Diabetes mellitus em Montes Claros: inquérito de prevalência autorreferida

Orlene Veloso Dias, Rosangela Barbosa Chagas, Bruna Matos Gusmão, Fabiane Silva Pereira, Simone Melo Costa, Fernanda Marques Costa, Patrícia Alves Paiva, Lais Helena Ramos

Resumo


Objetivo: Estimar a prevalência de diabetes mellitus autorreferida na população de Montes Claros. Métodos: Estudo, transversal, analítico, de base populacional e domiciliar. O instrumento de coleta de dados embasou-se em questionário proposto pelo Ministério da Saúde para avaliar comportamentos e fatores de risco para as doenças crônicas não transmissíveis. O levantamento da prevalência de diabetes mellitus foi a partir de relato do pesquisado, em município do norte de Minas Gerais, Brasil. Avaliou-se a associação da diabetes autorreferida com perfil sociodemográfico, estilo de vida, uso dos serviços de saúde e percepção de saúde geral pela regressão de Poisson, com análise das razões de prevalência. As médias de consultas médicas no setor público e de internações no ano foram comparadas entre diabéticos e não diabéticos. A análise estatística considerou o nível de significância p<0,05 e intervalo de confiança 95%. Resultados: Participaram 2.149 indivíduos. Destes, 4,5% (n=96) relataram possuir diabetes. A maior razão de prevalência foi relacionada aos idosos (RP=1,047), aos que ingerem refrigerantes (RP=1,054) e aos com autopercepção negativa da saúde (RP=1,017), p<0,05. A média de consultas médicas no setor público foi maior entre os diabéticos (2,53 ±3,420) assim como a média de internações (1,44 ± 0,703), p<0,05. Conclusão: A prevalência de diabetes mellitus autorreferida nesta população foi semelhante ao cenário nacional e se associou aos idosos, aos consumidores de refrigerantes e aos que percebem não ter uma saúde geral boa. A diabetes parece contribuir para o maior uso dos serviços de saúde pública.

Palavras-chave


Diabetes Mellitus; Prevalência; Epidemiologia.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Stopa SR, César CL, Segri NJ, Goldbaum M,, Guimarães VM, Alves MC, et al. Self-reported diabetes in older people: comparison of prevalences and control measures. Rev Saúde Pública. 2014;48(4):554-662.

Rodrigues MLC, Motta MEFA. Mecanismos e fatores associados aos sintomas gastrointestinais em pacientes com diabetes melito. J Pediatr. (Rio J.) 2012;88(1):17-24.

Ortiz MCA, Zanetti ML. Diabetes mellitus: fatores de risco em uma instituição de ensino da área da saúde. Rev Latinoam Enferm. 2000;8(6):128-32.

Lyra R, Oliveira M, Lins D, Cavalcanti N. Prevenção do diabetes mellitus tipo 2. Arq Bras Endocrinol Metab. 2006;50(2):239-49.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: um panorama da saúde no Brasil: acesso e utilização dos serviços, condições de saúde e fatores de risco e proteção à saúde 2008. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; 2010.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Vigitel Brasil 2014: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde; 2015.

Szwarcwald CL, Damacena GN. Amostras complexas em inquéritos populacionais: planejamento e implicações na análise estatística dos dados. Rev Bras Epidemiol. 2008;11(Supl 1):38–45.

Costa JSD, Olinto MTA, Assunção MCF, Gigante DP, Macedo S, Menezes AMB. Prevalência de Diabetes Mellitus em Pelotas, RS: um estudo de base populacional. Rev Saúde Pública. 2006;40(3):542-5.

Schmidt MI, Duncan BB, Hoffmann JF, Moura L, Malta DC, Carvalho RMSV. Prevalência de diabetes e hipertensão no Brasil baseada em inquérito de morbidade autorreferida, Brasil, 2006. Rev Saúde Pública.2009;43(Supl 2):74-82.

Paiva DCP, Bersusa AAS, Escuder MML. Avaliação da assistência ao paciente com diabetes e/ou hipertensão pelo Programa Saúde da Família do Município de Francisco Morato, São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública. 2006;22(2):377-85.

Assunção MCF, Santos IS, Costa JSD. Avaliação do processo da atenção médica: adequação do tratamento de pacientes com diabetes mellitus, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad Saúde Pública. 2002;18(1):205-11.

Bertin RL, Elizio NPS, Moraes RNT, Medeiros CO, Fiori LS, Ulbrich AZ. Percepções do cotidiano alimentar de crianças e adolescentes com diabetes mellitus tipo 1. Rev Contexto & Saúde. 2016;16(30):100-9.

Lima LM, Schwartz E, Muniz RM, Zillmer JGV, Ludtke I. Perfil dos usuários do hiperdia de três unidades básicas de saúde do sul do Brasil. Rev Gaúch Enferm. 2011;32(2):323-9.

Theme MMT Filha, Souza PRB Júnior, Szwarcwald CL. Medidas de morbidade referida e inter-relações com dimensões de saúde. Rev Saúde Pública.2008;42(1):73-81.

Miranzil SSC, Ferreira FS, Iwamoto HH, Pereira GA, Miranzi MAS. Qualidade de vida de indivíduos com diabetes mellitus e hipertensão acompanhados por uma equipe de saúde da família. Texto & Contexto Enferm. 2008;17(4):672-9.

Aita GL, Benvegnú LA, Silberrmann CD, Souto CO. Avaliação da assistência a diabéticos e ou hipertensos em uma unidade de Atenção Primária à Saúde. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2009;4(16):260-9.

Arruda MP, Boing AF, Matos IB, Njaine K, Oliveira MC. Prevalência de consultas médicas e fator es associados: um estudo de base populacional no sul do Brasil. Rev Assoc Med Bras. 2010;56(1):41-6.

Domingues RZL, Feldmam C, Lima MHA, Nobre MRC, Silva TR. Controle de Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial com Grupos de Intervenção Educacional e Terapêutica em Seguimento Ambulatorial de uma Unidade Básica de Saúde. Saúde Soc. 2006;15(3): 180-9.

Artilheiro MMVSA, Coelho CC, Franco SC, Schulz VC. Quem são e como são tratados os pacientes que internam por diabetes mellitus no SUS? Saúde Debate. 2014;38(101):210-24.

Duarte EC, Junqueira RMP. Internações hospitalares por causas sensíveis à atenção primária no Distrito Federal, 2008. Rev Saúde Pública. 2012;46(5):761-8.

Gerhardt TE, Kalsing A, Santos VCF, Roese A, Ruiz ENF. Perfil de internações por doenças crônicas não transmissíveis sensíveis à atenção primária em idosos da metade sul do RS. Rev Gaúch Enferm. 2013;34(3):124-31.

Iser BPM, Malta DC, Duncan BB, Moura L, Vigo A, Schmidt MI. Prevalence, correlates, and description of self-reported Diabetes in Brazilian capitals: results from a telephone survey. PLoS One. 2014;09(09):1-8.

Schmidt MI, Hoffmann JF, Diniz MFS, Lotufo PA, Griep RH, Bensenor IM. High prevalence of diabetes and intermediate hyperglycemia - The Brazilian Longitudinal Study of Adult Health (ELSA-Brasil). Diabetol Metab Syndr. 2014;6:123.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2016.p406

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia