Alterações da fase oral da deglutição em crianças com paralisia cerebral - doi:10.5020/18061230.2008.p263

Karise Santos Vasconcelos, Izabella Santos Nogueira de Andrade

Resumo


Objetivos: Verificar as alterações na fase oral da deglutição em crianças com paralisia cerebral. Método: Foi conduzido um estudo quantitativo, observacional e transversal, desenvolvido no período de junho a agosto de 2006 no NAMI - Núcleo de Atenção Médica Integrada, em Fortaleza-CE. A amostra constituiu-se de 20 crianças na faixa etária de 1 ano e 6 meses a 8 anos de idade cronológica. As crianças incluídas na pesquisa eram tetraparéticas, de qualquer tipo de tônus muscular, podendo ser espásticas, atetósicas, mistas ou atáxicas. A coleta de dados realizada por meio de um protocolo de avaliação fonoaudiológica abordou aspectos referentes à deglutição. Resultados: Observou-se que independentemente do comprometimento no padrão de deglutição e tipo clínico da paralisia cerebral ocorrem alterações na fase oral da deglutição. Os achados encontrados com maior prevalência foram: vedamento labial ineficiente (90,8%), captação inadequada do bolo (90,8%) e ejeção inadequada (78,3%). Sendo que 100% da amostra apresentou movimentação reduzida de língua, além da persistência de atividades reflexas anormais em 80% dos casos. Conclusão: Na totalidade da amostra de crianças com paralisia cerebral avaliadas ocorreram alterações na fase oral da deglutição com impacto na fase faríngea e resultando em sinais clínicos compatíveis com aspiração oro traqueal.

Palavras-chave


Paralisia cerebral; Deglutição; Transtornos de deglutição

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/570

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia