Avaliação da satisfação dos usuários das farmácias do sistema público de saúde

Vanessa Adelina Casali Bandeira, Aline Schneider, Janaína Barden Schallemberger, Maristela Codinotti, Marilei Uecker Pletsch, Christiane de Fátima Colet

Resumo


Objetivo: Avaliar o acesso aos medicamentos e o grau de satisfação dos usuários de farmácias públicas do município de Ijuí, Rio Grande do Sul. Métodos: Trata-se de um estudo observacional, transversal, analítico, de abordagem quantitativa, realizado com usuários das farmácias de 14 unidades de saúde do município em estudo, selecionados aleatoriamente na sala de espera das unidades durante os meses de janeiro e fevereiro de 2013. A coleta de dados aconteceu na unidade de saúde através de questionário semiestruturado, com perguntas referentes a aspectos socioeconômicos, condições de saúde, uso do serviço de saúde e medicamentos. Mensurou-se a satisfação com nota de zero a dez, e os dados foram analisados pelos testes de Mann-Whitney, ANOVA e Kruskal-Wallis. Resultados: Participaram 134 usuários, sendo 75,4%(n=101) do sexo feminino e idade média de 48,95±16,28 anos. A maioria (n=89 - 66,4%) dos participantes relatou fazer uso contínuo de medicamentos, 54,5% (n=73) informou acessar todos os medicamentos na farmácia da respectiva unidade e, na falta destes, 74,6% (n=100) informaram comprá-lo. O principal problema apontado nas farmácias foi a falta de medicamentos (n=50 - 37,3%), seguida pelo atendimento e a falta de recursos humanos (n=17 - 12,6%). A satisfação média com os serviços ofertados pela farmácia foi de 8,7 ±1,5. Verificou-se maior satisfação entre os participantes de menor escolaridade, que têm acesso aos medicamentos e as dúvidas esclarecidas. Conclusão: Os resultados indicam satisfação com os serviços prestados, porém os achados reportam insuficiência no acesso aos medicamentos e necessidade de efetiva qualificação da assistência farmacêutica para a garantia do acesso ao tratamento, com qualidade e resolutividade.

Palavras-chave


Assistência Farmacêutica; Acesso aos Serviços de Saúde; Satisfação do Paciente; Uso de medicamentos.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Secretaria de Políticas de Saúde (BR), Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Medicamento. Brasília: Ministério da Saúde; 2001 [acesso em 2016 Dez 30]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_medicamentos.pdf

Conselho Nacional de Secretários de Saúde (BR). Atenção Primária e Promoção da Saúde. Brasília: CONASS; 2011. (Coleção Para Entender a Gestão do SUS) [acesso em 2016 Dez 30]. Disponível em: http://www.conass.org.br/colecao2011/livro_3.pdf

Monteiro CN, Gianini RJ, Barros MBA, Cesar CLG, Goldbaum M. Access to medication in the Public Health System and equity: populational health surveys in São Paulo, Brazil. Rev Bras Epidemiol. 2016;19(1):26-37.

Tavares NUL, Bertoldi AD, Thumé E, Facchini LA, Fraça GVA, Mengue SS. Fatores associados à baixa adesão ao tratamento medicamentoso em idosos. Rev Saúde Pública. 2013;47(6):1092-101.

Baldoni AO, Dewulf NLS, Santos V, Reis TM, Ayres LR, Pereira LRL. Dificuldades de acesso aos serviços farmacêuticos pelos idosos. Rev Ciênc Farm Básica Apl. 2014;35(4):615-21.

Remondi FA, Cabrera MAS, Souza RKT. Não adesão ao tratamento medicamentoso contínuo: prevalência e determinantes em adultos de 40 anos e mais. Cad Saúde Pública 2014;30(1):126-36.

Helena ETS, Andersen SE, Menoncin SM. Percepção dos usuários sobre acesso aos medicamentos na atenção primária. Cad Saúde Colet (Rio de J). 2015;23(3):280-8.

Ferreira FM, Cruz MJB, Santos DF, Linhares MP, Andrade RA. Fatores relacionados à adesão farmacoterapêutica de pacientes hipertensos aco¬lhidos na estratégia de saúde da família. Rev APS. 2013;16(3):258-68.

Vosgerau MZS, Soares DA, Souza RKT, Matsuo T, Carvalho GS. Consumo de medicamentos entre adultos na área de abrangência de uma Unidade de Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva 2011;16(Supl 1):1629-38.

Chiavegatto ADP Filho, Wang YP, Malik AM, Takaoka J, Viana MC, Andrade LH. Determinants of the use of health care services: multilevel analysis in the Metropolitan Region of Sao Paulo. Rev Saúde Pública. 2015;49(1):1-12.

Reis SR, Coimbra LC, Silva AAM, Santos AM, Alves MTSSB, Lamy ZC, et al. Acesso e utilização dos serviços na Estratégia Saúde da Família na perspectiva dos gestores, profissionais e usuários. Ciênc Saúde Coletiva. 2013;18(11):3321-31.

Boing AC, Bertoldi AD, Boing AF, Bastos JL, Peres KG. Acesso a medicamentos no setor público: análise de usuários do Sistema Único de Saúde no Brasil. Cad Saúde Pública. 2013;29(4):691-701.

Bertoldi AD, Dal Pizzol TS, Ramos LR, Mengue SS, Luiza VL, Tavares NUL, et al. Perfil sociodemográfico dos usuários de medicamentos no Brasil: resultados da PNAUM 2014. Rev Saúde Pública. 2016;50(Supl 2):1s-11s.

Lima-Costa MF, Loyola AI Filho. Fatores associados ao uso e à satisfação com os serviços de saúde entre usuários do Sistema Único de Saúde na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, Brasil. Epidemiol Serv Saúde. 2008;17(4):247-57.

Wannmacher L. Importância dos medicamentos essenciais em prescrição e gestão racionais. In: Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Uso racional de medicamentos: temas selecionados. Brasília: Ministério da Saúde; 2012. p. 15-20.

Paniz VMV, Flores ICC, Fassa AG, Piccini RX, Tomasi E, Thumé E, et al. Acesso a medicamentos para tratamento de condições agudas prescritos a adultos nas regiões Sul e Nordeste do Brasil. Cad Saúde Pública. 2016;32(4):e00009915.

Bueno D, Sampaio GC, Guerin GD. Análise do acesso a medicamentos em uma unidade do programa de saúde da família em Porto Alegre. Rev APS. 2013;16(1):83-9.

World Health Organization. How to investigate drug use in health facilities: selected drug use indicators [Internet]. Geneva: WHO; 1993 [acessado em 2016 Dez 30]. Disponível em: URL http://apps.who.int/medicinedocs/pdf/s2289e/s2289e.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 1.019, de 20 de maio de 2014. Altera a Portaria nº 2.587/GM/MS, de 6 de dezembro de 2004, que institui o incentivo financeiro do Programa Farmácia Popular do Brasil, e dá outras providências. Brasília; 2014 [acesso em 2016 Dez 30]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2014/prt1019_20_05_2014.html.

Moimaz SAS, Marques JAM, Saliba O, Garbin CAS, Zina LG, Saliba NA. Satisfação e percepção do usuário do SUS sobre o serviço público de saúde. Physis (Rio de J). 2010; 20(4):1419-40.

Souza LS, Porto JG, Lyra DP Júnior. Avaliação da estrutura e dos processos de organização e gestão da assistência farmacêutica em município do estado de Sergipe. Rev Ciênc Farm Básica Apl. 2011;32(3):403-10.

Alencar TOS, Alencar BR, Silva DS, Araújo JSC, Oliveira SM, Souza RD. Promoção do uso racional de medicamentos: uma experiência na estratégia saúde da família. Rev Bras Promoç Saúde. 2014;27(4):575-82.

Oliveira LCF, Assis MAA, Barboni AR. Assistência farmacêutica no Sistema Único de saúde: da política nacional de medicamentos à atenção básica á saúde. Ciênc Saúde Coletiva 2010;15(Supl 3):3561-7.

Bernardi CLB, Bieberbach EW, Thome HI. Avaliação da assistência farmacêutica básica nos municípios de abrangência da 17ª Coordenadoria Regional de Saúde do Rio Grande do Sul. Saúde Soc. 2006;15(1):73-83.

Bueno D, Machado AR. Avaliação dos dispensários do distrito sanitário Glória- Cruzeiro-Cristal Porto Alegre-RS. Rev APS 2011;14(1):4-11.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica Insumos Estratégicos. Resultados do projeto de implantação do cuidado farmacêutico no Município de Curitiba. Brasília: Ministério da Saúde; 2015. (Cuidado farmacêutico na atenção básica, nº 4).




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2017.6193

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia