Consumo alimentar de vitamina a por gestantes no Brasil: uma revisão sistemática

Laís Spíndola Garcêz, Laísla de França da Silva Teles, Andrea Nunes Mendes de Brito, Geânia de Sousa Paz Lima, Adriana de Azevedo Paiva

Resumo


Objetivo: Realizar uma revisão sistemática sobre o consumo alimentar de vitamina A por gestantes no Brasil. Métodos: A revisão constituiu na busca de artigos publicados no período de 1999 a 2015 nas bases SciELO, PubMed e LILACS. Ao final, foram selecionados oito artigos para esta revisão. Resultados: Os métodos utilizados para análise do consumo de vitamina A foram o questionário de frequência alimentar (QFA) – da dieta ou apenas de alimentos fontes de vitamina A – e o recordatório alimentar (R24h). Apenas dois artigos calcularam a adequação da ingestão de vitamina A para a população avaliada. Algumas limitações metodológicas foram bastante frequentes, destacando-se a ausência e/ou limitação de informações sobre representatividade da amostra, perdas do estudo, acurácia dos métodos aplicados e controle das variáveis de confusão. Conclusão: Observa-se que ainda são escassos os estudos que avaliam de forma criteriosa o consumo de vitamina A por gestantes no Brasil, e que a identificação e controle dos possíveis vieses do inquérito dietético poderão melhorar a fidedignidade dos dados encontrados.

Palavras-chave


Deficiência de Vitamina A; Consumo Alimentar; Ingestão de Alimentos; Vitamina A; Gravidez.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Graebner IT, Saito CH, Souza EMD. Avaliação bioquímica de vitamina A em escolares de uma comunidade rural. J Pediatr (Rio J). 2007;83(3):247- 52.

World Health Organization - WHO. Global prevalence of vitamin A deficiency in populations at risk 1995- 2005: WHO global database on vitamin A deficiency. Geneva: WHO; 2009.

Tuma MAF, Roncada MJ, César TB. Adequação na ingestão de vitamina A por gestantes, segundo as Dietary Reference Intakes. CuidArte Enferm. 2014;8(1):9-15.

Miglioli TC, Fonseca VM, Gomes Junior SC, Lira PICD, Batista-Filho M. Deficiência de Vitamina A em mães e filhos no Estado de Pernambuco. Ciênc Saúde Coletiva. 2013;18(5):1427-40.

Ministério da Saúde (BR). Relatório Final da Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde. Brasília: Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher; 2006. [acesso em 2015 Jul 30]. Disponível em: http://www. saude.gov.br/pnds2006

Paiva AA, Rondó PH, Vaz-de-Lima LR, Oliveira CF, Ueda M, Goncalves-Carvalho C, et al. The impact of vitamin A supplementation on the immune system of vitamin A-deficient children. Int J Vitam Nutr Res. 2010;80(3):188-96.

Kositamongkol S, Suthutvoravut U, Chongviriyaphan N, Feungpean B, Nuntnarumit P. Vitamin A and E status in very low birth weight infants. J Perinatol. 2011;31(7):471-6.

Pedraza DF. Baixo peso ao nascer no Brasil: revisão sistemática de estudos baseados no sistema de informações sobre nascidos vivos. Rev Atenção Saúde. 2014;12(41):37-50.

Saraiva BC, Soares MC, Santos LCD, Pereira SC, Horta PM. Iron deficiency and anemia are associated with low retinol levels in children aged 1 to 5 years. J Pediatr (Rio J). 2014;90(6):593-9.

Huang Y, Zheng S. The effect of vitamin A deficiency during pregnancy on anorectal malformations. J Pediatr Surg. 2011;46(7):1400-5.

Campos LF, Saunders C, Ramalho A, Gomes MM, Accioly E. Níveis de retinol e carotenóides séricos e intercorrências gestacionais em puérperas. Rev Nutr. 2008;21(6):623-32.

Van Den Broek N, Dou L, Othman M, Neilson JP, Gates S, Guelmezoglu AM. Vitamin A supplementation during pregnancy for maternal and newborn outcomes. Cochrane Database Syst Rev. 2010;(11):CD008666.

West KP, Christian P, Labrique AB, Rashid M, Shamim AA, Klemm RD, et al. Effects of vitamin A or beta carotene supplementation on pregnancy-related mortality and infant mortality in rural Bangladesh: a cluster randomized trial. Jama. 2011;305(19):1986-95.

Masanja H, Smith ER, Muhihi A, Briegleb C, Mshamu S, Ruben J, et al. Effect of neonatal vitamin A supplementation on mortality in infants in Tanzania (Neovita): a randomised, double-blind, placebocontrolled trial. Lancet. 2015;385(9975):1324-32.

Santos EM, Velardes LGC, Ferreira VA. Associação entre deficiência de vitamina A e variáveis socioeconômicas, nutricionais e obstétricas de gestantes. Ciênc Saúde Coletiva 2010;15(1):1021-30.

Anjos LAD, Souza DRD, Rossato SL. Desafios na medição quantitativa da ingestão alimentar em estudos populacionais. Rev Nutr. 2009;22(1):151-61.

Bertin RL, Parisenti J, Di Pietro PF, Vasconcelos FDAGD. Métodos de avaliação do consumo alimentar de gestantes: uma revisão. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2006;6(4):383-90.

Downs SH, Black N. The feasibility of creating a checklist for the assessment of the methodological quality both of randomised and non-randomised studies of health care interventions. J Epidemiol Community Health 1998;52(6):377-84.

Rondó PHE, Villar BS, Tomkins AM. Vitamin A status of pregnant women assessed by a biochemical indicator and a simplified food frequency questionnaire. Arch Latinoam Nutr 1999;49(4):322-5.

Saunders C, Ramalho A, Accioly E, Paiva F. Utilização de tabelas de composição de alimentos na avaliação do risco de hipovitaminose A. Arch Latinoam Nutr. 2000;50(3)237-42.

Villar BS, Roncada MJ. Determinação do consumo de alimentos fontes de vitamina A por gestantes, utilizando o Formulário Dietético Simplificado (FDS). Arch Latinoam Nutr 2002;52(1):48-54.

Nascimento E, Souza SB. Avaliação da dieta de gestantes com sobrepeso. Rev Nutr 2002;15(2):174-79.

Azevedo DV, Sampaio HAC. Consumo alimentar de gestantes adolescentes atendidas em serviço de assistência pré- natal. Rev Nutr. 2003;16(3):273-80.

Giacomello A, Schmidt MI, Nunes MAA, Duncan BB, Soares RM, Manzolli P, et al. Validação relativa do questionário de frequência alimentar em gestantes usuárias do Serviço Único de Saúde em dois municípios do Rio Grande do Sul, Brasil. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2008;8(4):445-54.

Fazio ES, Nomura RMY, Dias MCG, Zugab M. Consumo dietético de gestantes e ganho ponderal materno após aconselhamento nutricional. Rev Bras Ginecol Obstet. 2011;33(2):87-92.

Sartorelli DS, Barbieri P. Número de replicações de inquéritos dietéticos para estimativa da ingestão de nutrientes em gestantes brasileiras. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2014;14(4):441-5.

Costa AF, Yokoo EM, Anjos LAD, WahrlichI V, Olinto MTA, Henn RL, Waissmann W. Variação sazonal na ingestão alimentar de adultos de Niterói. Rev Bras Epidemiol. 2013;16(2):513-24.

Taddei JAAC, Lang RMF, Longo SG, Toloni MHA. Nutrição em Saúde Pública. Rio de Janeiro: Rubio;2011.

Pereira MG. Epidemiologia: teoria e prática. 6ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2002.

Araújo DMR, Pereira NL, Kac G. Ansiedade na gestação, prematuridade e baixo peso ao nascer: uma revisão sistemática da literatura. Cad Saúde Pública 2007;23(4):747-56.

Silva LDSVD, Thiapó AP, Souza GGD, Saunders C, Ramalho A. Micronutrientes na gestação e lactação. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2007;7(3):237-44.

Pedraza DF, Queiroz DD. Micronutrientes no crescimento e desenvolvimento infantil. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum. 2011;21(1):156-71.

Cavalcante AAM, Priore SE, Franceschini SDCC. Estudos de consumo alimentar: aspectos metodológicos gerais e o seu emprego na avaliação de crianças e adolescentes. Rev Bras Saúde Mater Infant. 2004;4(3):229-40.

Institute of Medicine - IOM. Dietary reference intakes for vitamin A, vitamin K, arsenic, boron, chromium, copper, iodine, iron, manganese, molybdenum, nickel, silicon, vanadium, andzinc. Washington (DC): National Academy Press; 2002.

National Research Council - NRC. Recommended dietary allowances (RDA). 10ª ed. Washington (DC): National Academy Press; 1989.

Padovani RM, Amaya-Farfán J, Colugnati FAB, Domene SMÁ. Dietary reference intakes: aplicabilidade das tabelas em estudos nutricionais. Rev Nutr. 2006;19(6):741-60.

Instituto de Nutrición de Centro américa y Panamá - INCAP. Tabla de composición de alimentos para uso en América Latina.Guatemala: INCAP; 1961.

Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - FIBGE. Estudo Nacional da Despesa Familiar. Tabelas de composição dos alimentos. 4ª ed. Rio de Janeiro: FIBGE; 1996.

Pinheiro ABV, Lacerda EMA, Benzecry EH, Gomes MCS, Costa VM. Tabela para avaliação de consumo alimentar em medidas caseiras. 3ª ed. Rio de Janeiro: Grupo de Pesquisa em Nutrição Materno-infantil da UFRJ; 1996.

Franco G. Tabela de composição química dos alimentos. 9ª ed. Rio de Janeiro: Atheneu; 1992.

United States Departament of Agriculture – USDA, Centro de Informática em Saúde da Escola Paulista de Medicina (CIS-EPM). Programa de apoio à nutrição. São Paulo: CIS-EPM; 1993.

Food and Agriculture Organization of the United Nations - FAO/OMS. Necessidades de vitamina A, hierro, folato y vitamina B12. Roma: FAO/OMS; 1991.

Sichieri R, Everhart JE. Validity of a Brazilian food frequency questionnaire against dietary recalls and estimated energy intake. Nutr Res. 1998;18(10):1649-59.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2015.p452

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia