Impacto de estratégias de educação nutricional sobre variáveis antropométricas e conhecimento alimentar

Ana Carolina Marques Gomes, Carolina Paudarco Dias, Roseli Oliveira Guerra, Vera Lúcia Morais Antonio de Salvo

Resumo


Objetivo: Avaliar o impacto de um programa de educação nutricional sobre o estado nutricional e conhecimento alimentar de pacientes com excesso de peso. Métodos: Estudo longitudinal, de natureza quantitativa, realizado entre setembro e outubro de 2012, com amostra constituída por 15 pacientes com excesso de peso (sobrepeso: Índice de Massa Corpórea (IMC)>25,0kg/m2 e <30kg/m2, e obesidade: IMC>30kg/m2), frequentadores de um grupo de educação alimentar em uma Unidade Básica de Saúde (UBS). A intervenção nutricional ocorreu em seis encontros semanais (M1: triagem geral e M2 a M7: 6 intervenções nutricionais), sendo aplicado um questionário para avaliar o conhecimento dos participantes sobre os assuntos a serem discutidos antes e após a intervenção. Antes do primeiro encontro e na última intervenção, foram aferidos peso, altura e perímetro de cintura. Realizou-se teste não paramétrico de Wilcoxon, com nível de significância de 5%, para analisar a média do número de acertos nas questões e na evolução nutricional. Resultados: Após a estratégia de educação nutricional, houve uma redução média de 1,51kg do peso inicial; o valor médio de IMC passou de 37,41lg/m² para 36,85lg/m²; o perímetro de cintura apresentou redução média de 5,6cm; além do aumento no número de acertos dos questionários. Conclusão: A estratégia de educação nutricional parece ter influenciado na boa evolução do estado nutricional dos participantes, propiciando redução de medidas antropométricas e ampliando os conhecimentos sobre alimentação saudável.

doi: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2013.p462

Palavras-chave


Educação Alimentar e Nutricional; Obesidade, Promoção da Saúde; Educação em Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Francischi RPP, Pereira LO, Freitas CS, Klopfer M, Santos RC, Vieira P, et al. Obesidade: atualização sobre sua etiologia, morbidade e tratamento. Rev Nutr.2000;13(1):17-28.

Marinho SP, Martins IS, Perestrelo JPP, Oliveira DC. Obesidade em adultos de segmentos pauperizados da sociedade. Rev Nut. 2003;16(2):195-201.

Bueno JM, Leal FS, Saquy LPL, Santos CB, Ribeiro RPP. Educação alimentar na obesidade: adesão e resultados antropométricos. Rev Nutr. 2011;24(4):575-84.

Mendonça CP, Anjos LA. Aspectos das práticas alimentares e da atividade física como determinantes do crescimento do sobrepeso/obesidade no Brasil. Cad Saúde Pública. 2004;20(3):698-709.

Organização Mundial da Saúde - OMS. Estadísticas sanitárias mundiales: uma instátanea de la salud mundial: 2012 [acesso em 2013 Ago 25]. Disponívelem: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/70887/1/ WHO_IER_HSI_12.1_spa.pdf

Guimarães NG, Dutra ES, Ito MK, Carvalho KMB. Adesão a um programa de aconselhamento nutricional para adultos com excesso de peso e comorbidades. Rev Nutr. 2010;23 (3):323-33.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigitel Brasil 2011: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquéritotelefônico. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Santos LAS. Educação alimentar e nutricional no contexto da promoção de práticas alimentares saudáveis. Rev Nutr. 2005;18(5):681-92.

Flodgren G, Deane K, Dickinson HO, Kirk S, Alberti H, Beyer FR, et al. Interventions to change the behaviour of health professionals and the organisation

of care to promote weight reduction in overweight andobese adults. Canada: Cochrane Effective Practice and Organisation of Care Group; 2010.

Curion C, André C, Veras R. Weight reduction for primary prevention of stroke in adults with overweight or obesity. Canada: Cochrane Metabolic and Endocrine Disorders Group; 2006.

Organização Mundial da Saúde – OMS. Carta de Ottawa. In: Buss PM, organizador. Promoção da sáude e saúde pública. São Paulo: ENSP;1986. p. 158-62.

Ferreira VA, Magalhães R. Nutrição e promoção da saúde: perspectivas atuais. Cad Saúde Pública. 2007;23(7):1674-81.

Benko CR, Farias AC, Cordeiro ML. Eating habits and psychopathology: translation, adaptation, reliability of the Nutrition Behavior Inventory to Portuguese and relation to psychopathology. J Bras Psiquiatr. 2011;60(4):240-6.

Santos IG. Nutrição: da assistência à promoção da saúde. São Paulo: RCN Editora; 2007.

Rodrigues ÉM, Boog MCF. Problematização como estratégia de educação nutricional com adolescentes obesos. Cad Saúde Pública. 2006;22(5):923-31.

Warters E, Sanigorski AS, Hall BJ, Brown T, Campbell KJ, Gao Y, et al. Interventions for preventing obesity in children. Canada: Cochrane Heart Group; 2011.

Rena LCCB. Educação em saúde: construindo uma pedagogia do cuidado na escola pública. In: I Congresso Internacional de Pedagogia Social; São Paulo; 2006. São Paulo: FEUSP; 2006.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção a Saúde. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Organização Mundial da Saúde - OMS. Obesidade. Impedindo e controlando a epidemia global. Genebra, 1997.

Pádua JG, Boog MCF. Avaliação da inserção do nutricionista na Rede Básica de Saúde dos municípios da Região Metropolitana de Campinas. Rev Nutr. 2006;19(4):413-24.

Banduk MLS, Ruiz-Moreno L, Batista NA. A construção da identidade profissional na graduação do nutricionista. Interface Comun Saúde Educ. 2009;13(28):111-2.

Gallon CW, Wender MCO. Estado nutricional e qualidade de vida da mulher climatérica. Rev Bras Ginecol Obstet. 2012;34(4):175-83.

Monteiro RCA, Riether PTA, Burini RC. Efeito de um programa misto de intervenção nutricional e exercício físico sobre a composição corporal e os hábitos alimentares de mulheres obesas em climatério. Rev Nutr. 2004;17(4):479-89

Cervato AM, Derntl AM, Latorre MRDO, Marucci MFN. Educação nutricional para adultos e idosos: uma experiência positiva em Universidade Aberta para a Terceira Idade. Rev Nutr. 2005;18(1):41-52.

Benetti SPC, Cunha TRS. Abandono de tratamento psicoterápico: implicações para a prática clínica. Arq Bras Psicol. 2008;60(2):48-59.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/3111

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia