Métodos indiretos para mensuração da gordura corporal em adolescentes escolares

Priscilla Alencar de Oliveira Morais, Milla Gabriela Belarmino Dantas, Ana Carolina Rodarti Pitangui, Rodrigo Cappato de Araújo, Paulo Adriano Schwingel

Resumo


Objetivo: Comparar dois diferentes métodos indiretos de estimativa do percentual de gordura corporal em adolescentes escolares. Métodos: Estudo analítico, de caráter transversal, realizado com 300 escolares entre 12 e 17 anos na cidade de Petrolina, Pernambuco, Brasil.Todos foram submetidos à avaliação antropométrica, tendo os percentuais de gordura corporal estimados por dobras cutâneas e bioimpedância elétrica (BIA) bipolar. Os testes seguiram os procedimentos recomendados e os avaliados estavam vestidos segundo recomendações. Os distintos percentuais de gordura corporal foram comparados através do teste não paramétrico de Wilcoxon e correlacionados pelo coeficiente de correlação linear de Spearman, com nível de significância de p≤0,05. Resultados: A mediana (intervalo interquartil) de idade dos avaliados foi de 13,0 (13,0-15,0) anos, sendo 214 (71,3%) meninas. Os métodos comparados apresentaram forte correlação linear positiva (r=0,76; p<0,001). Porém, os 26,9% (26,5-28,2) de gordura obtidos por dobras cutâneas são estatisticamente diferentes (p<0,001) dos 22,3% (21,6-23,1) verificados por BIA. Em ambos os gêneros e em todas as idades, o percentual de gordura estimado por dobra cutânea foi maior que o estimado por BIA, entretanto, os métodos apresentam boa correlação (p<0,0001). Conclusão: Os percentuais de gordura corporal mensurados pelo método antropométrico (dobras cutâneas) e pela bioimpedância bipolar apresentam uma correlação forte e significativa em adolescentes escolares. Nesse âmbito, BIA configura-se como opção interessante para monitorizar e avaliar as alterações no estado nutricional desta população.


doi:10.5020/18061230.2013.p412

Palavras-chave


Composição Corporal; Pregas Cutâneas; Impedância Elétrica; Adolescente; Obesidade.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Fujioka Y. How do we treat body fat percentages determined by bioelectrical impedance analysis? Circ J. 2012;76(10):2335-6.

World Health Organization - WHO. Obesity and overweight [internet; acesso em 2012 Jul 10].Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs311/en/

Paschoal MA, Campos JF, Moraes FM. Perfil antropométrico e clínico de escolares e sua relação coma síndrome metabólica na infância. Rev Bras Promoç Saúde. 2012;25(2):202-8.

Ejike CE, Ijeh II. Obesity in young-adult Nigerians: variations in prevalence determined by anthropometry and bioelectrical impedance analysis, and the development of % body fat prediction equations. Int Arch Med. 2012;5(1):22.

Cocetti M, Castilho SD, Barros Filho AA. Dobras cutâneas e bioimpedância elétrica perna-perna na avaliação da composição corporal de crianças. Rev Nutr. 2009;22(4):527-36

Yamashita K, Kondo T, Osugi S, Shimokata K, Maeda K, Okumura N, et al. The significance of measuring body fat percentage determined by bioelectrical impedance analysis for detecting subjects with cardiovascular disease risk factors. Circ J. 2012;76(10):2435-42.

Martins KA, Monego ET, Paulinelli RR, Freitas-Júnior R. Comparação de métodos de avaliação da gordura corporal total e sua distribuição. Rev Bras Epidemiol.2011;14(4):677-87

Eickemberg M, Oliveira CC, Roriz AKC, Sampaio LR. Bioimpedância elétrica e sua aplicação em avaliação nutricional. Rev Nutr. 2011;24(6):883-93

Mello MT, Dâmaso AR, Antunes HKM, Siqueira KO, Castro ML, Bertolino SV, Stella SG, Tufik S. Avaliação da composição corporal em adolescentes obesos: o uso de dois diferentes métodos. Rev Bras Med Esporte. 2005;11(5):267-70

Rech CR, Silva AT, Lunardi CC, Bohrer T, Petroski EL. Comparação da absortometria radiológica de dupla energia, antropometria e impedância bioelétrica naavaliação da composição corporal em mulheres. Lect Educ Fís Dep (Buenos Aires). 2005;10(91):32.

Thibault R, Pichard C. The evaluation of body composition: a useful tool for clinical practice. Ann Nutr Metab. 2012;60(1):6-16.

Kriemler S, Puder J, Zahner L, Roth R, Braun- Fahrländer C, Bedogni G. Cross-validation of bioelectrical impedance analysis for the assessment of body composition in a representative sample of 6- to 13-year-old children. Eur J Clin Nutr. 2009;63(5):619-26.

Marfell-Jones M, Olds T, Stewart A, Carter L. International standards for anthropometric assessment. Potchefstroom: International Society for the Advancement of Kinanthropometry; 2006.

Ronque ERV, Cyrino ES, Dórea VR, Serassuelo Júnior H, Galdi EHG, Arruda M. Prevalência de sobrepeso e obesidade em escolares de alto nível socioeconômico em Londrina, Paraná, Brasil. Rev Nutr. 2005;18(6):709-17.

Ministério da Saúde (BR). Obesidade. Brasília:Ministério da Saúde; 2006. (Cadernos de atenção básica, 12)

Slaughter MH, Lohman TG, Boileau RA, Horswill CA, Stillman RJ, Van Loan MD, et al. Skinfold equations for estimation of body fatness in children and youth. Hum Biol. 1988;60(5):709-23.

Lukaski HC. Requirements for clinical use of bioelectrical impedance analysis (BIA). Ann N Y Acad Sci. 1999;20(873):72-6.

Deurenberg P, Pieters JJ, Hautvast JG. The assessment of the body fat percentage by skinfold thickness measurements in childhood and young adolescence. Br J Nutr. 1990;63(2):293-303.

Cole TJ, Bellizzi MC, Flegal KM, Dietz WH. Establishing a standard definition for child overweight and obesity worldwide: international survey. BMJ. 2000;320(7244):1240-3.

Ochiai H, Shirasawa T, Nishimura R, Morimoto A, Shimada N, Ohtsu T, et al. Relationship of body mass index to percent body fat and waist circumference among schoolchildren in Japan – the influence of gender and obesity: a population-based cross-sectional study. BMC Public Health. 2010;10:493.

Lawlor DA, Benfield L, Logue J, Tilling K, Howe LD, Fraser A, et al. Association between general and central adiposity in childhood, and change in these, with cardiovascular risk factors in adolescence: prospective cohort study. BMJ. 2010;341:c6224.

Carvalho ABR, Pires-Neto CS. Composição corporal através dos métodos da pesagem hidrostática e impedância bioelétrica em universitários. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 1999;1(1):18-23.

Rios DG, Ramos GP, Mendes TT, Barros CLM. Comparação de diferentes métodos de estimativa do percentual de gordura em estudantes universitários. Rev Min Ciênc Saúde. 2010;2(2):21-7.

Olivoto RR. Pregas cutâneas x impedância bioelétrica: mensuração da composição corporal. Lect Educ Fís Dep (Buenos Aires). 2004;10(71):e34.

Jambassi Filho JC, Cyrino ES, Gurjão ALD, Braz IA, Gonçalves R, Gobbi S. Estimativa da composição corporal e análise de concordância entre analisadoresde impedância bioelétrica bipolar e tetrapolar. Rev Bras Med Esporte. 2010;16(1):13-7

Lim JS, Hwang JS, Lee JA, Kim DH, Park KD, Jeong JS, Cheon GJ. Cross-calibration of multi-frequency bioelectrical impedance analysis with eight-point tactile electrodes and dual-energy X-ray absorptiometry for assessment of body composition in healthy children aged 6–18 years. Pediat Int. 2009;51(2):263-8

Hemmingsson E, Uddén J, Neovius M. No apparent progress in bioelectrical impedance accuracy: validation against metabolic risk and DXA. Obesity. 2009;17(1):183-7

Cavernnec ML, Fagour C, Adenis-Lamarre E, Perlemoine C, Gin H, Rigalleau V. Body composition of obese subjects by air displacement plethysmography: the influence of hydration. Obesity. 2007;15(1):78-84.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2949

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia