Família: significado para os profissionais da estratégia de saúde da família

Tatiane Aparecida Queiroz, Francisca Patrícia Barreto de Carvallho, Clélia Albino Simpson, Erica Larissa Ferreira Barreto, Amélia Carolina Lopes Fernandes

Resumo


Objetivo: Apreender o significado de família que permeia a prática de enfermeiros, médicos e dentistas da Estratégia Saúde da Família. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, com abordagem qualitativa, realizado entre julho e agosto de 2012 em quatro Unidades Básicas de Saúde da Família localizadas nas quatro zonas da cidade de Mossoró-RN. Utilizou-se para a coleta de dados uma entrevista semiestruturada, sendo ouvidos 24 profissionais. Os dados foram analisados com base na Análise de Conteúdo. Resultados: Constatou-se que enfermeiros e dentistas são graduados há mais tempo que os médicos. Ambos têm mais tempo de atuação na Estratégia e são, em sua maioria, especializados na área. Todos os profissionais entrevistados apresentaram dificuldades em conceituar família, trazendo em suas falas aspectos conceituais vagos que não dão esteio a uma atenção à saúde efetiva. No entanto, os profissionais reconhecem que uma abordagem em saúde voltada às necessidades físicas, sociais e econômicas, não só do indivíduo, mas de toda a sua família, apresenta maiores potencialidades se comparada às abordagens tradicionais. Conclusão: Os conceitos de família que permeiam a prática dos profissionais estudados são vagos e não dão suporte a ações reais de promoção à saúde da família. Esses conceitos apresentam-se, muitas vezes, com uma carga de preconceito que leva à descrença no trabalho com modelos de famílias específicas que não estão dentro dos padrões entendidos de família estruturada pelos profissionais.

Palavras-chave


Família; Saúde da família; Programa Saúde da Família

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Lévi-Strauss C. Les structures éleméntaires de laparenté. Paris: Mounton; 1967.

Figueiredo MHJ, Martins MMFPS. Dos contextos da prática à (co) construção do modelo de cuidados de enfermagem de família. Rev Esc Enferm USP. 2009;43(3):615-21.

Villa SB. Morar em Apartamentos: a produção dos espaços privados e semi-privados nos apartamentos ofertados pelo mercado imobiliário no século XXI [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2008.

Gomes MA, Pereira MLD. Família em situação de vulnerabilidade social: uma questão de políticas públicas. Ciênc Saúde Coletiva. 2005;10(2):357-63.

Silva MCLSR, Silva L, Bousso RS. A abordagem à família na Estratégia Saúde da Família: uma revisão integrativa da literatura. Rev Esc Enferm USP. 2011;45(5):1250-5.

Gutierrez MD, Minayo MCS. Produção de conhecimento sobre cuidados da saúde no âmbito da família. Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(Supl 1):1497- 508

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70;1977.

Medeiros CRG, Junqueira AGW, Schwingel G, Carreno I, Jungles LAP, Saldanha OMFL. A rotatividade de enfermeiros e médicos: um impasse na implementação da Estratégia de Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(Supl 1):1521-31.

Mendonça MHM, Martins MIC, Giovanella L, Escorel S. Desafios para gestão do trabalho a partir de experiências exitosas de expansão da Estratégia de Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(5):2355-65.

Scott ASV. As teias que a família tece: uma reflexão sobre o percurso da história da família no Brasil. História Quest Deb. 2009;(51):13-29.

Fonseca C. Apresentação: De família, reprodução e parentesco: algumas considerações. Cad Pagu. 2007;(29):9-35.

Barbosa MAM, Balieiro MMFG, Pettengill MAM. Cuidado centrado na família no contexto da criança com deficiência e sua família: uma análise reflexiva. Texto & Contexto Enferm. 2012;21(1):194-9.

Moreno V. Enfermeiros e a família do portador de transtorno mental. Rev Bras Enferm. 2010;63(4):603-7.

Moima SAS, Fadel CB, Yarid SD, Diniz DG. Saúde da Família: o desafio de uma atenção coletiva. Ciênc Saúde Coletiva. 2011;16(Supl 1):965-72.

Gabardo RM, Junges JR, Selli L. Arranjos familiares e implicações à saúde na visão dos profissionais do Programa Saúde da Família. Rev Saúde Pública. 2009;43(1):91-7.

Garcia APRF, Nozawa MR, Marques D. As práticas de saúde da família discutidas na perspectivada psicanálise: uma proposta de cuidado. Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(Supl 1):1481-6.

Rezende M, Baptista TWF, Amâncio Filho A. O legado da construção do sistema de proteção social brasileiro para a intersetorialidade. Trab Educ Saúde. 2015;13(2):301-22.

Rocha PA, Soares TC, Farah BF, Friedrich DBC. Promoção da saúde: a concepção do enfermeiro que atua no programa saúde da família. Rev Bras Promoç Saúde. 2012;25(2):215-20.

Wernet M, Angelo M. Mobilizando-se para a família: dando um novo sentido à família e ao cuidar. Rev Esc Enferm USP. 2003;37(1):19-25.




DOI: https://doi.org/10.5020/18061230.2015.p274

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia