Alimentação e diabetes mellitus: percepção e consumo alimentar de idosos no interior de Pernambuco

Maria Andressa Gomes Barbosa, Ana Maria Rampeloti Almeida, Mariana Andrade Figueiredo, Adriana Guimarães Negromonte, Jordana Sirlaide Lima da Silva, Marcia Gabrielle Silva Viana, Georgia Karoline Cavalcante Galvão

Resumo


Objetivo: Avaliar o conhecimento sobre alimentação relacionada ao diabetes e identificar fatores que possam interferir na adesão à terapia nutricional e nas escolhas alimentares de participantes de um Centro de Convivência de Idosos em Sairé-PE. Métodos: Estudo quantitativo, transversal e descritivo com 39 frequentadores do referido centro, de julho a agosto de 2014, portadores ou não de diabetes mellitus. Aplicaram-se dois questionários para avaliar dados socioeconômicos, conhecimento alimentar e fatores culturais, e verificar o consumo de alimentos de alto e baixo índice glicêmico. Os dados foram analisados através do Programa Assistat versão 7.0 beta. Resultados: Observou-se que a maioria possui conhecimentos sobre tipos de alimentos que podem influenciar no tratamento de diabetes mellitus, pois 51,2% (n=20) disseram conhecer algum alimento que pode reduzir os riscos de acometimento ou auxiliar no tratamento do diabetes. A maioria disse ter adquirido esse conhecimento por meio de televisão (35%; n=7) e conversa com conhecidos (35%; n=7). Verificando o consumo alimentar, constatou-se maior consumo de alimentos com alto índice glicêmico. Porém, entre os diabéticos, viu-se que os alimentos de baixo índice glicêmico são consumidos mais vezes por semana. Conclusão: Considerou-se adequado o nível de conhecimento em relação à alimentação e diabetes, mas viu-se que fatores socioeconômicos e culturais podem interferir na adesão à dietoterapia ou nas escolhas alimentares dos indivíduos. Contudo, o consumo alimentar se mostrou mais adequado entre os diabéticos.

Palavras-chave


Consumo Alimentar; Diabetes Mellitus; Idoso.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Silva SMCS, Mura JDP. Tratado de Alimentação Nutrição e Dietoterapia. 2ª ed. São Paulo: Roca; 2010.

Sociedade Brasileira de Diabetes - SBD. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2009. 3ª ed. Itapevi: A. Araújo Silva Farmacêutica; 2009.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica Diabete Mellitus. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Cotta RMM, Reis RS, Batista KCS, Dias G, Alfenas RCG, Castro FAF. Hábitos e práticas alimentares de hipertensos e diabéticos: repensando o cuidado a partir da atenção primária. Rev Nutr. 2009;22(6):823-35.

Pereira PF, Cordeiro PMC, Souza LFD, Torres HC. Conhecimentos dos usuários com diabetes mellitus na atenção primária à saúde. Convibra Saúde 2012 [acesso em 2014 Mar 04]; Disponível em: http://www.convibra. org/saude_2012.asp?ev=77〈=pt&ano=2012

Borges TT, Rombaldi AJ, Knuth AG, Hallal PC. Conhecimento sobre fatores de risco para doenças crônicas: estudo de base populacional. Cad Saúde Pública. 2009;25(7):1511-20.

Anunciação PC, Braga PG, Almeida PS, Lobo LN, Pessoa MC. Avaliação do conhecimento sobre alimentação antes e após intervenção nutricional entre diabéticos tipo 2. Rev Baiana Saúde Pública.2012;36(4):986-1001.

Foster-Powell K, Holt SHA, Brand Miller JC. International table of glycemic index and glycemic load values: 2002. Am J Clin Nutr. 2002;76(1):5-56.

Brand Miller JC, Burani J, Foster J, Powell K, Holt SHA. The new glucose revolution: complete guide to glycmic index values. 3th ed. New York: Marlowe & Company; 2003.

Dias VM, Pandini JA, Nunes RR, Sperandei SLM, Portella ES, Cobas RA, Gomes MB. Influência do índice glicêmico da dieta sobre parâmetros antropométricos e bioquímicos em pacientes com diabetes tipo 1. Arq Bras Endocrinol Metab. 2010;54(9):801-6.

Kümpel DA, Silveira MM, Rocha JP, Scariot M, Portella MR, Pasqualotti A. Perfil alimentar de idosos frequentadores de um grupo de terceira idade. Ver Contexto & Saúde. 2011;10(20):361-6.

Souza AM, Pereira RA, Yokoo EM, Levy RB, Sichieri R. Alimentos mais consumidos no Brasil: Inquérito Nacional de Alimentação 2008-2009. Rev Saúde Pública. 2013;47(Supl 1):190S-19S.

Viebig RF, Pastor-Valero M, Scazufca M, Menezes PR. Consumo de frutas e hortaliças por idosos de baixa renda na cidade de São Paulo. Rev Saúde Pública. 2009;43(5):806-13.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE; 2011.

Santos CC, Stuchi RAG, Arreguy-Sena C, Pinto NAVD. A influência da televisão nos hábitos, costumes e comportamento alimentar. Cogitare Enferm. 2012;17(1):65-71.

Pontieri FM, Bachion MM. Crenças de pacientes diabéticos acerca da terapia nutricional e sua influência na adesão ao tratamento. Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(1):151-60.

Santos AFL, Araújo JWG. Prática alimentar e diabetes: desafios para a vigilância em saúde. Epidemiol Serv Saúde. 2011;20(2):255-63.

Zaparolli MR, Nascimento NC, Baptista DR, Vayego SA. Alimentos funcionais no manejo da diabetes mellitus. Rev Ciênc Saúde. 2013;6(1):12-7.

Carvalho MMS, Lino LLA. Avaliação dos fatores que caracterizam a berinjela (Solanum melongena L.) como um alimento funcional. Nutrire Rev Soc Bras Aliment Nutr. 2014;39(1):130-43.

Basho SM, Bin MC. Propriedades dos alimentos funcionais e seu papel na prevenção e controle da hipertensão e diabetes. Interbio. 2010;4(1):48-58.

Mielczarski RG, Costa JSD, Olinto MTA. Epidemiologia e organização de serviços de saúde: diabetes mellitus numa comunidade de Porto Alegre. Ciênc Saúde Coletiva. 2012;17(1):71-8.

Silva FM, Steemburgo T, Azevedo MJ, Mello VD. De. Papel do índice glicêmico e da carga glicêmica na prevenção e no controle metabólico de pacientes com diabetes mellitus tipo 2. Arq Bras Endocrinol Metab. 2009;53(5):560-71.

Nascimento VB. Emprego do índice glicêmico e carga glicêmica dos alimentos: uma alternativa nas dietas de pacientes com doenças crônicas? Rev Assoc Bras Nutr. 2012;4(5):48-53.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de vigilância de doenças e agravos não transmissíveis e Promoção de Saúde. Vigitel Brasil 2012: Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Nishimura RY, Damião R, Gimeno SGA, Ferreira SRG, Sartorelli DS. Grupos de alimentos para investigação de risco para diabetes tipo 2 e doenças associadas. Ver Bras Epidemiol. 2011;14(3):531-6.

Barbieri AFS, Chagas IA, Santos MA, Teixeira CRS, Zanetti ML. Consumo alimentar de pessoas com diabetes mellitus tipo 2. Rev Enferm. 2012;20(2):155-60.

Dias VM, Pandini JA, Nunes RR, Sperandei SLM, Portella ES, Cobas RA, et al. Influência do índice glicêmico da dieta sobre parâmetros antropométricos e bioquímicos em pacientes com diabetes tipo 1. Arq Bras Endocrinol Metab. 2010; 54(9):801-6.




DOI: https://doi.org/10.5020/18061230.2015.p370

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia