Feeding practices and nutritional status of children receiving care within the family health strategy

Dixis Figueroa Pedraza, Erika Morgana Neves de Araujo

Resumo


Objective: To describe the eating habits and nutritional status of children under one year old attended at the Family Health Strategy. Methods: This is a cross-sectional study developed in the city of Campina Grande, Paraíba. 633 mothers were interviewed and information included feeding practices (food eaten in the 24 hours preceding the survey) of their children. The nutritional status was analyzed using weight/age and length/age anthropometric indices. Results: Breastfeeding in the first hour of life was reported by 70.9% (n=443) of respondents. Foods most consumed were water and breast milk, followed by other types of milk. The high frequency of consumption of foods not recommended such as snacks, candies/chocolates/ lollipops and soft drinks was also reported. As for the anthropometric profile, weight and length deficits reached respectively 5.3% (n=32) and 11.9% (n=17) of children. Conclusion: Feeding practices of children under one year old disagree with the recommendations of the World Health Organization and the Ministry of Health of Brazil. Additionally, a high prevalence of stunting was also found in the context of public health.

Palavras-chave


Breastfeeding; Child Nutrition; Nutritional Status; Anthropometry; Body Height.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


Gondim SSR, Diniz AS, Cagliare MP, Queiroz D, Paiva AA. Relação entre níveis de hemoglobina,concentração de retinol sérico e estado nutricional em crianças de 6 a 59 meses do Estado da Paraíba. Rev Nutr. 2012;25(4):441-9.

Garcia MT, Granado FS, Cardoso MA. Alimentação complementar e estado nutricional de crianças menores de dois anos atendidas no Programa Saúde da Família

em Acrelândia, Acre, Amazônia Ocidental Brasileira. Cad Saúde Pública. 2011;27(2):305-16.

Ducci AL, Vannuchi MTO, Souza SNDH, Tacla MTGM, Lima LS. Aleitamento materno e consumo alimentar de crianças menores de um ano em um município do Sul do Brasil. Rev Bras Pesqui Saúde. 2013;15(1):49-58.

World Health Organization - WHO. The optimal duration of exclusive breastfeeding. Geneva: WHO; 2001.

Ministério da Saúde (BR), Organização Pan Americana da Saúde. Dez passos para uma alimentação saudável-Guia alimentar para crianças menores de dois anos. Brasília: Ministério da Saúde; 2010. (Série A. Normas e Manuais Técnicos).

Sperandio N, Sant’Ana LFR, Franceschini SCC, Prioe SE. Comparação do estado nutricional infantil com utilização de diferentes curvas de crescimento. Rev Nutr. 2011;24(4):565-74.

Bertin RL, Malkowski J, Zutter LCI, Ulbrich AZ. Estado nutricional, hábitos alimentares e conhecimentos de nutrição em escolares. Rev Paul Pediatr. 2010;28(3):303-8.

Sousa CPC, Sousa MPC, Rocha ACD, Figueroa Pedraza D. Perfil epidemiológico do estado nutricional de crianças assistidas em creches no Estado da Paraíba. Nutrire Rev Soc Bras Aliment Nutr. 2011;36(1):111-26.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Avaliação da atenção ao pré-natal, ao parto e aos menores de um ano na Amazônia Legal e no Nordeste, Brasil, 2010. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

World Health Organization - WHO. Child growth standards: length/height-for-age, weightfor-age, weight-for-length, weight-for-height and body mass index-for-age: methods and development. Geneva: WHO; 2006.

World Health Organization - WHO. Anthro for personal computers. [computer program]. Version 2. 2007: Software for assessing growth and development of the world’s children. Geneva: WHO; 2007.

R Development Core Team. R: A Language and Environment for Statistical Computing [computer program]. Version 3.1.2. Vienna: R Foundation for Statistical Computing; 2011.

Organização Mundial da Saúde, Organização Pan-Americana da Saúde, Fundo das Nações Unidas para a Infância. Manejo e promoção do aleitamento materno: curso de 18 horas para equipes de maternidades. Nova York: OMS; 1993.

Ministério da Saúde (BR), Fundo das Nações Unidas para a Infância. Iniciativa Hospital Amigo da Criança: revista, atualizada e ampliada para o cuidado integrado: modulo 3: promovendo e incentivando a amamentação em um Hospital Amigo da Criança: curso de 20 horas para equipes de maternidade. Brasília: Ministério da Saúde; 2009. (Série A. Normas e Manuais Técnicos).

Boccolini CS, Carvalho ML, Oliveira MIC, Vasconcellos AGG. Fatores associados à amamentação na primeira hora de vida. Rev Saúde Pública. 2011;45(1):69-78.

Boccolini CS, Carvalho ML, Oliveira MI, Leal MC, Carvalho MS. Fatores que interferem no tempo entre o nascimento e a primeira mamada. Cad Saúde Pública. 2008;24(11):2681-94.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. II Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno nas Capitais Brasileiras e Distrito Federal. Brasília: Ministério da Saúde; 2009. (Série C. Projetos, Programas e Relatórios).

Viellas EF, Domingues RMSM, Dias MAB, Gama SGN, Theme Filha MM, Costa JV, et al. Assistência pré-natal no Brasil. Cad Saúde Pública. 2014;30(Supl1):S85-100.

Oliveira BB, Parreira BDM, Silva SR. Introdução da alimentação complementar em crianças menores de um ano: vivência e prática de mães. Rev Enferm Atenção Saúde. 2014;3(1):2-13.

Coelho LC, Asakura L, Sachs A, Erbert I, Novaes CRL, Gimeno SGA. Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional/SISVAN: conhecendo as práticas alimentares de crianças menores de 24 meses. Ciênc Saúde Coletiva (Online). 2015;20(3):727-38.

Carvalhaes MAB, Parada CMGL, Costa MP. Fatores associados à situação do aleitamento materno exclusivo em menores de 4 meses, em Botucatu – SP. Rev Latinoam Enferm. 2007;15(1):62-9.

Corrêa EN, Corso ACT, Moreira EAM, Kazapi IAM. Alimentação complementar e características maternas de crianças menores de dois anos de idade em Florianópolis (SC). Rev Paul Pediatr. 2009;27(3):258-64.

Battaus MRB, Liberali R. A promoção do aleitamento materno na Estratégia de Saúde da Família – revisão sistemática. Rev APS. 2014;17(1):93-100.

Marcacine KO, Orati PL, Abrão ACFV. Educação em saúde: repercussões no crescimento e desenvolvimento neuropsicomotor do recém-nascido. Rev Bras Enferm. 2012;65(1):141-7.

Ministério da Saúde (BR), Centro Brasileiro de Análise e Planejamento. Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher – PNDS 2006: dimensões do processo reprodutivo e da saúde da criança. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

Zöllner CC, Fisberg RM. Estado nutricional e sua relação com fatores biológicos, sociais e demográficos de crianças assistidas em creches da prefeitura do município de São Paulo. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2006;6(3):319-28.

Souza MM, Figueroa Pedraza D, Menezes TN. Estado nutricional de crianças assistidas em creches e situação de (in)segurança alimentar de suas famílias. Ciênc Saúde Coletiva. 2012;17(12):3425-36.

Monteiro CA, Benicio MH, Conde WL, Konno S, Lovadino AL, Barros AJD, et al. Narrowing socioeconomic inequality in child stunting: the Brazilian experience, 1974–2007. Bull. World Health Organ. 2010;88:305–11.

Leal VL, Lira PIC, Menezes RCI, Oliveira JS, Sequeira SLA, Andrade SLS, et al. Fatores associados ao declínio do déficit estatural em crianças e adolescentes em Pernambuco. Rev Saúde Pública. 2012;46(2):234-41.

Lima AL, Silva AC, Konno SC, Conde WL, Benicio MH, Monteiro CA. Causes of the accelerated declinein child undernutrition in Northeastern Brazil (1986– 1996–2006). Rev Saúde Pública. 2010;44(1):17–27.

Figueiroa JN, Alves JGB, Lira PIC, Batista Filho M. Evolução intergeracional da estatura no Estado de Pernambuco, Brasil, entre 1945 e 2006. 2 – aspectos analíticos. Cad Saúde Pública. 2012;28(8):1468-78.

Queiroz VAO, Assis AMO, Pinheiro SMC, Ribeiro Junior HC. Preditores do crescimento linear no primeiro ano de vida em uma coorte prospectiva de crianças a termo com peso adequado. J Pediatr. 2012;88(1):79-86.

Victora C. Los mil días de oportunidad para intervenciones nutricionales: de la concepción a los dos años de vida. Arch Argent Pediatr. 2012;110(4):311-7.

Figueroa Pedraza D, Souza MM, Rocha ACD. Fatores associados ao estado nutricional de crianças préescolares brasileiras assistidas em creches públicas: uma revisão sistemática. Rev Nutr. 2015;28(4):451-63.

Jones AD, Ickes SB, Smith LE, Mbuya MNN, Chasekwa B, Heidkamp RA, et al. World Health Organization infant and young child feeding indicators and their

associations with child anthropometry: a synthesis of recent findings. Matern Child Nutr. 2014;10(1):1-17.

Lutter CK. Growth and complementary feeding in the Americas. Nutr Metab Cardiovasc Dis. 2012;22(10):806-12.




DOI: https://doi.org/10.5020/18061230.2015.p513

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia