Saúde do idoso: reflexões acerca da integralidade do cuidado

Simone de Carvalho Santos, Sílvia Franco da Rocha Tonhom, Sílvia Franco da Rocha Tonhom, Ricardo Shoiti Komatsu, Ricardo Shoiti Komatsu

Resumo


Objetivo: Compreender na ótica do profissional, a prática no cuidado ao idoso, visando à integralidade. Métodos: Foi orientado pela pesquisa qualitativa, sendo utilizada para a coleta de dados a entrevista projetiva, tendo como disparador o uso de vinheta. Foi utilizada a técnica de análise de conteúdo, na modalidade temática. Os participantes foram 34 profissionais de duas unidades de Saúde da Família e seus Núcleos de Apoio à Saúde da Família correspondente. Resultados: O estudou revelou que existem avanços no cuidado ao idoso, contudo, identifica-se necessidade de aprimorar o processo de trabalho entre profissionais, pois o modelo curativo ainda é hegemônico. A escuta e o vínculo foram identificados como um instrumento indispensável para o alcance da integralidade. Conclusão: No espaço macro, foi possível identificar a necessidade de investimentos nos profissionais, como a Educação Permanente. É fundamental que os gestores estruturem uma rede de cuidado que inclua a pessoa idosa.

Palavras-chave


Idoso; Integralidade em saúde; Estratégia Saúde da Família; Atenção Primária à Saúde; Envelhecimento; Gestão em Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


Organização Mundial da Saúde. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília (DF): Organização Pan-Americana da Saúde Brasília; 2005.

IBGE. Sinopse do censo demográfico 2010 [Internet]. Rio de Janeiro (RJ): IBGE; 2011 [citado 10 jul 2014]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default_sinopse.shtm

Moraes EN. Atenção à saúde do idoso: aspectos conceituais. Atenção à saúde do idoso: aspectos conceituais. Brasília (DF): OPAS; 2012.

Minayo MCS, Coimbra Júnior CEA. Entre a liberdade e a depêndencia: reflexões sobre o fenômeno social do envelhecimento. In: Minayo MCS, Coimbra Júnior CEA, editores. Antropologia, saúde e envelhecimento. Rio de Janeiro (RJ): Fiocruz; 2002. p. 11-24.

Minayo MCS. O envelhecimento da população brasileira e os desafios para o setor saúde. Cad Saúde Pública. 2012;28(2):208-9.

Ciosak SI, Braz E, Costa MFBNA, Nakano NGR, Rodrigues J, Alencar RA, Rocha ACAL. Senescência e senilidade: novo paradigma na atenção básica de saúde. Rev Esc Enferm USP. 2011;45(Esp 2):1763-8.

Organização Pan-Americana da Saúde. Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde, Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde. Inovando o papel da Atenção Primária nas redes de Atenção à Saúde: resultados do laboratório de inovação em quatro capitais brasileiras. Brasília (DF): Organização Pan-Americana da Saúde; 2011.

Albuquerque PC, Stotz EN. A educação popular na atenção básica à saúde no município: em busca da integralidade. Interface Comunic Saúde Educ. 2004;8(15):259-74.

Cecílio LCO. As necessidades de saúde como conceito estruturante na luta pela integralidade e equidade na atenção em saúde. In: Pinheiro R, Mattos RA, editores. Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde. Rio de Janeiro (RJ): ABRASCO; 2001. p. 113-26.

Merhy EE, Franco TB. Por uma composição técnica do trabalho centrada nas tecnologias leves e no campo relacional. Saúde Debate. 2003;27(65):316-23.

Brasil. Ministério da Saúde. Programa Saúde da Família. Brasília (DF): COSAC; 1994.

Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília (DF): Organização Pan-Americana da Saúde; 2012.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família - NASF. Diário Oficial da União, Brasília (DF); 25 jan 1994; Seção 1:47.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes do NASF: Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2010.

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Brasília (DF): Organização Pan-Americana da Saúde; 2011.

Mendes EV. A construção social da atenção primária à saúde. Brasília (DF): CONASS; 2015.

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. 5a ed. São Paulo (SP): Atlas; 2010.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 13ª ed. São Paulo (SP): Hucitec; 2013.

IBGE. Cidade@: Marília (SP) [Internet]. Rio de Janeiro (RJ): IBGE; 2016 [citado 27 jun 2016]. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=352900

Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - SEADE. Projeções populacionais: Marília [Internet]. São Paulo (SP): SEADE; 2014 [citado 17 nov 2014]. Disponível em: http://produtos.seade.gov.br/produtos/projpop/

Minayo MCS. Trabalho de campo: contexto de observação, interação e descoberta. In: Minayo MCS, organizadora. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 32a ed. Petrópolis (RJ): Vozes; 2012. p. 61-78.

Hughes R. Considering the vignette technique and its application to a study of drug injecting and HIV risk and safer behaviour. Sociol Health Illn. 1998;20(3):381-400.

Gourlay A, Mshana G, Birdthistle I, Bulugu G, Zaba B, Urassa M. Using vignettes in qualitative research to explore barriers and facilitating factors to the uptake of prevention of mother-to-child transmission services in rural Tanzania: a critical analysis. BMC Med Res Methodol. 2014;14:21.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo (SP): Edições 70; 2012.

Komatsu RS. Aprendizagem baseada em problemas na Faculdade de Medicina de Marília: sensibilizando o olhar para o idoso [tese]. Marília (SP): Universidade Estadual Paulista; 2003. 234 p.

Silva KM, Santos SMA, Souza AIJ. Reflexões sobre a necessidade do cuidado humanizado ao idoso e família. Saúde Transform Soc. 2014;5(3):20-4.

Cecilio LCO. Apontamentos teórico-conceituais sobre processos avaliativos considerando as múltiplas dimensões da gestão do cuidado em saúde. Interface Comun Saúde Educ. 2011;15(37):589-99.

Santos SC, Tonhom SFR, Komatsu RS. Integralidade do cuidado ao idoso na Estratégia Saúde da Familia- ESF. In: Atas 50 Congresso Ibero-Americano em Investigação Qualitativa em Saúde , 1º International Symposium on Qualitative Research; 2016; V 2. p.1292-1301.

Brasil. Ministério da Saúde. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2006.

Merhy EE, Malta DC, Santos FP. Desafios para os gestores do SUS, hoje: compreender os modelos de assistência à saúde no âmbito da reforma sanitária brasileira e a potência transformadora da gestão. In: Freese E, organizador. Municípios: a gestão da mudança em saúde Recife: UFPE; 2004. p.45-76.

Franco TB, Merhy EE. Programa de Saúde da Família (PSF): contradições de um programa destinado à mudança do modelo tecnoassistencial. In: Merhy EE, Magalhães Júnior HM, Rimoli J, Franco TB, Bueno WS, organizadores O trabalho em saúde: olhando e experienciando o SUS no cotidiano. São Paulo (SP): Hucitec. 2003. p. 55-124.

Merhy EE, Feuerwerker LCM. Novo olhar sobre as tecnologias de saúde: uma necessidade contemporânea. In: Mandarino ACS, Gomberg E, organizadores. Leituras de novas tecnologias e saúde. São Cristóvão (BA): UFS, UFBA; 2009. p.29-74.

Brasil. Ministério da Saúde. Saúde mental. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2013.

Franco TB, Mehry EE. Trabalho, produção do cuidado e subjetividade em saúde. São Paulo (SP): Hucitec; 2013.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: documento para discussão. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2002.

Fernandes MTO. A rede de atenção à saúde para o cuidado à pessoa idosa na atenção primária: um modelo teórico [tese na Internet]. Belo Horizonte (MG): Universidade Federal de Minas Gerais; 2013. 209 p.[citado 20 jan 2016]. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/GCPA-99PQ4Y/maria_teresinha_de_oliveira_fernandes.pdf?sequence=1

Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Planificação da atenção primária à saúde nos estados. Brasília (DF): CONASS; 2011.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2012.




DOI: https://doi.org/10.5020/18061230.2016.sup.p118

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia