Religiosidade e estilo de vida de uma população adulta

Marli Rosangela Cres, Gina Andrade Abdala, Maria Dyrce Dias Meira, Carlos Antonio Teixeira, Maria Fernanda M. L. Ninahuaman, Maria Cecília Leite de Moraes

Resumo


Objetivo: Caracterizar o perfil de religiosidade e estilo de vida de uma população adulta e analisar a associação entre essas variáveis. Métodos: Pesquisa descritiva, transversal e quantitativa, realizada com participantes (n=206) de duas Feiras de Saúde na cidade de São Paulo, em 20/10/2013 e 04/05/2014. Aplicaram-se dois instrumentos, o Duke University Religion Index (DUREL, subdividido nas dimensões Religiosidade Organizacional, Não Organizacional e Intrínseca) e o Estilo de Vida FANTÁSTICO. Realizaram-se os testes Rho de Spearman para associação das variáveis “estilo de vida” e “religiosidade”, e Qui-Quadrado para análise bivariada entre sexo e religiosidade. Resultados: Encontrou-se perfil de religiosidade predominantemente bom nas três dimensões, com destaque para a Religiosidade Intrínseca, que alcançou 83,5% (n=167) nos três quesitos. Quanto ao estilo de vida (FANTÁSTICO), obteve-se a classificação de: 26,6% (n=34) “Bom”, 48,4% (n=62) “Muito Bom” e 12,5% (n=16) “Excelente”. Das 125 análises bivariadas, 13 (11,3%) apresentaram correlação fraca (ρ< 0,30), porém significativa (p<0,05). Nas associações do Qui-Quadrado, a religiosidade se relacionou às dimensões do estilo de vida quanto ao uso de álcool e drogas, alimentação equilibrada e saúde mental. Conclusão: A religiosidade na população estudada, considerando-se as três dimensões analisadas, caracterizou-se como “boa” e “muito boa”; e o estilo de vida, segundo escore total do questionário FANTÁSTICO, pôde ser considerado saudável. Apesar de fraca, confirmou-se associação entre a religiosidade e o estilo de vida.

Palavras-chave


Religião; Espiritualidade; Estilo de Vida; Promoção da Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Lucchetti G, Lucchetti ALG, Puchalski CM. Spirituality in medical education: global reality? J Relig Health. 2012;51(1):3-19.

Koenig HG, Büssing A. The Duke University Religion Index (DUREL): a five-item measure for use in epidemiological studies. Religions. 2010;1(1):78-85.

Moreira-Almeida A, Pinsky I, Zaleski M, Laranjeira R. Envolvimento Religioso e Fatores Sociodemográficos: resultados de um levantamento nacional no Brasil. Rev Psiq Clín. 2010;37(1):12-5.

Koenig HG. Medicina, Religião e Saúde. Porto Alegre RS: L&PM; 2012. Religião e Saúde; p. 54-67 e Os Sistemas Imunológico e Endócrino; p. 82-95.

Reinert KG, Koenig HG. Re-examining definitions of spirituality in nursing research. J Adv Nurs. 2013;69(12):2622-34.

Lucchetti G, Lucchetti AL. Spirituality, religion, and health: over the last 15 years of field research (1999-2013). Int J Psychiatry Med. 2014;48(3)199-215.

Panzini RG, Maganha C, Rocha NS, Bandeira DR, Fleck MP. Validação brasileira do Instrumento de Qualidade de Vida/espiritualidade religião e crenças pessoais. Rev Saúde Pública. 2011;45(1):153-65.

Taunay TCD, Gondim FAA, Macedo DF, Moreira- Almeida A, Gurgel LA, Andrade LMS, et al. Validação da Versão Brasileira da Escala de Religiosidade de Duke (DUREL). Arch Clin Psychiatry (São Paulo). 2012;39(4):130-5.

Leite IS, Seminotti EP. A influência da Espiritualidade na Prática Clínica em Saúde Mental: uma revisão sistemática. Rev Bras Ciênc Saúde. 2013;17(2):189-96.

Santos NC, Abdala GA. Religiosidade e qualidade de vida relacionada à saúde dos idosos em um Município na Bahia, Brasil. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2014;17(4):795-805.

Corrêa AAM, Moreira-Almeida A, Menezes PR, Vallada H, Scazufca M. Investigando o Papel do Suporte Social na Associação entre Religiosidade e Saúde Mental em Idosos de Baixa Renda: resultados do São Paulo Ageing & Health Study (SPAH). Rev Bras Psiquiatr. 2011;33(2):157-64.

Veras RM, Vieira JMF, Moraes FRRA. A Maternidade Prematura: o suporte emocional através da fé e religiosidade. Psicol Estud. 2010;15(2):325-33.

Rocha NS, Fleck MPA. Avaliação de qualidade de vida e importância dada a espiritualidade / religiosidade / crenças pessoais (SRPB) em adultos com e sem problemas crônicos de saúde. Rev Psiquiatr Clín. 2011;38(1):19-23.

Nahas MV, Barros MV, Francalacci V. O pentáculo do bem-estar, base conceitual para avaliação do estilo de vida de indivíduos ou grupos. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2000;5(2):48-59.

Santos ARM, Dabbicco P, Cartaxo HGO, Silva EAPC, Souza MRM, Freitas CMSM. Revisão Sistemática Acerca da Influência da Religiosidade na Adoção de Estilo de Vida ativo. Rev Bras Promoç Saúde. 2013;26(3):419-25.

Silva LBE, Silva SSBE, Marcilio AG, Pierin AMG. Prevalência de Hipertensão arterial em Adventistas Sétimo Dia da Capital e do interior paulista. Arq Bras Cardiol. 2012;98(4):329-7.

Backes DS, Backes MS, Medeiros HMF, Siqueira DF, Pereira SB, Dalcin CB, et al. Oficinas de

espiritualidade: alternativa de cuidado para o tratamento de dependentes químicos integrante. Rev Esc Enferm USP. 2012;46(5):1254-9.

Barbosa Filho VC, Campos W, Lopes AS. Prevalence of alcohol and tobacco use among Brazilian adolescents: a systematic review. Rev Saúde Pública. 2012;46(5):901-17.

Coutinho RZ, Miranda-Ribeiro P. Religião, religiosidade e iniciação sexual na adolescência

e juventude: lições de uma revisão bibliográfica sistemática de mais de meio século de pesquisas. Ver Bras Est Pop. 2014;31(2):333-65.

Moreira-Almeida A, Koenig HG, Lucchetti G. Clinical implications of spirituality to mental health: review of evidence and practical guidelines. Rev Bras Psiquiatr. 2014;36(2):176-82.

Souza LDM, Maragalhoni TC, Quinquoses MT, Jansen K, Cruzeiro ALS, Ores L, et al. Bem-estar Psicológico de Jovens de 18 a 24 anos: fatores associados. Cad Saúde Pública. 2012;28(6):1167-74.

Rodrigues JSM, Ramdohr Sobrinho EC, Toledo MLV, Zerbetto SR, Ferreira NMLA. O atendimento por instituição pública de saúde: percepção de famílias de doentes com câncer. Saúde Debate. 2013;37(97):270-80.

Buss PM, Pellegrini Filho A. A Saúde e seus Determinantes Sociais. Physis (Rio J). 2007;17(1):77-93.

Maselko J, Hughes C, Cheney R. Religious social capital: its measurement and utility in the study of social determinants of health. Soc Sci Med. 2011;73(5): 759-67.

Santos DS, Tenório EA, Brêda MZ, Mishima SM. Processo saúde/doença e estratégia de saúde da família: o olhar do usuário. Rev Latinoam Enferm. 2014;22(6):918-25.

Polit DF, Beck CT. Fundamentos de Pesquisa em Enfermagem: avaliação de evidências para a prática de enfermagem. 7ª ed. Trad. Regina Denise de Sales. Porto Alegre: Artmed; 2011.

Silva AMM, Brito IS, Amado JMC. Tradução, adaptação e validação do questionário Fantastic Lifestyle Assessment em estudantes do ensino superior. Ciênc Saúde Coletiva. 2014;19(6):1901-9.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2006. (Série B. Textos Básicos de Saúde).

Malta DC, Moraes Neto OL, Silva Junior JB. Apresentação do plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis no Brasil, 2011 a 2022. Epidemiol Serv Saúde. 2011;20(4):425-38.

Dias EN. Religiosidade e Fatores Associados: um mestudo com residentes na cidade de Itajubá- Minas Gerais [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2012.

Silva RP, Souza P, Nogueira DA, Moreira DS, Chaves ECL. Relação entre bem-estar espiritual, características sociodemográficas e consumo de álcool e outras drogas por estudantes. Rev Bras Psiquiatr. 2013;62(3):191-8.

Abdala GA, Rodrigues WG, Torres A, Rios MC, Brasil MS. A Religiosidade/Espiritualidade como Influência Positiva na Abstinência, Redução e/ou Abandono do Uso de Drogas. Rev Est Relig. 2010;1(1):77-98.

Ferreira GM, Staut TC, Araujo SP, Oliveira NC, Portes LA. estilo de vida entre brasileiros adventistas do sétimo dia. Lifestyle J. 2011;1(1):17-25.

Kanno DT, Sella LF, Oliveira NC. Estilo de vida de Adventistas do Sétimo Dia do município de Cotia, São Paulo. Rev Ciênc Méd (Campinas). 2014;23(3):137-44.

Meneses AFS, Santos EC. Sexo e religião: um estudo entre jovens evangélicos sobre o sexo antes do casamento. Clínica Cultura. 2013;2(1):82-94.

Kwok CS, Umar S, Myint PK, Mamas MA, Loke YK. Vegetarian diet, Seventh Day Adventists and risk of cardiovascular mortality: a sistematic review and metaanalysis. Int J Cardiol. 2014;176(3):680-6.

Fisher J. The Four Domains Model: connecting spirituality, health and well-being. Religions.

;2(1):17-28.

Ironson G, Stuetzle R, Ironson D, Balbin E, Kremer H, George A, et al. View of God as benevolent and forgiving or punishing and judgmental predicts HIV

disease progression. J Behav Med. 2011;34(6):414-25.

Koenig HG. Religion, spirituality, and health: the research and clinical implications. International Scholarly Research Network. ISRN Psychiatr[periódico na Internet]. 2012 [acesso em 2015 Fev 10];1(2012):1-34. Disponível em: http://www.hindawi. com/journals/isrn/2012/278730/cta/

Murakami R, Campos CJG. Religião e Saúde Mental: desafio de integrar a religiosidade ao cuidado com o paciente. Rev Bras Enferm. 2012;65(2):361-7.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2015.p240

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia