Efeito do tempo de prática de exercício físico na aptidão física relacionada à saúde em mulheres idosas

Carminda Goersch Lamboglia, Rodolfo Gondim Costa, Kristiane Mesquita Barros Franchi, Luciana Leite Pequeno, Monica Helena Neves Pereira Pinheiro

Resumo


Objetivo: Analisar o efeito do tempo de prática de exercício físico na aptidão física relacionada à saúde em mulheres idosas. Métodos: Pesquisa quantitativa do tipo transversal, na qual participaram 61 mulheres, divididas em dois grupos, Grupo A (n=34), formado por mulheres praticantes veteranas de exercício físico (no mínimo seis meses) e Grupo B (n=27), composto por mulheres iniciantes na prática de exercício físico (menos de seis meses), todas integrantes de um programa de exercícios promovido pelo Programa de Educação do Trabalho para Saúde (PET-Saúde) da Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Avaliaram-se parâmetros antropométricos (massa corporal, estatura e índice de massa corporal) e os testes de aptidão física relacionados à saúde (flexibilidade, equilíbrio, força de membros superiores e inferiores e resistência aeróbia). Resultados: O Grupo A apresentou melhores resultados do que o Grupo B nos testes de flexibilidade, equilíbrio e força de membros superiores. Entretanto, nos outros elementos da aptidão física não se observou diferença entre os grupos. Conclusão: O exercício físico proporcionou efeitos benéficos na aptidão física relacionada à saúde em mulheres idosas com mais tempo de prática.


doi:10.5020/18061230.2014.p29

Palavras-chave


Exercício Físico; Aptidão Física; Promoção da Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Santos MAB, Mattos IE. Condições de vida e saúde da população idosa do Município de Guaramiranga-CE.Epidemiol Ser Saúde. 2011;20(2):193-201.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE.Primeiros resultados definitivos do Censo 2010 [acesso em 2012 Abr 24]. Brasília: IBGE; c2011. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1866&id_pagina=1

Penha JCL, Piçarro IC, Barros Neto TL. Evolução da aptidão física e capacidade funcional de mulheres ativas acima de 50 anos de idade de acordo com a idade cronológica, na cidade de Santos. Ciênc Saúde Coletiva. 2012;17(1):245-53.

Glaner MF. Importância da aptidão física relacionada à saúde. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum.2003;5(2):75-85.

Silva RS, Silva I, Silva RAS, Souza L, Tomasi E. Atividade física e qualidade de vida. Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(1):115-20.

American College of Sports Medicine. Manual do ACMS para avaliação da aptidão física relacionada à saúde. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2006.

Borges MRD, Moreira AK. Influências da prática de atividades físicas na terceira idade: estudo comparativo dos níveis de autonomia para o desempenho nas AVDs e AIVDs entre idosos ativos fisicamente e idosos sedentários. Motriz Rev Educ Fís. 2009;15(3):562-73.

Ministério da Saúde (BR). Portaria Interministerial n° 421, de 3 de março de 2010. Institui o PET-Saúde, para a formação de grupos de aprendizagem tutorial em áreas estratégicas para o SUS. Diário Oficial da União, Brasília, 5 mar. 2010.

Thurber J. Outros métodos de pesquisa descritiva. In: Thomas JR, Nelson JK, Silverman SJ. Métodos de pesquisa em atividade física. Porto Alegre: Artmed; 2012. p. 249-59.

Marins JCB, Giannichi, RS. Medidas motoras e físicas.In: Marins JCB, Giannichi RS. Avaliação e preescrição de atividade fisica: guia prático. 3ª ed. Rio de Janeiro: Shape; 2003. p. 61-112.

Matsudo SMM. Avaliação da aptidão física e da capacidade funcional. In: Matsudo SMM. Avaliação do idoso: física e funcional. São Caetano do Sul: CELAFISCS; 2010. p. 45-99.

Rikli RE, Jones CJ. Aplicação do teste. In: Rikli RE, Jones CJ. Teste de aptidão física para idosos. São Paulo: Manole; 2008. p. 66-98.

Fitness Canada. Canadian Standardized Test of Fitness(CSTF) Operations Manual. Ottawa: Fitness and Amateur Sport; 1986.

Morrow JR, James R. Avaliação da atividade física e da aptidão física em adultos. In: Morrow JR, James R.Medidas e avaliação do desempenho humano. Porto Alegre: Artmed; 2003. p. 176-213.

Morrow JR, James R. Avaliação da atividade física e da aptidão física em adultos. In: Morrow JR, James R. Medidas e avaliação do desempenho humano. Porto Alegre: Artmed; 2003. p. 176-213.

Guedes DP. Programa academia da saúde: ação para incrementar a prática de atividade física na população brasileira. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2011;16(11):184-5.

Shephard RJ. Aging and exercise [acesso em 2010 Set 10]. In: Encyclopedia of Sports Medicine and Science.Internet Society for Sport Science 1998. Disponível em: http://sportsci.org

Alves RV, Mota J, Costa MC, Alves JGB. Aptidão física relacionada à saúde de idosos: influência da hidroginástica. Rev Bras Med Esporte. 2004;10(1):31-7.

Moura MS, Pedrosa MAC, Costa EL, Bastos Filho PSC,Sayão LB, Sousa TS. Efeitos de exercícios resistidos,de equilíbrio e alongamentos sobre a mobilidadefuncional de idosas com baixa massa óssea. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2012;17(6):474-84.

Echetpare LS, Pereira EF, Graup S, Zinn JL. Terceira idade: aptidão física de praticantes de hidroginástica.Revista Digital [periódico na internet] 2003[acesso em 2010 Set 10]; 9(65). Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd65/hidrog.htm

Cruz DT, Ribeiro LC, Vieira MT, Teixeira MTB,Bastos RR, Leite ICG. Prevalência de quedas e fatores associados em idosos. Rev Saúde Pública. 2012;46(1): 138-46.

Pedrinelli A, Garcez-Leme LE, Nobre RSA. O efeito da atividade física no aparelho locomotor do idoso.Rev Bras Ortop. 2009;44(2):96-101.

Berlezi EM, Rosa PV da, Souza ACA de, Scheneider RH. Comparação antropométrica e do nível de aptidão física de mulheres acima de 60 anos praticantes de atividade física regular e não praticantes. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2006;9(3):49-66.

Mcardle WD, Katch FI, Kacth VL. Atividade física,saúde e envelhecimento. In: Mcardle WD, Katch FI,Kacth VL. Fundamentos de fisiologia do exercício. Rio

de Janeiro: Guanabara Koogan; 2002. p. 885-927.

Botelho RMM. Efeitos da prática da actividade física sobre a aptidão física de adultos idosos [dissertação;acesso em 2010 Set 10]. Porto: Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física; 2002. Disponível em: http://hdl.handle.net/10216/10649

Hughes VA, Frontera WR, Wood M, Evans WJ, Dallal GE, Roubenoff R, et al. Longitudinal muscle strength changes in older adults: influence of muscle mass, physical activity, and health. J Gerontol Ser A Biol Sci Med Sci. 2001;56(5):209-17.

Carvalho J, Soares JMC. Envelhecimento e força muscular: breve revisão. Rev Port Ciênc Desporto.2004;4(3):79–93.

Penha JCL, Piçarro IC, Barros Neto TL. Evolução da aptidão física e capacidade funcional de mulheres ativas acima de 50 anos de idade de acordo com a idade cronológica, na cidade de Santos. Ciênc Saúde Coletiva. 2012;17(1):245-53.

Lustosa LP, Silva JP, Coelho FM, Pereira DS,Parentoni AN, Pereira LSM. Efeito de um programa de resistência muscular na capacidade funcional e na força muscular dos extensores do joelho em idosas préfrágeis da comunidade: ensaio clínico aleatorizado do tipo crossover. Rev Bras Fisioter. 2011;15(4):318-24.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/3160

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia