Representações ideativas sobre edentulismo e reabilitação protética na percepção de idosos

Silvana Orestes-Cardoso, Kamilla Karla Maurício Passos, Saulo Lôbo Chateaubriand do Nascimento, Milena Vieira da Silva Melo, Marilenede Oliveira Trindade

Resumo


Objetivo: Identificar as representações ideativas de idosos edêntulos uni ou bimaxilares acerca das perdas dentárias e da reabilitação protética oral. Métodos: Estudo qualitativo, realizado entre janeiro e março de 2011 com sete idosos residentes em uma Instituição Pública de Longa Permanência do Recife-PE, com 14 idosos em atendimento na Clínica de Prótese Dentária da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Coletaram-se os dados através de uma entrevista semiestruturada que passou por análise de conteúdo. Resultados: Os achados possibilitaram identificar que, para os idosos, os dentes contribuíam tanto para a saúde quanto como para facilitar interações sociais, enquanto o edentulismo foi associado a uma pluralidade de sentimentos negativos. Quanto à reabilitação protética, eles enfatizaram os prejuízos para a saúde devido a próteses mal adaptadas. Conclusão: Os idosos acreditam que o edentulismo e a reabilitação protética estão associados, principalmente, a um conceito mecanicista da profissão, amplamente difundido entre os profissionais que privilegiam mais a odontologia curativa em detrimento da prevenção. Nesse contexto, para que o envelhecimento possa ser considerado uma etapa da vida com as mesmas qualidades e dificuldades de qualquer outra, sugere-se aos gestores e aos próprios profissionais em saúde que se comprometam mais com uma prática odontológica humanizadora e preventiva, a fim de proverem os requisitos mínimos para um envelhecimento com dignidade.

Palavras-chave


: Idosos; Envelhecimento; Prótese Dentária; Reabilitação; Saúde Bucal; Qualidade de Vida.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Piuvezam G, Ferreira AAA, Soares SCM, Souza DLB, Alves MSCL. As perdas dentárias sob a ótica do idoso. Odontol Clín-Cient. 2006;5(4):299-306.

Veras R. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Rev Saúde Públ. 2009;43(3):548-54.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Censo Demográfico 2010 [acesso em 2014 Set 20] Disponível em: http://www.ibge.gov. br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/ndicadoresminimos/sinteseindicsociais2013/default_tab_xls.shtm.

Beauvoir S. A velhice. Rio de Janeiro: Nova Fronteira;1990.

Freitas AS, Costa MJ. A identidade social do idoso: memória e cultura popular. Rev Conexão UEPG.2011;7(2):202-11.

Unfer B, Braun K, Silva CP, Pereira Filho LD. Autopercepção da perda de dentes em idosos. Interface Comun Saúde Educ. 2006;10(19):217-26.

Santos SSC. Concepções teórico-filosóficas sobre envelhecimento, velhice, idoso e enfermagem gerontogeriátrica. Rev Bras Enferm. 2010;63(6):1035-39.

Silva DD, Sousa MLR, Wada RS. Autopercepção e condições de saúde bucal em uma população de idosos. Cad Saúde Pública. 2005;21(4):1251-9.

Ministério da Saúde (BR). Projeto SB Brasil 2010. Pesquisa nacional de saúde bucal. Resultados Principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Moreira RS, Nico LS, Tomita NE. O risco espacial e fatores associados ao edentulismo em idosos em município do sudeste do Brasil. Cad Saúde Pública. 2011;27(10):2041-53.

Narvai PC, Antunes JLF. Saúde bucal: a autopercepção da mutilação e das incapacidades. In: Lebrão ML, Duarte TAO. SABE no município de São Paulo: uma abordagem inicial. Brasília: Editora da OPAS; 2003. p.121-40.

Kimura C. Por que idosos desdentados precisam do dentista? Rev Portal Divulg. 2011;13: 7-11.

Pesquero ACB. Uso de prótese dentária total por idosos: aspectos psicológicos [tese]. Goiânia: Universidade Católica de Goiás; 2005.

Musacchio EM, Perissinotto E, Binotto P, Sartori L, Silva-Neto F, Zambon S, et al. Tooth loss in the elderly and its association with nutritional status, socioeconomic and lifestyle factors. Acta Odontol Scand. 2007;65(2):78-86.

Maciel ACM, Guerra RO. Influência dos fatores biopsicossociais sobre a capacidade funcional de idosos residentes no nordeste do Brasil. Rev Bras Epidemio. 2007;10(2):178-89.

Montenegro FLB, Brunetti RF, Manetta CE. Interações entre a Medicina e a Odontologia. In: Brunetti RF, Montenegro FLB. Odontogeriatria: noções de interesse clínico. São Paulo: Artes Médicas; 2002. p. 99-114.

Silva EMM, Silva Filho CE, Fajardo RS, Fernandes AUR, Marchiori AV. Mudanças fisiológicas e psicológicas na velhice relevantes no tratamento odontológico. Rev Ciênc Ext. 2005;2(1):63.

Aas M, Aminoff SR, Lagerberg TV, Etain B, Agartz I, Andreassen AO, et al. Affective lability in patients with bipolar disorders is associated with high levels of childhood trauma. Psychiatry Res. 2014;218(1-2):252-5.

Aminoff SR, Jensen J, Lagerberg TV, Hellvin T, Sundet K, Andreassen OA, et al. An association between affective lability and executive functioning in bipolar disorder. Psychiatry Res. 2012;198(1):58-61.

Bauer MW, Aarts B. A construção de corpos: um princípio para coleta de dados qualitativos. In Bauer MW, Gaskell G, editores. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. 11ª ed. Petrópolis: Vozes; 2013.p. 39-63.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70;2011.

Smith JM, Sheiham A. How dental conditions handicap the elderly. Community Dent Oral Epidemiol. 1979;7(6):305-10.

Fiske J, Davis DM, Frances C, Gelbier S. The emotional effects of tooth loss on edentulous people. Br Dent J.1998;184(2):90-3.

Pena FB, Santo FHE. O movimento das emoções na vida dos idosos: Um estudo com um grupo da terceira idade. Rev Eletrônica Enferm. 2006;8(1):17-24.

Freud S. Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago; 2009. p. 119-229.

Strauss RP, Hunt RJ. Understanding the value of teeth to older adults: influences of quality of life. JADA. 1993;124(1):105-10.

Nakata M. Mastigatory function and its effects on general health. Int Dent J. 1998;48(6):540-8.

Scott BJJ, Leung KCM, Mcmillan AS, David DM, Fiske J. A transcultural perspective on the emotional effect of tooth loss in complete denture wearers. Int J Prosthodont. 2001;14(5):461-5.

Moriguchi Y. Aspectos geriátricos no atendimento odontológico. Odontol Mod. 1992;19(4):11-3.

Turano JC, Turano LM, Turano MV. Fundamentos de prótese total. 9ª ed. São Paulo: Santos; 2012.

Wendt D. How to promote and maintain good oral health in spite of wearing dentures. J Prosthet Dent. 1985;53(6):805-7.

Medeiros JJ, Rodrigues LV, Azevedo AC, Lima Neto EA, Machado LS, Valença AMG. Edentulismo, uso e necessidade de prótese e fatores associados em município do Nordeste brasileiro. Pesq Bras Odontoped Clin Integr. 2012;12(4):573-8.

De Carli JP, Giaretta BM, Vieira RR, Linden MSS, Ghizoni JS, Pereira JR. Lesões bucais relacionadas ao uso de próteses dentárias removíveis. Salusvita. 2013;32(1):103-15.

Al-Imam H, Özhayat EB, Benetti AR, Pedersen AML, Gotfredsen K. Oral health-related quality of life and complications after treatment with partial removable dental prosthesis. J Oral Rehabil. 2015;42(8):1-8.

Roumanas ED. The solution-denture esthetics, phonetics and function. J Prosthodont. 2009;18(2):112-5.




DOI: https://doi.org/10.5020/18061230.2015.p394

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia