio MR, Glasser CM. Vigilância entomológica e controle de vetores do dengue. Rev Bras Epidemiol.2002;2(3):259-72.

Maciel ELN, Oliveira CB, Frechiani JM, Sales CMM, Brotto LDA, Araújo MD. Projeto Aprendendo Saúde na Escola: a experiência de repercussões positivas na qualidade de vida e determinantes da saúde de membros de uma comunidade escolar em Vitória, Espírito Santo. Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(2):389-96.

Chiaravalloti Neto F, Barbosa AC, Cesarino MB,Favaro EV, Mondini A, Ferraz AA, Dibo MR, Vicentini ME. Controle do dengue em uma área urbana do Brasil: avaliação do impacto do Programa Saúde da Família com relação ao programa tradicional de controle. Cad Saúde Pública. 2006;22(5):987-97.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2948

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia